Para quem quer poupar combustivel !


Você não está conectado. Conecte-se ou registre-se

quantidades de placas neutras ,distancia entre elas

Ir à página : 1, 2  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo  Mensagem [Página 1 de 2]

olá , já montei meu jerador com pracas de inox coloquei apenas uma placa neutra entre as +e-não chega a aqueser muito mas nã produs tanto , utilizei 17 placas , outra coisa esses rele que e utilisado onde enconto dele , por favor se algem poder ajudar . muito obrigado .

Ver perfil do usuário
roni lima da silva escreveu:olá , já montei meu jerador com pracas de inox coloquei apenas uma placa neutra entre as +e-não chega a aqueser muito mas nã produs tanto , utilizei 17 placas , outra coisa esses rele que e utilisado onde enconto dele , por favor se algem poder ajudar . muito obrigado .

Qual é sua dúvida. além do rele?

Ver perfil do usuário
ET-e-HHO-existe escreveu:
roni lima da silva escreveu:olá , já montei meu jerador com pracas de inox coloquei apenas uma placa neutra entre as +e-não chega a aqueser muito mas nã produs tanto , utilizei 17 placas , outra coisa esses rele que e utilisado onde enconto dele , por favor se algem poder ajudar . muito obrigado .

Qual é sua dúvida. além do rele?


vc sabe istalar controlador map ?

Ver perfil do usuário
roni lima da silva escreveu:
ET-e-HHO-existe escreveu:
roni lima da silva escreveu:olá , já montei meu jerador com pracas de inox coloquei apenas uma placa neutra entre as +e-não chega a aqueser muito mas nã produs tanto , utilizei 17 placas , outra coisa esses rele que e utilisado onde enconto dele , por favor se algem poder ajudar . muito obrigado .

Qual é sua dúvida. além do rele?


vc sabe istalar controlador map ?

Roni, vamos dar uma geral.

Tu falou que sua célula tem 17 placas, mas apenas uma neutra entre cada pólo + e -. Não falou de que tipo de eletrólito tá usando, qual o seu motor, combustível usado, quanto é pouco gás pra você, muito pouca informação e quer apenas saber onde comprar um rele e como instalar o map. Não faço idéia se tu seguiu minha sugestão de olhar a experiência do Francinaldo, onde tem muita matéria sobre o que é e como fazer um bom gerador.

Respostas: Não sei onde achar o rele e não entendo nada além do trivial sobre injeção eletrônica.

Pergunta: Tu acha boa uma configuração que só usa 1 neutro entre pólos + e -?

Ver perfil do usuário

restio


Rank : 0
Rank : 0
Amigo vi que vc sabe muito sobre o assunto, vc poderia me ajudar a construir uma celula seca para meu carro?

Ver perfil do usuário

6 experiencia do Francinaldo em Qua 12 Out 2011, 20:31

Olá, qual é o endereço da experiência do Francinaldo citada? Não entendo nada da construção da célula, estou pesquisando o assunto há poucos dias.
Mas sou professor de química e já fiz inúmeras eletrólises simples em laboratório para meus alunos, mas nada com muitas placas, medindo voltagem etc. Mas posso contribuir com o assunto dos eletrólitos.
Gostaria de saber sobre a importância das placas neutras e como são conectadas (ou não conectadas???)
Obrigado,
Thito.

Ver perfil do usuário
thito frança escreveu:Olá, qual é o endereço da experiência do Francinaldo citada? Não entendo nada da construção da célula, estou pesquisando o assunto há poucos dias.
Mas sou professor de química e já fiz inúmeras eletrólises simples em laboratório para meus alunos, mas nada com muitas placas, medindo voltagem etc. Mas posso contribuir com o assunto dos eletrólitos.
Gostaria de saber sobre a importância das placas neutras e como são conectadas (ou não conectadas???)
Obrigado,
Thito.

Thito, na descrição leiga sobre o assunto se diz "placas neutras" por não se ligar os 13,8V do carro em movimento, em plena carga de bateria, nessas placas. Uma descrição melhor seria dizer que são várias células eletróliticas ligadas em série onde o (+) entra na primeira célula e o (-) na última, tudo montado num único sanduiche.

+NNN– --> (+)----| |--| |--| |--| |----(-)


Seja bem vindo ao fórum, não deixe de ler sobre "coisas que eles nao querem que voce saiba".

Quanto ao Francinaldo, ele fez uma célula, dita imersa, que pode fácilmente apresentar fugas quando o caminho dos elétrons resolvem ser por outro caminho diferente do planejado. Nas células ditas secas (outro erro de descrição), essas fugas são mais difíceis, mas acontecem, em geral pelo problema dos referidos neutros.

Agora, me diz como está o seu conhecimento sobre adição de um pouco de hidrogênio para auxiliar na combustão do combustivel principal? Não caia na tentação de falar em moto continuo, porque se falar, é porque tu não pesquisou muito sobre o HHO.

Outra coisa, se eu fosse fazer um dicionário de termos, conceitos e descrições erradas quando o assunto é HHO, eu preencheria um tópico maior que o que te indiquei ler. Corrija, mais sem muita emoção, nem todos os fazem por maldade, alias, normalmente são cópias de obsurdos americanos, que muitos acham serem verdades por terem sido escritos muitas vezes, em muitos sites, e em inglês. Pensa bem, se tu fala do THP, que tu dira do HHO? HHO, não existe, ou estaria eu errado?

Outra coisa, eu acredito que o HHO não funciona, mas como não testei isso pessoalmente, não vou afirmar, só dizer que o limite de viabilidade disso é muito ruim, embora a ideia seja boa.

Falarei mais quando você se pronunciar.



Última edição por ET-e-HHO-existe em Qui 13 Out 2011, 02:26, editado 5 vez(es)

Ver perfil do usuário
Thito, a despeito do HHO, eu venho tentando entender os detalhes da eletrólise, por isso sua experiência será por mim muito bem vinda.

Entenda que não estou tentando aplicar a eletrólise no HHO, acho que essa seria a última opção, depois de compreendidos os mecanismos, viabilidade e quantidades para que isso funcione (se é que isso tem condições de funcinar). Como eu começei a pesquisar o assunto "eletrólise", por causa do HHO, muitas dúvidas ficaram no ar que gostaria de sanar.

Ver perfil do usuário

9 ESTEQUIOMETRIA DA COMBUSTÃO em Qui 13 Out 2011, 06:53

ET-e-HHO-existe escreveu:Thito, a despeito do HHO, eu venho tentando entender os detalhes da eletrólise, por isso sua experiência será por mim muito bem vinda.

Entenda que não estou tentando aplicar a eletrólise no HHO, acho que essa seria a última opção, depois de compreendidos os mecanismos, viabilidade e quantidades para que isso funcione (se é que isso tem condições de funcinar). Como eu começei a pesquisar o assunto "eletrólise", por causa do HHO, muitas dúvidas ficaram no ar que gostaria de sanar.

ET-HHO-EXISTE,
GOSTARIA DE FAZER ALGUMAS OBSERVAÇÕES, CONSIDERANDO QUE LI VÁRIOS DE SEUS POSTS E ACHEI BASTANTE BOA SUA LINHA DE RACIOCÍNIO EM TODOS ELES.
UM QUE ME CHAMOU MUITO A ATENÇÃO FOI SOBRE A ESTEQUIOMETRIA DA COMBUSTÃO E CONCORDO COM TODOS OS CÁLCULOS QUE FEZ, CONSIDERANDO A VIAGEM DE UM CARRO POR UMA HORA A 120KM/H.

NO ENTANTO, FAÇO ALGUMAS OBSERVAÇÕES:
1)NÃO ENTENDI QUANDO CHEGA À CONCLUSÃO DE QUE O HIDROGÊNIO TEVE NO PROCESSO PODER CALORÍFICO DE APENAS 0,44% EM RELAÇÃO AO DA GASOLINA.

SEGUE ABAIXO UMA TABELA COM CALORES DE COMBUSTÃO
COMBUSTÍVEL FÓRMULA MOLECULAR ΔHo (kJ/mol)
Gasolina C8H18(l) -5400
Etanol C2H5OH(l) -1400
Hidrogênio H2(g) -290

REALMENTE, O HIDROGÊNIO LIBERA BEM MENOS CALOR POR MOL COMPARADO À GASOLINA.

RESTA CONTABILIZAR OS 9LITROS DE OCTANO LIQUIDO E OS 180 LITROS DE HHO NO ESTADO GASOSO E TRANSFORMANDO PRA MOL, PARA VER SE OS 0,44% ESTÃO CORRETOS. LEMBRANDO, DOS 180 LITROS DE HHO, SOMENTE 120 SÃO GÁS HIDROGÊNIO, POIS 60 LITROS SÃO DO OXIGÊNIO LIBERADO JUNTO NA ELETRÓLISE DA ÁGUA.

2) ALÉM DA LIBERAÇÃO DE CALOR, TEMOS QUE ANALISAR A EXPANSÃO DE VOLUME DURANTE A QUEIMA, PORQUE ISSO É O QUE GERA A ROTAÇÃO DO MOTOR. SÃO DOIS FATORES QUE INFLUENCIAM NISSO:

A - VARIAÇÃO DA TEMPERATURA EM GRAUS KELVIN. SE 300K (27 GRAUS CELSIUS) PASSAM PARA 600K (327 CELSIUS) O VOLUME DOBRA DURANTE A QUEIMA, EMPURRANDO O PISTÃO. NÃO SEI QUAL É A TEMPERATURA INTERNA DE UM MOTOR.

B - VARIAÇÃO DO NÚMERO DE MOLÉCULAS GASOSAS REAGENTES E PRODUTOS. NO CASO DA GASOLINA PASSA DE 13,5 (1 OCTANO E 12,5 O2)PARA 17 (8 CO2 E 9 H2O) O QUE É UMA EXPANSÃO BEM MELHOR QUE A DO HIDROGÊNIO. ALIÁS, APENAS CONSIDERANDO ESSE ASPECTO, O HIDROGÊNIO É RUIM POIS AO INVÉS DE EXPANDIR, CONTRAI: DUAS MOLÉCULAS DE H2 MAIS UMA DE O2 - 3 PORTANTO - FORMAM APENAS 2 DE ÁGUA.

3) VOCÊ CONSIDERA A QUANTIDADE DE H2 MUITO PEQUENA NO MOTOR COMPARANDO COM A QUANTIDADE DE AR QUE ENTROU NO PROCESSO, MAS ISSO SE DÁ PELA ENTRADA DE MUITO NITROGÊNIO QUE É O PRINCIPAL GÁS DO AR - 78% - MAS ELE É INERTE NO PROCESSO. ACHO QUE O VOLUME TOTAL - CONSIDERANDO TANTO NITROGÊNIO - NÃO DEVA SER UMA REFERÊNCIA IMPORTANTE. ELE APENAS OCUPA ESPAÇO, EXPANDINDO - É VERDADE - POR AUMENTO DE SUA TEMPERATURA. AO CONTRÁRIO, O HIDROGÊNIO QUE ENTRA JÁ ESTÁ MISTURADO COM O OXIGÊNIO EM QUANTIDADE EXATA PARA QUEIMÁ-LO.

GOSTARIA DE DIZER QUE NÃO VOU COMENTAR SOBRE ELETRÓLISE AGORA POIS TUDO O QUE EU ESCREVI ACIMA O FIZ POR DUAS VEZES DEVIDO A PROBLEMAS COM MINHA INTERNET... DEPOIS QUE PERDI TUDO O QUE ESCREVI, TIVE QUE ESCREVER DE NOVO. POR ISSO TAMBÉM NÃO FIZ OS CÁLCULOS QUE PROPUS.

OBRIGADO,
ESPERO TER SIDO ÚTIL.

THITO.





Ver perfil do usuário
ET-HHO-EXISTE,
OBRIGADO POR SUA EXPLICAÇÃO SOBRE AS PLACAS, MAS NÃO CONSIGO ENTENDER A IMPORTÂNCIA DAS PLACAS NEUTRAS OU A QUANTIDADE DELAS UMA VEZ QUE ELAS NÃO ESTÃO LIGADAS... PELO MENOS FOI O QUE ENTENDI.

NAS ELETRÓLISES QUE FIZ E QUE TENHO COMO REFERÊNCIA, SÃO SEMPRE DOIS ELETRODOS E O MEIO AQUOSO ENTRE ELES. E NENHUMA PLACA NEUTRA.

NÃO ENTENDI O QUE QUIS DIZER POR "THP".

OUTRA COISA: TAMBÉM QUERO ME CONVENCER DE QUE O HHO - SIGLA TOTALMENTE INADEQUADA, A NÃO SER PELO FATO DE SER UMA SIGLA - FUNCIONE, SEM TER QUE ACREDITAR EM PROMESSAS DE VENDEDORES QUE NÃO TÊM CONHECIMENTO ALGUM DO ASSUNTO, ALGUNS CLARAMENTE MAL INTENCIONADOS. QUEM SABE NÃO PROVAMOS QUE O PROCESSO É BOM?? ESSA É MINHA ESPERANÇA...

INFELIZMENTE AINDA NÃO TENHO DADOS PARA UMA CONCLUSÃO DEFINITIVA.

OBRIGADO!
THITO.





Ver perfil do usuário
thito frança escreveu:
ET-e-HHO-existe escreveu:Thito, a despeito do HHO, eu venho tentando entender os detalhes da eletrólise, por isso sua experiência será por mim muito bem vinda.

Entenda que não estou tentando aplicar a eletrólise no HHO, acho que essa seria a última opção, depois de compreendidos os mecanismos, viabilidade e quantidades para que isso funcione (se é que isso tem condições de funcinar). Como eu começei a pesquisar o assunto "eletrólise", por causa do HHO, muitas dúvidas ficaram no ar que gostaria de sanar.

ET-HHO-EXISTE,
GOSTARIA DE FAZER ALGUMAS OBSERVAÇÕES, CONSIDERANDO QUE LI VÁRIOS DE SEUS POSTS E ACHEI BASTANTE BOA SUA LINHA DE RACIOCÍNIO EM TODOS ELES.
UM QUE ME CHAMOU MUITO A ATENÇÃO FOI SOBRE A ESTEQUIOMETRIA DA COMBUSTÃO E CONCORDO COM TODOS OS CÁLCULOS QUE FEZ, CONSIDERANDO A VIAGEM DE UM CARRO POR UMA HORA A 120KM/H.

NO ENTANTO, FAÇO ALGUMAS OBSERVAÇÕES:
1)NÃO ENTENDI QUANDO CHEGA À CONCLUSÃO DE QUE O HIDROGÊNIO TEVE NO PROCESSO PODER CALORÍFICO DE APENAS 0,44% EM RELAÇÃO AO DA GASOLINA.

SEGUE ABAIXO UMA TABELA COM CALORES DE COMBUSTÃO
COMBUSTÍVEL FÓRMULA MOLECULAR ΔHo (kJ/mol)
Gasolina C8H18(l) -5400
Etanol C2H5OH(l) -1400
Hidrogênio H2(g) -290

REALMENTE, O HIDROGÊNIO LIBERA BEM MENOS CALOR POR MOL COMPARADO À GASOLINA.

RESTA CONTABILIZAR OS 9LITROS DE OCTANO LIQUIDO E OS 180 LITROS DE HHO NO ESTADO GASOSO E TRANSFORMANDO PRA MOL, PARA VER SE OS 0,44% ESTÃO CORRETOS. LEMBRANDO, DOS 180 LITROS DE HHO, SOMENTE 120 SÃO GÁS HIDROGÊNIO, POIS 60 LITROS SÃO DO OXIGÊNIO LIBERADO JUNTO NA ELETRÓLISE DA ÁGUA.

2) ALÉM DA LIBERAÇÃO DE CALOR, TEMOS QUE ANALISAR A EXPANSÃO DE VOLUME DURANTE A QUEIMA, PORQUE ISSO É O QUE GERA A ROTAÇÃO DO MOTOR. SÃO DOIS FATORES QUE INFLUENCIAM NISSO:

A - VARIAÇÃO DA TEMPERATURA EM GRAUS KELVIN. SE 300K (27 GRAUS CELSIUS) PASSAM PARA 600K (327 CELSIUS) O VOLUME DOBRA DURANTE A QUEIMA, EMPURRANDO O PISTÃO. NÃO SEI QUAL É A TEMPERATURA INTERNA DE UM MOTOR.

B - VARIAÇÃO DO NÚMERO DE MOLÉCULAS GASOSAS REAGENTES E PRODUTOS. NO CASO DA GASOLINA PASSA DE 13,5 (1 OCTANO E 12,5 O2)PARA 17 (8 CO2 E 9 H2O) O QUE É UMA EXPANSÃO BEM MELHOR QUE A DO HIDROGÊNIO. ALIÁS, APENAS CONSIDERANDO ESSE ASPECTO, O HIDROGÊNIO É RUIM POIS AO INVÉS DE EXPANDIR, CONTRAI: DUAS MOLÉCULAS DE H2 MAIS UMA DE O2 - 3 PORTANTO - FORMAM APENAS 2 DE ÁGUA.

3) VOCÊ CONSIDERA A QUANTIDADE DE H2 MUITO PEQUENA NO MOTOR COMPARANDO COM A QUANTIDADE DE AR QUE ENTROU NO PROCESSO, MAS ISSO SE DÁ PELA ENTRADA DE MUITO NITROGÊNIO QUE É O PRINCIPAL GÁS DO AR - 78% - MAS ELE É INERTE NO PROCESSO. ACHO QUE O VOLUME TOTAL - CONSIDERANDO TANTO NITROGÊNIO - NÃO DEVA SER UMA REFERÊNCIA IMPORTANTE. ELE APENAS OCUPA ESPAÇO, EXPANDINDO - É VERDADE - POR AUMENTO DE SUA TEMPERATURA. AO CONTRÁRIO, O HIDROGÊNIO QUE ENTRA JÁ ESTÁ MISTURADO COM O OXIGÊNIO EM QUANTIDADE EXATA PARA QUEIMÁ-LO.

GOSTARIA DE DIZER QUE NÃO VOU COMENTAR SOBRE ELETRÓLISE AGORA POIS TUDO O QUE EU ESCREVI ACIMA O FIZ POR DUAS VEZES DEVIDO A PROBLEMAS COM MINHA INTERNET... DEPOIS QUE PERDI TUDO O QUE ESCREVI, TIVE QUE ESCREVER DE NOVO. POR ISSO TAMBÉM NÃO FIZ OS CÁLCULOS QUE PROPUS.

OBRIGADO,
ESPERO TER SIDO ÚTIL.

THITO.






To com sono (04h20minh da manha) e não vou conferir cálculos agora, vou apenas passar a idéia por trás dos cálculos que fiz, mas antes...

Eu queria que você descrevesse como tu achas que o HHO deveria funcionar. Isso por que, para tentarmos fazer algo, precisamos ter uma teoria do que está acontecendo para poder construir tal coisa, consertar, melhorar e etc.

Eu vou dar um exemplo do que eu acho que o HHO deveria fazer:

Imagine que você tenha um punhado de carvão para acender, para fazer um churrasco. Ao carvão vamos creditar toda a energia gasta para queimar nossa carne, mas acender o carvão, isso demora certo tempo. Para não demorar muito uma quantidade certa de álcool, embebendo o carvão, vai ser muito útil. Na quantidade certa o álcool, que acende fácil, se mantém queimando até esquentar o carvão para que ele comece a se queimar sozinho. Pouco álcool deixará nosso carvão pouco aceso ou até mesmo ainda apagado, muito álcool estará queimando a carne com uma mistura de carvão+álcool, até o álcool acabar.

Como você pode notar não existe a intenção de queimar a carne no álcool, só que ele acenda mais rápido o carvão, só isso. Na adição do HHO ao combustível principal, nem preciso dizer quem faz o papel do álcool e o do carvão.

Voltando as contas, de posse dessa idéia, minhas contas tentam mostrar que para um carro em movimento na estrada, 120 km/h, a baixa produção de HHO faz existir, por assim dizer, “pouco álcool no carvão” tornando a adição de HHO inútil. Eu compararia a algumas gotas de álcool despejada na churrasqueira, onde até acender o álcool jogado seria difícil.

Outra coisa que o cálculo mostra é que não se tem a menor intenção de produzir hidrogênio em proporções de se considerar a energia liberada por ele como um auxiliar no trabalho de mover o pistão, somente um auxiliar para fazer a gasolina se acender mais rápido. Toda melhoria viria do fato da gasolina ter queimado mais rápido e o avanço da ignição poder ter sido movido para menos, causando uma redução no tempo em que o pistão queima a gasolina num movimento ascendente, ainda de compressão, causando perdas necessárias de energia, mas ainda assim perdas. Outras perdas costumam ser ditas reduzidas nesse processo, fazendo a soma da redução total dessas perdas reverter em favor do melhor aproveitamento do combustível principal, ou simplesmente um aumento na eficiência térmica do motor.

Fica difícil avaliar essas quantidades em todos os regimes de funcionamento possíveis para ver se em alguma circunstância esse quadro muda.

As contas foram feitas para demonstrar essa teoria de funcionamento do HHO. Existe uma outra teoria, na qual ele apenas auxilia a vela de ignição, coisa bem mais possível, desde que ele consiga se acender antes de boa parte da gasolina.

Resumindo, os cálculos mostram que:

- O HHO, nas quantidades normalmente oferecidas, é muito pouco para ser sentido o seu efeito na função de mover os pistões.
- O HHO na função de apenas pré-preparar a gasolina para uma queima mais rápida, também deve ser pouco.
- O HHO provavelmente não se queimará antes da gasolina, tornando sua presença inútil.
- Na hipótese de ele se queimar antes da gasolina, ai sim, ele poderia contribuir para uma ignição mais potente, pois a quantidade de HHO gerado libera mais energia que cada centelha da vela de ignição. Não é difícil achar recomendações positivas, semelhantes ao HHO, para um sistema que melhore a ignição do veiculo.

Foi esse o objetivo dos cálculos, dar dimensão a uma idéia.

Ver perfil do usuário
thito frança escreveu:ET-HHO-EXISTE,
OBRIGADO POR SUA EXPLICAÇÃO SOBRE AS PLACAS, MAS NÃO CONSIGO ENTENDER A IMPORTÂNCIA DAS PLACAS NEUTRAS OU A QUANTIDADE DELAS UMA VEZ QUE ELAS NÃO ESTÃO LIGADAS... PELO MENOS FOI O QUE ENTENDI.

NAS ELETRÓLISES QUE FIZ E QUE TENHO COMO REFERÊNCIA, SÃO SEMPRE DOIS ELETRODOS E O MEIO AQUOSO ENTRE ELES. E NENHUMA PLACA NEUTRA.
A ideia é exatamente de por em série uma porção dessas células eletrolíticas, não em paralelo, mas em série mesmo.

A função disso são duas:

1)- Reduzir a voltagem entre eletrodos proporcionalmente a quantidade de células eletrolíticas postas em séria. A intenção é que fique próximo dos 2V entre cada eletrodo.
2)- Fazer cada elétron produzir n-vezes mais gás que faria em uma associação em paralelo, onde só aumentaria a área das placas.

Assim se 86A fariam 1 LPM de HHO, considerando apenas uma única célula eletrolítica, com 7 células eletrolíticas em série apenas 12,3A teriam a mesma produção.

Isso é um resumo da ideia.

thito frança escreveu:
NÃO ENTENDI O QUE QUIS DIZER POR "THP".
Você fez duras críticas ao THP (“Triedoxido de hidróxido de potássio”). Pensei que tu ia fazer a “caça as bruxas” geral no HHO, que já começa errado pelo nome e teoria por trás desse nome (pesquise sobre Ruggero Santilli).

Pelo que te entendi, o caso THP foi uma indignação localizada.

thito frança escreveu:
OUTRA COISA: TAMBÉM QUERO ME CONVENCER DE QUE O HHO - SIGLA TOTALMENTE INADEQUADA, A NÃO SER PELO FATO DE SER UMA SIGLA - FUNCIONE, SEM TER QUE ACREDITAR EM PROMESSAS DE VENDEDORES QUE NÃO TÊM CONHECIMENTO ALGUM DO ASSUNTO, ALGUNS CLARAMENTE MAL INTENCIONADOS. QUEM SABE NÃO PROVAMOS QUE O PROCESSO É BOM?? ESSA É MINHA ESPERANÇA...

INFELIZMENTE AINDA NÃO TENHO DADOS PARA UMA CONCLUSÃO DEFINITIVA.

OBRIGADO!
THITO.
Embora já tenha acreditado no HHO pela ideia por trás disso, as quantidades me desanimaram. Embora desanimado, procuro informar aos mais entendidos na ciência que não detonem o HHO depois de uma compreensão parcial da proposta, em especial comparando-a ao “moto - continuo”, já li várias vezes essa argumentação. Procuro retirar o excesso de ilusões que a internet provoca em torno do HHO, fazendo as pessoas acreditarem que terão retorno certo no dinheiro investido. Aos que querem acreditar e testar ao limite o que se pode tirar dessa idea, dou meu incentivo e apoio, desde que devidamente alertados dos possíveis gastos inúteis, pois para esses até provar que isso não funciona já é um objetivo, ou querem mais saber a verdade do que obter algum lucro imediato.

Não sou contra o lucro e uma venda honesta.

Ver perfil do usuário

13 churrasqueira em Qui 13 Out 2011, 17:05

To com sono (04h20minh da manha) e não vou conferir cálculos agora, vou apenas passar a idéia por trás dos cálculos que fiz, mas antes...

Eu queria que você descrevesse como tu achas que o HHO deveria funcionar. Isso por que, para tentarmos fazer algo, precisamos ter uma teoria do que está acontecendo para poder construir tal coisa, consertar, melhorar e etc.

Eu vou dar um exemplo do que eu acho que o HHO deveria fazer:

Imagine que você tenha um punhado de carvão para acender, para fazer um churrasco. Ao carvão vamos creditar toda a energia gasta para queimar nossa carne, mas acender o carvão, isso demora certo tempo. Para não demorar muito uma quantidade certa de álcool, embebendo o carvão, vai ser muito útil. Na quantidade certa o álcool, que acende fácil, se mantém queimando até esquentar o carvão para que ele comece a se queimar sozinho. Pouco álcool deixará nosso carvão pouco aceso ou até mesmo ainda apagado, muito álcool estará queimando a carne com uma mistura de carvão+álcool, até o álcool acabar.

Como você pode notar não existe a intenção de queimar a carne no álcool, só que ele acenda mais rápido o carvão, só isso. Na adição do HHO ao combustível principal, nem preciso dizer quem faz o papel do álcool e o do carvão.

Voltando as contas, de posse dessa idéia, minhas contas tentam mostrar que para um carro em movimento na estrada, 120 km/h, a baixa produção de HHO faz existir, por assim dizer, “pouco álcool no carvão” tornando a adição de HHO inútil. Eu compararia a algumas gotas de álcool despejada na churrasqueira, onde até acender o álcool jogado seria difícil.

Outra coisa que o cálculo mostra é que não se tem a menor intenção de produzir hidrogênio em proporções de se considerar a energia liberada por ele como um auxiliar no trabalho de mover o pistão, somente um auxiliar para fazer a gasolina se acender mais rápido. Toda melhoria viria do fato da gasolina ter queimado mais rápido e o avanço da ignição poder ter sido movido para menos, causando uma redução no tempo em que o pistão queima a gasolina num movimento ascendente, ainda de compressão, causando perdas necessárias de energia, mas ainda assim perdas. Outras perdas costumam ser ditas reduzidas nesse processo, fazendo a soma da redução total dessas perdas reverter em favor do melhor aproveitamento do combustível principal, ou simplesmente um aumento na eficiência térmica do motor.

Fica difícil avaliar essas quantidades em todos os regimes de funcionamento possíveis para ver se em alguma circunstância esse quadro muda.

As contas foram feitas para demonstrar essa teoria de funcionamento do HHO. Existe uma outra teoria, na qual ele apenas auxilia a vela de ignição, coisa bem mais possível, desde que ele consiga se acender antes de boa parte da gasolina.

Resumindo, os cálculos mostram que:

- O HHO, nas quantidades normalmente oferecidas, é muito pouco para ser sentido o seu efeito na função de mover os pistões.
- O HHO na função de apenas pré-preparar a gasolina para uma queima mais rápida, também deve ser pouco.
- O HHO provavelmente não se queimará antes da gasolina, tornando sua presença inútil.
- Na hipótese de ele se queimar antes da gasolina, ai sim, ele poderia contribuir para uma ignição mais potente, pois a quantidade de HHO gerado libera mais energia que cada centelha da vela de ignição. Não é difícil achar recomendações positivas, semelhantes ao HHO, para um sistema que melhore a ignição do veiculo.

Foi esse o objetivo dos cálculos, dar dimensão a uma idéia.
[/quote]


Bom, antes de mais nada, sua comparação com a churrasqueira é muito boa, mas pra ter certeza de que a presença do hidrogênio é tão insignificante, precisamos fazer os cálculos que propus.
Considerando então um carro a 120km/h com consumo de 9litros de gasolina e 180 litros de HHO após 1hora de viagem.
GASOLINA
Considerando 9 litros de gasolina, a uma densidade de 0,75g/mL, são 6750g de octano, aproximadamente. A massa molar de C8H18 é de 114g. Dividindo 6750 por 114, temos 59,2 mols de octano. Jogando na equação termoquímica, se cada mol libera 5400kJ, temos a liberação de 59,2 x 5400 = 319680; aproximadamente 320 mil kJ.
HIDROGÊNIO
No caso do hidrogênio, dos 180 litros de gás produzido na eletrólise, na realidade temos 120L, pois 60 são oxigênio. No estado gasoso, as moléculas estão muito mais espalhadas, e temos que usar a equação dos gases pra fazer o cálculo de mol.
Assim, PV=nRT, sendo P pressão em atm; V volume em litros; n número de mols; R constante 0,082; T temperatura em kelvin. Considerando que o pessoal mede a produção do gás na célula mergulhando em um balde com água e medindo o gás liberado à pressão atmosférica, nossa pressão é 1atm aproximadamente, e a temperatura em kelvin é de 293k, o que dá 20oC.
1atm . 120 litros = n . 0,082 . 293k
n = 24 / 120 = 0,2 mol.

Na equação termoquímica, 0,2 mol vezes 290 kJ, dá apenas 58kJ. Contra 320.000kJ da gasolina. 58 dividido por 320000, vezes 100, representam 0,018% do poder calorífico da gasolina no processo.

Realmente, apesar de não bater com seus 0,44%, os meus cálculos indicam também a insignificância do H2 no processo de combustão do motor. Considerando que em variação de número de moléculas o hidrogênio produz menos moléculas depois da queima do que existe antes, sua contribuição na expansão dos gases e da câmara do pistão é ainda menor.

O incrível é que eu vi um video mostrando um motor estacionário a gasolina funcionando, depois eles cortam a gasolina e fazem o motor funcionar de novo a hidrogênio... apenas a hidrogênio. Vou até procurar esse video de novo.

Mais uma vez, sua comparação com a churrasqueira é bem ilustrativa. Não acredito que o hidrogênio possa ajudar a gasolina em nada. Pode ser que queime antes, ajudando a gasolina, mas a parte do funcionamento do motor, momento de explosão etc eu não entendo o suficiente para me atrever a escrever sobre.

Espero ter contribuído.

Thito.





Ver perfil do usuário

14 churrasqueira 2 em Qui 13 Out 2011, 17:07

Ainda seguindo a mesma lógica, se quisermos calcular quanto de hidrogênio seria necessário para equiparar com a gasolina em poder calorífico, temos a seguinte comparação:

Um mol de gás hidrogênio libera 290 kJ. Queremos chegar a 320000 kJ que é o que um carro mil consome usando gasolina a 120km/h durante 1 hora.

320 mil / 290 = 1103 mil mols de hidrogênio necessários.

Jogando na equação dos gases,
1 . V = 1103 . 0,082 . 293
V = 26500 litros de H2 em uma hora
ou seja, 442 litros de H2 por minuto. Lembrando que o hidrogênio representa 66% do HHO,
442 representa 66
x representa 100

x = 670 litros de HHO por minuto.

Realmente, uma célula que produz 3 litros de HHO por minuto não consegue contribuir jamais com uma economia de 50% ou 60% de gasolina, como apregoam por aí.

Lamentável que tantos estejam gastando - e muito - pra equipar seus carros numa esperança inútil. E enriquecendo espertos.

Por favor, confiram meus cálculos pra que nenhuma dúvida permaneça. Espero não ter cometido nenhum erro.

Um abraço!!
Thito.



Ver perfil do usuário
Thito, apesar das diferenças nos cálculos, fica notório, nos dois cálculos, a baixa quantidade de gás hidrogênio. Quando essas esperiências foram feitas por instituições sérias como a NASA, Unicamp, foram usados cilindros de gás hidrogênio com farta oferta do gás. Mesmo assim eles só conseguiram poucos porcentos de melhoria.

Eu acho que as antigas esperiências, feitas com cilindros de hidrogênio, devariam ser retomadas. Só assim se saberia quanto do hidrogênio seria necessário e que melhorias seriam sentidas. Depois, se ainda fosse viável, dúvido muito, então poderia tentar usar a eletrólise on-board, on-line.

Para justificar a ínfima quantidade, apareceram as teorias dos magneculares (Ruggero Santilli), orto-hidrogênio e outras.

Esse ano foi feita uma experiência na Unicamp para comprovar a viabilidade do HHO, resultado: "nenhum beneficio foi percebido" - foram essas as palavras do professor que conduziu as pesquisas. Ele me prometeu passar o estudo após edição/preparação do documento, que esta aos cuidados de um aluno dele. Só por esse motivo eu já deveria não procurar mais resultados positivos para o HHO, mas a teimosia e falta de detalhes sobre as pesquisas da Unicamp, ainda me fazem continuar

Ver perfil do usuário

skillmarco


Rank : 0
Rank : 0
Olá,

É a primeira vez que escrevo aqui, porem já acompanho o forum a mais de um ano, tenho uma Zafira 2004 que anda com auxilio de hidrogenio a mais de um ano, e posso afirmar que nestes mais de 12 meses que utilizo consegui o seguinte: no começo consegui um aumento de potencia mas como tenho um amigo que tem uma aficina muito bem equipada fizemos varios testes e verificamos que a potencia aumentou porque houve um aumento de oxigenio registrado na sonda lambda o que faz com que o modulo faça com que os bicos fiquem mais tempo aberto para melhorar a queima o que acaba por aumentar a potencia, consegui após varios testes e muitos aparelhos fazer um onde estamos separando o hidrogenio do oxigenio,que acabou por resultar em uma melhor queima na camara de combustão que foi confirmada ao fazer o teste´´ controlar`` onde foi constatado a diminuiçaõ de emissão de co2 tanto em marcha lenta como em alta rotação, quanto a economia de combustivel........ não houve muita melhora no geral, consegui fazer 14,5 km/l por duas vezes mas a média geral é de 13,5 km/l sempre andando a gasolina, com o aparelho atual não preciso fazer nada (sem pwm, sem prolongador, sem interferir no map,) estamos fazendo um novo aparelho para a próxima semana com augumas modificações, assim que tiver novidades retorno.. um abraço a todos

Ver perfil do usuário http://www.skillemblemas.com.br
ET-e-HHO-existe escreveu:Thito, apesar das diferenças nos cálculos, fica notório, nos dois cálculos, a baixa quantidade de gás hidrogênio. Quando essas esperiências foram feitas por instituições sérias como a NASA, Unicamp, foram usados cilindros de gás hidrogênio com farta oferta do gás. Mesmo assim eles só conseguiram poucos porcentos de melhoria.

Eu acho que as antigas esperiências, feitas com cilindros de hidrogênio, devariam ser retomadas. Só assim se saberia quanto do hidrogênio seria necessário e que melhorias seriam sentidas. Depois, se ainda fosse viável, dúvido muito, então poderia tentar usar a eletrólise on-board, on-line.

Para justificar a ínfima quantidade, apareceram as teorias dos magneculares (Ruggero Santilli), orto-hidrogênio e outras.

Esse ano foi feita uma experiência na Unicamp para comprovar a viabilidade do HHO, resultado: "nenhum beneficio foi percebido" - foram essas as palavras do professor que conduziu as pesquisas. Ele me prometeu passar o estudo após edição/preparação do documento, que esta aos cuidados de um aluno dele. Só por esse motivo eu já deveria não procurar mais resultados positivos para o HHO, mas a teimosia e falta de detalhes sobre as pesquisas da Unicamp, ainda me fazem continuar

BOM, AMIGO, FICA OUTRO DESAFIO: O CARRO ELÉTRICO. SILENCIOSO, SEM TANQUE DE COMBUSTÍVEL, REALMENTE NÃO POLUENTE, VOCÊ CARREGA NA TOMADA À NOITE E SAI COM ELE CEDO DE MANHÃ. COLOCA UMAS PLACAS SOLARES NO TETO DA CASA PRA DIMINUIR O IMPACTO NA CONTA DE LUZ...

NA VERDADE, CONHEÇO UM SITE DE UM RAPAZ DO SUL QUE FEZ UM FIAT 147 FUNCIONAR EXCLUSIVAMENTE A ELETRICIDADE, COM MOTOR ELÉTRICO. MUITO INTERESSANTE. VOU PESQUISAR NOVAMENTE O SITE E DEPOIS DEIXO O ENDEREÇO AQUI.

UM ABRAÇO!!!

Ver perfil do usuário
skillmarco escreveu:Olá, ...
consegui após varios testes e muitos aparelhos fazer um onde estamos separando o hidrogenio do oxigenio,que acabou por resultar em uma melhor queima na camara de combustão que foi confirmada ao fazer o teste´´ controlar`` onde foi constatado a diminuiçaõ de emissão de co2 tanto em marcha lenta como em alta rotação, quanto a economia de combustivel........ não houve muita melhora no geral,...

Caro SkillMarcos, verifique se houve diminuição de CO2, ou de CO, pois são gases diferentes e muitas vezes confundidos.
Aguardo seu resposta, obrigado.

Ver perfil do usuário

skillmarco


Rank : 0
Rank : 0
Olá, ET

Segue abaixo cópia dos dados do relatorio:
gases em marcha lenta HCc 15,45 PPM Vol
CO 0,02 % vol
CO2 14,50 % vol
CO Corr 0,02 % vol
F.diluiç 1,03 % vol
gases em aceleração HCc 10,20 PPM Vol
CO 0,10 % vol
CO2 14,60 % vol
CO Corr 0,10 % vol
F.diluiç 1,02 % vol
este teste foi feito em 03/03/2011 tentei colocar a foto do relatório mas não consegui.

Ver perfil do usuário http://www.skillemblemas.com.br
skillmarco escreveu:Olá, ET

Segue abaixo cópia dos dados do relatorio:
gases em marcha lenta HCc 15,45 PPM Vol
CO 0,02 % vol
CO2 14,50 % vol
CO Corr 0,02 % vol
F.diluiç 1,03 % vol
gases em aceleração HCc 10,20 PPM Vol
CO 0,10 % vol
CO2 14,60 % vol
CO Corr 0,10 % vol
F.diluiç 1,02 % vol
este teste foi feito em 03/03/2011 tentei colocar a foto do relatório mas não consegui.

Obrigado pela resposta, mas... sem uma referência anterior, de como o carro estava antes do HHO, fica dificil ver o que melhorou.

Tu teria os resultados de como era o carro antes do HHO, ou um relatório desses anterior ao HHO?

Ver perfil do usuário
O “porque” de eu duvidar de certas afirmações otimistas:
O colega, citado abaixo, alega um aumento de potência no carro com a instalação do HHO pela sonda lambda ter detectado um aumento na taxa de oxigênio, medidos através de aparelhos precisos...

skillmarco escreveu:.... no começo consegui um aumento de potencia mas como tenho um amigo que tem uma aficina muito bem equipada fizemos varios testes e verificamos que a potencia aumentou porque houve um aumento de oxigenio registrado na sonda lambda o que faz com que o modulo faça com que os bicos fiquem mais tempo aberto para melhorar a queima o que acaba por aumentar a potencia...

Essa afirmação é recorrente em várias explicações sobre HHO, que terminam por fazer você comprar o controvertido EFIE. O EFIE é controvertido porque é inocência pensar que um aparelho analógico simples vai confundir a centralina e fazê-la pensar que tem menos gás oxigênio restante da queima, o máximo que isso vai conseguir e dizer para centralina que a sonda está com defeito e deve ser ignorada, fazendo o carro funcionar sem controle da melhor mistura. Há quem diga que isso é uma tenttiva descarada de forçar uma mistura pobre, mas temo que nem isso a EFIE consiga fazer.

Essa afirmação da sobra de oxigênio é errada porque o HHO, que é a mistura de vapor d´água em quantidades indefinidas + atomizações do eletrólito em pequeníssimas quantidades + 1 medida de gás oxigênio para duas de gás hidrogênio, possuem os reagentes químicos (hidrogênio + oxigênio) na medida exata para não sobrar nada de sua reação de queima. Se sobrar gás oxigênio do que foi injetado pelo HHO, então o gás hidrogênio que o acompanha não foi queimado, difícil acreditar nessa.

Essa afirmação da sobra de oxigênio é errada porque a quantidade de oxigênio que um carro respira do próprio ar é muitíssimo maior que os míseros 300ml por minuto de oxigênio oferecidos por um gerador de HHO. Olhe o exemplo do Clio 1,0 16V, que em 5ª marcha, 100km/h, tem uma rotação de 3500RPMs, em 1 minuto esse carro deveria ter aspirado 1750 litros de ar por minuto, mas jogando um eficiência volumétrica baixa, para diminuir isso, digamos que ele aspirou apenas metade disso, ou 875 litros. Sabendo que 21% do ar é gás oxigênio então ele terá aspirado 184 litros de gás oxigênio do próprio ar, ou 612 vezes mais oxigênio do que o que o gerador de HHO injetou no mesmo minuto, isso imaginando que o gás hidrogênio que entrou junto não tenha sido queimado para consumir por inteiro o suposto excesso de oxigênio.

Agora, o vapor que entra em quantidades indefinidas, e tocam os sensores MAP ou MAF na entrada de ar, esse sim pode ter dado um indicação errada da massa de ar que entrou no motor, fazendo a centralina falhar no calculo. Lembre-se que tu está injetando o HHO bem próximo desses sensores e talvez em cima deles, causando uma real adulteração na quantidade de ar admitida. Isso não tem nada haver com sobra de oxigênio sentida na sonda lambda.

Só posso imaginar que esses resultados foram produtos de uma mente viciada nas propagandas de HHO que queriam ver esses valores na sonda lambda e não notaram as alterações no MAP/MAF. Não vou nem imaginar que esse teste jamais tenha sido feito.

Outra possibilidade é que uma instalação mau feita do HHO tenha produzido um efeito benéfico, com grande risco, mas que por enquanto está sendo benéfico. Se um pouco de água, além do excesso de vapor que algumas instalações de HHO produzem, se essas condições conseguiram acontecer ao mesmo tempo, sem causar calço hidráulico no motor (ai está o risco), então a água, não o HHO, terá esfriado o ar que entrava no pistão permitindo um maior entrada de ar, ou aumento da eficiência volumétrica do motor. Colocar um turbo no carro é o mesmo que colocar um aparelho que aumenta a eficiência volumétrica do motor causando mais potência, justo pela adição de mais oxigênio, vindos do próprio ar, que exigirá mais combustível e fornecerá mais potência. Caro SkillMarco, será que o seu amigo, super equipado, pensou nessa possibilidade?

Nota: Pra quem não entendeu o que é eficiência volumétrica, é simples, se um cilindro tem um volume interno de 250 mililitros e quando seu pistão é puxado para baixo, com as válvulas de entrada abertas, não existir tempo suficiente para que o ar preencha completamente o pistão na pressão atmosférica local, então dizemos que nessa velocidade de preenchimento o motor teve um taxa de preenchimento do pistão de x%, ou x% de eficiência volumétrica. Isso define a potência do motor.

Ver perfil do usuário
skillmarco escreveu:... consegui após varios testes e muitos aparelhos fazer um onde estamos separando o hidrogenio do oxigenio,que acabou por resultar em uma melhor queima na camara de combustão que foi confirmada ao fazer o teste´´ controlar`` onde foi constatado a diminuiçaõ de emissão de co2 tanto em marcha lenta como em alta rotação...

Infelizmente o colega não diz quais os valores das emissões anteriores, só as atuais, como se isso sozinho provasse alguma coisa. Afinal, como estava o carro dele antes do HHO, quem vai saber? As medidas foram feitas com ou sem catalisador? Lembre-se que o catalisador, tem por uma de suas funções transformar CO em CO2.

Emitir CO2 é inevitável para um motor à combustão interna movido a combustíveis a base de carbono, como os provenientes do petróleo, ou álcool. Só se emite menos CO2 se for queimado menos combustível, ou se parte do combustível não se queimou completamente. No caso de parte do combustível ainda estar sem queimar, ou ele esta como o perigosíssimo CO, ou hidrocarbonetos íntegros, sem queima alguma.

Se um motor reduz a quantidade de CO, isso é louvável, mesmo aumentando proporcionalmente o CO2, resultado da queima do CO. Se ele reduz a quantidade de hidrocarbonetos, melhor ainda, pois estes ainda são vapores do próprio combustível sem queimar. Se reduz os depósitos de carbono, ou fuligens, também é indicativo de uma queima perfeita, sem sobras de combustíveis para queimar, afinal o carbono também é combustível não queimado. Só que se todo combustível for queimado, como dito antes, aumentará a quantidade de CO2, diminuindo as perdas com combustíveis não queimados. Nesse caso o aumento de CO2 é bem vinda, com a redução dos outros.

Como dito antes, se foi diminuído os níveis de CO2 sem aumentar os outros índices, então foi queimado menos combustível e teve economia. Esses valores devem ser medidos adequadamente e com referências anteriores.

Se o efeito dito pelo colega realmente foi alcançado, e não é erro na forma de medir, poderia dizer que a melhor queima do combustível resultou em um aumento na eficiência do motor que passou a gerar mais potência com menos combustível, menos emissões. Só não bate a ideia de que retirar o oxigênio do HHO fez toda essa diferença, afinal, a redução nos níveis de oxigênio teriam sido de apenas 0,33% do montante de ar aspirado, isso imaginando a conta feita no comentário anterior.

O que tu fez realmente nesse meio tempo, entre o carro mais potente com injeção de HHO e o carro menos poluente com injeção de apenas gás hidrogênio? Eu quero acreditar em você mais as informações não batem, não fazem sentido, o que tu fez além do que tu acha que fez efeito? Quais as outras modificações e onde você deu entrada ao HHO, e ao hidrogênio?

Informações descabidas, soltas entre algumas supostas bem feitas medidas, só porque você tinha muitos aparelhos para usar, só dão um ar de profissionalismo para quem não entende nada do assunto. Desculpa, detalha isso melhor se tu quer contribuir, tá muito rala suas informações, rala e desencontradas.

Ver perfil do usuário

acalister


Rank : 5
Rank : 5
thito frança escreveu:
ET-e-HHO-existe escreveu:Thito, apesar das diferenças nos cálculos, fica notório, nos dois cálculos, a baixa quantidade de gás hidrogênio. Quando essas esperiências foram feitas por instituições sérias como a NASA, Unicamp, foram usados cilindros de gás hidrogênio com farta oferta do gás. Mesmo assim eles só conseguiram poucos porcentos de melhoria.

Eu acho que as antigas esperiências, feitas com cilindros de hidrogênio, devariam ser retomadas. Só assim se saberia quanto do hidrogênio seria necessário e que melhorias seriam sentidas. Depois, se ainda fosse viável, dúvido muito, então poderia tentar usar a eletrólise on-board, on-line.

Para justificar a ínfima quantidade, apareceram as teorias dos magneculares (Ruggero Santilli), orto-hidrogênio e outras.

Esse ano foi feita uma experiência na Unicamp para comprovar a viabilidade do HHO, resultado: "nenhum beneficio foi percebido" - foram essas as palavras do professor que conduziu as pesquisas. Ele me prometeu passar o estudo após edição/preparação do documento, que esta aos cuidados de um aluno dele. Só por esse motivo eu já deveria não procurar mais resultados positivos para o HHO, mas a teimosia e falta de detalhes sobre as pesquisas da Unicamp, ainda me fazem continuar

BOM, AMIGO, FICA OUTRO DESAFIO: O CARRO ELÉTRICO. SILENCIOSO, SEM TANQUE DE COMBUSTÍVEL, REALMENTE NÃO POLUENTE, VOCÊ CARREGA NA TOMADA À NOITE E SAI COM ELE CEDO DE MANHÃ. COLOCA UMAS PLACAS SOLARES NO TETO DA CASA PRA DIMINUIR O IMPACTO NA CONTA DE LUZ...

NA VERDADE, CONHEÇO UM SITE DE UM RAPAZ DO SUL QUE FEZ UM FIAT 147 FUNCIONAR EXCLUSIVAMENTE A ELETRICIDADE, COM MOTOR ELÉTRICO. MUITO INTERESSANTE. VOU PESQUISAR NOVAMENTE O SITE E DEPOIS DEIXO O ENDEREÇO AQUI.

UM ABRAÇO!!!
caro professor Thito
Como assim carro eletrico ( realmente não poluente) ele não utiliza bateria? o que acontece com as 40 baterias em 2 anos? vc faz o que com as baterias? recicla como? joga no lixão? Gostaria de saber que tipo de baterias são essas que não poluem o meio ambiente.

Ver perfil do usuário
thito frança escreveu:
ET-e-HHO-existe escreveu:Thito, apesar das diferenças nos cálculos, fica notório, nos dois cálculos, a baixa quantidade de gás hidrogênio. Quando essas esperiências foram feitas por instituições sérias como a NASA, Unicamp, foram usados cilindros de gás hidrogênio com farta oferta do gás. Mesmo assim eles só conseguiram poucos porcentos de melhoria.
Eu acho que as antigas esperiências, feitas com cilindros de hidrogênio, devariam ser retomadas. Só assim se saberia quanto do hidrogênio seria necessário e que melhorias seriam sentidas. Depois, se ainda fosse viável, dúvido muito, então poderia tentar usar a eletrólise on-board, on-line.
Para justificar a ínfima quantidade, apareceram as teorias dos magneculares (Ruggero Santilli), orto-hidrogênio e outras.
Esse ano foi feita uma experiência na Unicamp para comprovar a viabilidade do HHO, resultado: "nenhum beneficio foi percebido" - foram essas as palavras do professor que conduziu as pesquisas. Ele me prometeu passar o estudo após edição/preparação do documento, que esta aos cuidados de um aluno dele. Só por esse motivo eu já deveria não procurar mais resultados positivos para o HHO, mas a teimosia e falta de detalhes sobre as pesquisas da Unicamp, ainda me fazem continuar
BOM, AMIGO, FICA OUTRO DESAFIO: O CARRO ELÉTRICO. SILENCIOSO, SEM TANQUE DE COMBUSTÍVEL, REALMENTE NÃO POLUENTE, VOCÊ CARREGA NA TOMADA À NOITE E SAI COM ELE CEDO DE MANHÃ. COLOCA UMAS PLACAS SOLARES NO TETO DA CASA PRA DIMINUIR O IMPACTO NA CONTA DE LUZ...
NA VERDADE, CONHEÇO UM SITE DE UM RAPAZ DO SUL QUE FEZ UM FIAT 147 FUNCIONAR EXCLUSIVAMENTE A ELETRICIDADE, COM MOTOR ELÉTRICO. MUITO INTERESSANTE. VOU PESQUISAR NOVAMENTE O SITE E DEPOIS DEIXO O ENDEREÇO AQUI.
UM ABRAÇO!!!
Pois é Thito, essa é uma solução realmente eficaz, o uso da eletricidade, mas voltando ao HHO, percebe como aparecem os mitos no HHO? A menos que esteja acontecendo à transmutação da matéria, de onde veio o oxigênio extra?

Foi admitida uma quantidade de ar, a centralina calculou a quantidade de gás oxigênio que deveria existir, fez a mistura estequiométrica de combustível+oxigênio, entrou uma parcela ínfima de oxigênio a mais, vinda do HHO, coisa de 1,6 mililitros para cada litro de oxigênio aspirado. As pessoas leem que entrou oxigênio puro sem conhecer as quantidades, a frase “entrou a mais oxigênio puro” faz grande efeito na cabeça das pessoas, só que motor não pensa e não se impressiona com isso. Como 1,6 mililitros a mais por litro pode fazer a diferença? Então será que apareceu mais oxigênio que isso, terá vindo da transmutação da matéria? Se o HH do HHO sumisse, fazendo uma mistura que se desviou da estequiométrica em 0,16%, com essa alegada sobra de oxigênio, isso ainda é muito pouco, a sonda nem vai sentir. Sobrar oxigênio porque a queima foi perfeita, impossível. Percebe a informação desencontrada?

A única coisa, que apesar de pouco, entrou a mais 100% com o HHO é o gás hidrogênio, já que apesar do próprio combustível esta cheio de átomos de hidrogênio eles estão presos no carbono. Esse gás hidrogênio livre, vindo do HHO, que esta presente minimamente no inicio da combustão, esse até poderia ter algum efeito benéfico, se fosse o suficiente para queimar-se antes da gasolina, caso contrario ele fica que nem o oxigênio extra, muito pouco para qualquer coisa, pois durante a queima da gasolina não vai faltar átomos de hidrogênio virando água, vindos do próprio combustível.

Agora, tu sabe disso, eu também, outros também, mas a grande maioria fica impressionado com o oxigênio e hidrogênio puro injetado pelo HHO, gases quase mágicos, super poderosos, sem saber que durante uma combustão normal não faltam esses elementos em abundancia, muito mais que o injetado pelo HHO. Por isso se o HHO faz algum efeito, tem de ser antes do combustível principal se queimar e só dá pra contar com o efeito do gás hidrogênio, podendo mesmo se desprezar se entrou ou não gás oxigênio junto, proveniente do gerador de HHO.

Tu não acha que o colega do Zafira deveria entender melhor do que está mexendo, antes de acreditar e supostamente confirmar uma porção de informações desencontradas, achadas na internet, acreditadas porque impressiona mais do que funciona?



Última edição por ET-e-HHO-existe em Dom 23 Out 2011, 01:56, editado 1 vez(es)

Ver perfil do usuário
Skill, eu quero acreditar em você, mas entenda melhor o que acontece, limpa a sua mente das coisa mau inventadas sobre HHO que tu leu na internet. Eu confio mais na sua intuição vinda de uma mente limpa, sem adição de HHO nela, do que na sua tentativa de confirmar as sandices divulgadas na internet sobre HHO.

Tu pode ter encontrado algo realmente interessante, mas pode até não ser o HHO o responsável. Seja lá o que for, tu que conseguiu replicar o efeito, descubra o que está acontecendo.

Esquece o que tu leu na internet, 90% do que se diz sobre o HHO está errado e é repetido a exaustão até ser acreditado.

Ver perfil do usuário

Conteúdo patrocinado


Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo  Mensagem [Página 1 de 2]

Ir à página : 1, 2  Seguinte

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum