Para quem quer poupar combustivel !


Você não está conectado. Conecte-se ou registre-se

Mistura pobre - O MITO

Ir à página : Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo  Mensagem [Página 2 de 8]

26 Re: Mistura pobre - O MITO em Dom 28 Out 2012, 00:40

h-roo


Rank : 5
Rank : 5
ET-e-HHO-existe escreveu:Hugo, tu disse que anular um pistão, de um mesmo carro/motor, não provoca economia, somente enfraquece o carro e reeduca o motorista a não pisar muito e ter uma direção mais econômica.

A explicação para isso, segundo você, é que a energia gasta pelo mesmo motor em baixa potência, com um pistão a menos ou não, será sempre a mesma para empurrar o carro em mesma condição, então não haveria economia só fraqueza do motor.

Vou dizer da minha forma: Para mover um carro, contra o atrito, a velocidade constante, uma certa quantidade de energia é necessária. Se usarmos motores diferentes (até de potências diferentes) com capacidade de fornecer tal energia, então todos os motores podem mover tal carro em tais condições e consumindo a mesma coisa. Isso é uma espécie de “conservação da energia”.

Agora vamos dizer que ao invés de desligar um pistão, nós usamos mistura pobre, isso também diminui a potência máxima do motor, mas como no caso anterior, se dentro da potência que esse motor pode ainda oferecer, então um carro com mistura pobre ou estequiométrica não deveria ter consumos diferentes, não deveria existir economia com mistura pobre.

O que tu achas?

Em primeiro lugar eu condenei desligar UM pistão, dá treme-treme. Falei do Charger que retirou 4 (metade) pistões...com consequente economia e perda de potência, ainda assim de sobra, pois tinha perto de 200HP originais.
Fazer isso eletronicamente com um motorista deseducado vira em nada, vai pisar mais e compensar a diminuição de combustivel. Se for educadinho com mistura pobre corre o risco de furar pistão

Melhor então passar a se educar e dirigir de maneira economica um carro normal, sem gambiarra.

A diferença de um motor mais fraco de um motor mais forte, andando os dois em condições exatamente iguais, teoricamente gastarão a mesma coisa, apenas o segundo tem uma potencial sobre de potencia, e é ai que aparece a diferença de consumo, quando os dois motoristas resolvem aproveitar as potencias disponiveis para uma retomada de velocidade e ou ultrapassagem.

Ver perfil do usuário

27 Re: Mistura pobre - O MITO em Dom 28 Out 2012, 00:48

h-roo


Rank : 5
Rank : 5
ET-e-HHO-existe escreveu:
h-roo escreveu:
ET-e-HHO-existe escreveu:
h-roo escreveu:
ET-e-HHO-existe escreveu:
h-roo escreveu:...O FHCia deixaria tudo entrar, postou o Brasil de 4....rsrs
Quer ser escravo das batgerias também?
Quer ver teus impostos subsidiando baterias?

Postou um fiolminho ontem mostrando a incoerencia do consumismo, do descarte...agora virou de lado?

Hugo, o que é um "desmontugado"?

Hugo, os caras lá fora vendem carros por $20 mil, dão desconto de $8mil, isso para o cara deixar de querer o super esportivo e se conformar com um ecológico. Tu quer que eu peça bênça para as montadores, estrangeiras, que vem aqui fazer coco? Fala sério!

O único setor industrial que nunca sofre crises é a indústria de armas...portanto guerras são criadas também artificialmente.
Com os irmãos galácticos chegando e pondo fim a essa bagunça exploratória através de guerras e expoliação, será o fim da cabala negra e sua dominação...a liberdade da humanidade está próxima.

Os americanos são o povo mais individado do planeta...os EEUU o país mais falido do mundo...tudo isso sendo mantido por um artificialismo que não se sustenta mais...a queda está próxima.
Na agricultura oe EEUU só se sustentam com embargos, com protecionismos e altos subsídios, geradores do individamente...exploravam o mundo para sustentar esse artificialismo, mas os tentáculos suga-suga estão sendo extirpados...os EEUU dentro de pouco tempo vão ter que se reinventar.

Por causa disso eu tenho de comprar feliz um carro merda de uma empresas estrangeira, sem a opção de ter um híbrido barato? Ter os isteitis seus problemas não prova que dar protecionismo a estrangeiros, que se instalaram no país para nos explorar, é a melhor opção

Só que eu não quero um artificialismo em que tenha de arcar com meu imposto para que tu tenha subsídio na compra de um híbrido, correto?...dá pra entender?
Nos EEUU a gasolina é mais barata que aqui porque o governo gasta bilhões de dólares recolhidos também de quem não tem carro para subsidiar a mesma. Em compensação lá o diesel é mais caro que a gasolina.

Outra coisa, o grosso da energia nos EEUU é fornecido por usinas nucleares.
Queres que o Brasil também tenha que aumentar a construção de usinas nucleares para num futuro poder abastecer os híbridos?
Noss potencialidade hidrica para usinas está próxima do limite.

Hugo, hibrido não é exclusivamente elétrico, pode mesmo nunca ficar conectado a uma tomada e tirar toda sua energia apenas da gasolina.

Eu até gostaria que alguém pagasse um pouco do valor do carro que eu quero usar (quer mandar uma contribuição?), mas já acharia justo que não cobrassem impostos punitivos de quem quer um carro hibrido só para proteger as montadoras estrangeiras que vem para o Brasil fazer carros merdas, mesmo tendo carros bons em outros países.

Se fosse proteger brasileiros fazendo carros merdas, mas deixar os estrangeiros vir para cá fazer carros merdas e protegê-los..

Se as montadoras tivessem a honestidade de fazer os mesmo carros aqui que fazem lá fora, cobrar um preço justo uma vez que não precisou importar e teve mão de obra escrava, então eu quase aceitaria um protecionismozinho. Mas nem chega perto disso, correto?

Se nós não tivessemos sido protecionistas em duas ocasiões Getúlio Vargas e Jango, nem industria de automóveis aqui teriamos, nenhuma siquer pra tu ficar brigando, a exemplo do Chile, que sempre deixou as porteiras abertas e hoje se estrebucham plantando frutas e minerando o resto das reservas de cobre para exportação e para bancar a importação de carros.

Ver perfil do usuário

28 Re: Mistura pobre - O MITO em Dom 28 Out 2012, 00:51

h-roo escreveu:
ET-e-HHO-existe escreveu:Hugo, tu disse que anular um pistão, de um mesmo carro/motor, não provoca economia, somente enfraquece o carro e reeduca o motorista a não pisar muito e ter uma direção mais econômica.

A explicação para isso, segundo você, é que a energia gasta pelo mesmo motor em baixa potência, com um pistão a menos ou não, será sempre a mesma para empurrar o carro em mesma condição, então não haveria economia só fraqueza do motor.

Vou dizer da minha forma: Para mover um carro, contra o atrito, a velocidade constante, uma certa quantidade de energia é necessária. Se usarmos motores diferentes (até de potências diferentes) com capacidade de fornecer tal energia, então todos os motores podem mover tal carro em tais condições e consumindo a mesma coisa. Isso é uma espécie de “conservação da energia”.

Agora vamos dizer que ao invés de desligar um pistão, nós usamos mistura pobre, isso também diminui a potência máxima do motor, mas como no caso anterior, se dentro da potência que esse motor pode ainda oferecer, então um carro com mistura pobre ou estequiométrica não deveria ter consumos diferentes, não deveria existir economia com mistura pobre.

O que tu achas?

Em primeiro lugar eu condenei desligar UM pistão, dá treme-treme. Falei do Charger que retirou 4 (metade) pistões...com consequente economia e perda de potência, ainda assim de sobra, pois tinha perto de 200HP originais.
Fazer isso eletronicamente com um motorista deseducado vira em nada, vai pisar mais e compensar a diminuição de combustivel. Se for educadinho com mistura pobre corre o risco de furar pistão

Melhor então passar a se educar e dirigir de maneira economica um carro normal, sem gambiarra.

A diferença de um motor mais fraco de um motor mais forte, andando os dois em condições exatamente iguais, teoricamente gastarão a mesma coisa, apenas o segundo tem uma potencial sobre de potencia, e é ai que aparece a diferença de consumo, quando os dois motoristas resolvem aproveitar as potencias disponiveis para uma retomada de velocidade e ou ultrapassagem.

Então se o motorista não mudasse a forma de dirigir, ou se for colocado no dinamômetro sob condições iguais, um motor com mistura normalmente estequiométrica e depois submetido a mistura pobre, teriam o mesmo consumo? Isso é só para entender o funcionamento.

Ver perfil do usuário

29 Re: Mistura pobre - O MITO em Dom 28 Out 2012, 00:59

h-roo


Rank : 5
Rank : 5
ET/Milzon
Apesar de eu estar te respondendo a questão dos carros, sem questionar o "protecionismo" que tu fala, na verdade eu não vi protecionismo numa medida em que no mínimo mais 8 industrias vão se instalar aqui em razão desse pseudo-protecionismo que tu alega. O que foi feito é colocar a turma na saia justa, ao amarrar a diminuição de IPI ao ganho em economia. E essa possibilidade que trará novas industrias, que já virão com carros mais economicos, obrigando as nossas tradicionais a se "coçarem" para não perder mercado.

Ver perfil do usuário

30 Re: Mistura pobre - O MITO em Dom 28 Out 2012, 01:01

h-roo


Rank : 5
Rank : 5
ET-e-HHO-existe escreveu:
h-roo escreveu:
ET-e-HHO-existe escreveu:Hugo, tu disse que anular um pistão, de um mesmo carro/motor, não provoca economia, somente enfraquece o carro e reeduca o motorista a não pisar muito e ter uma direção mais econômica.

A explicação para isso, segundo você, é que a energia gasta pelo mesmo motor em baixa potência, com um pistão a menos ou não, será sempre a mesma para empurrar o carro em mesma condição, então não haveria economia só fraqueza do motor.

Vou dizer da minha forma: Para mover um carro, contra o atrito, a velocidade constante, uma certa quantidade de energia é necessária. Se usarmos motores diferentes (até de potências diferentes) com capacidade de fornecer tal energia, então todos os motores podem mover tal carro em tais condições e consumindo a mesma coisa. Isso é uma espécie de “conservação da energia”.

Agora vamos dizer que ao invés de desligar um pistão, nós usamos mistura pobre, isso também diminui a potência máxima do motor, mas como no caso anterior, se dentro da potência que esse motor pode ainda oferecer, então um carro com mistura pobre ou estequiométrica não deveria ter consumos diferentes, não deveria existir economia com mistura pobre.

O que tu achas?

Em primeiro lugar eu condenei desligar UM pistão, dá treme-treme. Falei do Charger que retirou 4 (metade) pistões...com consequente economia e perda de potência, ainda assim de sobra, pois tinha perto de 200HP originais.
Fazer isso eletronicamente com um motorista deseducado vira em nada, vai pisar mais e compensar a diminuição de combustivel. Se for educadinho com mistura pobre corre o risco de furar pistão

Melhor então passar a se educar e dirigir de maneira economica um carro normal, sem gambiarra.

A diferença de um motor mais fraco de um motor mais forte, andando os dois em condições exatamente iguais, teoricamente gastarão a mesma coisa, apenas o segundo tem uma potencial sobre de potencia, e é ai que aparece a diferença de consumo, quando os dois motoristas resolvem aproveitar as potencias disponiveis para uma retomada de velocidade e ou ultrapassagem.

Então se o motorista não mudasse a forma de dirigir, ou se for colocado no dinamômetro sob condições iguais, um motor com mistura normalmente estequiométrica e depois submetido a mistura pobre, teriam o mesmo consumo? Isso é só para entender o funcionamento.

ET
Entenda que não tem como dirigir da mesma forma empobrecendo a mistura. Só terá alguma equivalencia quando próximo da inercia.

Ver perfil do usuário

31 Re: Mistura pobre - O MITO em Dom 28 Out 2012, 01:03

Hugo, esquece o motorista, pensa só no motor: Um motor pode realmente se tornar mais econômico apenas por causa de uma mistura pobre?

Ver perfil do usuário

32 Re: Mistura pobre - O MITO em Dom 28 Out 2012, 01:08

h-roo


Rank : 5
Rank : 5
ET-e-HHO-existe escreveu:Hugo, esquece o motorista, pensa só no motor: Um motor pode realmente se tornar mais econômico apenas por causa de uma mistura pobre?

Claro que pode, desde que dirigido também de maneira diferente, portanto não dá pra esquecer o motorista nessa história.

Se colocar os dois motores no dinamometro, em condições de carga e RPM igual, possivelmente vão consumir a mesma coisa, mesmo um tendo a mistura empobrecida. Só que o pobre vai acabar furando o pistão a médio ou longo prazo.

Se não furar o pistão vai ter um desgaste precoce, maior dilatação por maior caloria, aneis destemperados com perda de pressão e por ai afora.

O primeiro sinal de que um carro teve aquecimento elevado, mesmo antes de percorrer uma quilometragem que pedisse uma retifica é a queima de óleo...por terem os aneis sido destemperados, perdido pressão e deixado o óleo subir para a camara de explosão.

Ver perfil do usuário

33 Re: Mistura pobre - O MITO em Dom 28 Out 2012, 01:16

Hugo a grande pergunta é em como melhorar o motor, mesmo que seja apenas uma discussão teórica que não faremos e nem compraremos pronta, tendo de esperar a solução que as montadoras quiserem dar.

Se eu não carregar minha sogra gorda, emagrecer, não andar com vento contra, só andar na maciota, manter os pneus calibrados, só abastecer em postos de qualidade, manter meu carro com boa manutenção, tudo isso vai economizar combustível e melhorar a performance do meu carro. Mas não é essa a questão, não se tem tentado criar um vaporeto, sistema de HHO, ou MOBMIX, com o intuito de educar os motoristas a dirigir, não se tem a intenção de fazer um placebo educacional. Então ou funciona ou não funciona, como o motorista vai aproveitar isso é problema dele.

Tu fala que não usa essas coisas no seu carro, mas faz experiências com o seu trator e outros motores teus, então tu acredita que algo pode ser feito. Como disse, não estou defendendo produto de ninguém, somente tentando entender as técnicas que estão sendo propagadas por ai como propaganda de uma solução que pode ser verdade ou não. Relegar tudo a dirigibilidade e ao motorista, nem tu acredita mesmo nisso, senão não existiria o vaporeto e seu investidor.

Ver perfil do usuário

34 Re: Mistura pobre - O MITO em Dom 28 Out 2012, 01:25

h-roo


Rank : 5
Rank : 5
ET-e-HHO-existe escreveu:Hugo a grande pergunta é em como melhorar o motor, mesmo que seja apenas uma discussão teórica que não faremos e nem compraremos pronta, tendo de esperar a solução que as montadoras quiserem dar.

Se eu não carregar minha sogra gorda, emagrecer, não andar com vento contra, só andar na maciota, manter os pneus calibrados, só abastecer em postos de qualidade, manter meu carro com boa manutenção, tudo isso vai economizar combustível e melhorar a performance do meu carro. Mas não é essa a questão, não se tem tentado criar um vaporeto, sistema de HHO, ou MOBMIX, com o intuito de educar os motoristas a dirigir, não se tem a intenção de fazer um placebo educacional. Então ou funciona ou não funciona, como o motorista vai aproveitar isso é problema dele.

Tu fala que não usa essas coisas no seu carro, mas faz experiências com o seu trator e outros motores teus, então tu acredita que algo pode ser feito. Como disse, não estou defendendo produto de ninguém, somente tentando entender as técnicas que estão sendo propagadas por ai como propaganda de uma solução que pode ser verdade ou não. Relegar tudo a dirigibilidade e ao motorista, nem tu acredita mesmo nisso, senão não existiria o vaporeto e seu investidor.

Pera ai, tu teoriza sobre diminuição de consumo apenas com mudança na mistura, como preconiza o Mobidick (pode rebolar o quanto quizer, ele empobrece a mistura...essa de agilizar o "momentum" da injeção não cola, pois faria isso tanto empobrecendo como enriquecendo mais rápido, portanto se anulando)o ECONFLEX e outros.
Agora, minha experiencia nada tem a ver com isso, eu busco agregar valor energetico no combustivel, nbesse caso economizando sem perder potencia final, compreendes?
Tantp é que com o trator, como já te expliquei, não tem como empobrecer a mistura, a coisa é matemática. O que tu pode fazer é tornar o diesel ou a gasolina mais energética, e acredito que o HHO poderia fazer isso, desde que solucionados os seus condicionantes, que até agora ninguem conseguiu.Portanto sao outros 500.

Ver perfil do usuário

35 Re: Mistura pobre - O MITO em Dom 28 Out 2012, 01:29

h-roo escreveu:
ET-e-HHO-existe escreveu:Hugo, esquece o motorista, pensa só no motor: Um motor pode realmente se tornar mais econômico apenas por causa de uma mistura pobre?

Claro que pode, desde que dirigido também de maneira diferente, portanto não dá pra esquecer o motorista nessa história.

Se colocar os dois motores no dinamometro, em condições de carga e RPM igual, possivelmente vão consumir a mesma coisa, mesmo um tendo a mistura empobrecida. Só que o pobre vai acabar furando o pistão a médio ou longo prazo.

Se não furar o pistão vai ter um desgaste precoce, maior dilatação por maior caloria, aneis destemperados com perda de pressão e por ai afora.

O primeiro sinal de que um carro teve aquecimento elevado, mesmo antes de percorrer uma quilometragem que pedisse uma retifica é a queima de óleo...por terem os aneis sido destemperados, perdido pressão e deixado o óleo subir para a camara de explosão.

Você entende que nem que tenha que mudar completamente a concepção do motor, que vire um liquid piston, não se pode evoluir um carro/motor tentado educar o motorista. Isso é evolução do motorista e não do carro. Ou o carro é econômico com o mais pê de boi que existe, ou ele não é. Claro que o pê de boi conseguirá os piores resultados possíveis. Não podemos colocar a diferença de consumo de uma banheira, como o dodge dart, e um diesel de passeio, como sendo exclusivamente por obra do motorista.

Isso que eu quero discutir.

Já coloquei aqui: Porque, no ciclo Otto a mistura só pode ser estequiométrica? Porque uma mistura pobre economiza combustível se o motor é o mesmo e só mudou a proporção da mistura? Porque dizem que mistura pobre quebra motor? Tudo isso é culpa de como o motorista dirige? Tudo isso faz sentido? Eu acho que tem muita coisa mau explicada.

Ver perfil do usuário

36 Re: Mistura pobre - O MITO em Dom 28 Out 2012, 01:35

h-roo


Rank : 5
Rank : 5
ET-e-HHO-existe escreveu:
h-roo escreveu:
ET-e-HHO-existe escreveu:Hugo, esquece o motorista, pensa só no motor: Um motor pode realmente se tornar mais econômico apenas por causa de uma mistura pobre?

Claro que pode, desde que dirigido também de maneira diferente, portanto não dá pra esquecer o motorista nessa história.

Se colocar os dois motores no dinamometro, em condições de carga e RPM igual, possivelmente vão consumir a mesma coisa, mesmo um tendo a mistura empobrecida. Só que o pobre vai acabar furando o pistão a médio ou longo prazo.

Se não furar o pistão vai ter um desgaste precoce, maior dilatação por maior caloria, aneis destemperados com perda de pressão e por ai afora.

O primeiro sinal de que um carro teve aquecimento elevado, mesmo antes de percorrer uma quilometragem que pedisse uma retifica é a queima de óleo...por terem os aneis sido destemperados, perdido pressão e deixado o óleo subir para a camara de explosão.

Você entende que nem que tenha que mudar completamente a concepção do motor, que vire um liquid piston, não se pode evoluir um carro/motor tentado educar o motorista. Isso é evolução do motorista e não do carro. Ou o carro é econômico com o mais pê de boi que existe, ou ele não é. Claro que o pê de boi conseguirá os piores resultados possíveis. Não podemos colocar a diferença de consumo de uma banheira, como o dodge dart, e um diesel de passeio, como sendo exclusivamente por obra do motorista.

Isso que eu quero discutir.

Já coloquei aqui: Porque, no ciclo Otto a mistura só pode ser estequiométrica? Porque uma mistura pobre economiza combustível se o motor é o mesmo e só mudou a proporção da mistura? Porque dizem que mistura pobre quebra motor? Tudo isso é culpa de como o motorista dirige? Tudo isso faz sentido? Eu acho que tem muita coisa mau explicada.

Não vejo assim...acho que está muito bem explicado...mistura pobre diminui a potencia, muda o momentum do melhor torque, ou seja, dá outra configuração ao motor. E o motorista, queira tu ou não, vai se adaptar a isso, de uma ou outra forma. Se quizer desconsiderar o motorista coloca um robo a dirigir...
Por sinal, tu já analisou como seria ligar o piloto automático num carro, como se portariam um em relação ao outro que teve a mistura empobrecida?

Ver perfil do usuário

37 Re: Mistura pobre - O MITO em Dom 28 Out 2012, 01:44

acalister escreveu:
marcelo.eletrotecnico escreveu:
acalister escreveu:
ET-e-HHO-existe escreveu:Hugo, já disse, tu é como o fogo que purifica, é só te cutucar que tu fica irado e tem de achar uma saída para detonar o oponente. Tu lança todas as suas labaredas e só passa pelo fogo o mais bem feito dos produtos e a mais bem formuladas das ideias. Eu sei que suas labaredas acabaram quando tu começa a xingar, depreciar, não mais o objeto mais o dono do objeto, ai tu se entrega como derrotado. Mas não se aflija, tu ajudou muito a refinar o processo, tu é minha melhor cobaia, mesmo sendo apenas uma cobaia teórica. Eu bem que tentei isso com o André e ele se escondeu no disfarce de MestreMago e caiu fora. Sempre lhe agradecerei por seus comentários mau humorados.

Isso deixa uma pergunta, como tu volta e meia resolve atacar a pessoa do Marcelo, fica evidente que tu realmente respeita o produto dele, teme que vire um sucesso de mercado acima até mesmo do HHO. Acertei?

ET, deixa o Marcelo expor melhor o funcionamento do MOBMIX, ficar vc defendendo o cara só piora, se vcs dois são sócios, abre o jogo, não tem problema. As críticas são sempre construtivas, afinal ele quer ou não quer vender o produto? Marcelo, aproveita, essa é tu chance, melhor chance, aqui vc tem todo esse direito, esclarecendo bem as coisas, fica melhor pra todos e bom para ambas as partes. Eu não sou teu concorrente,o ECONFLEX é, quando ele voltar a vender, é certeza, ele vai fazer críticas ainda mais pesadas, então é melhor tu ir se acostumando com isso.
O ECONFLEX não é seu único concorrente, existem outras duas marcas aqui em São Paulo, não sei quem fabrica, mas são produtos similares e existe um sistema exclusivo pra Diesel, esse é importado e tah vendendo muito por aqui.

No momento eles não são meus concorrentes porque a idéia do produto deles é trazer economia usando só o módulo. Isto eu também consigo nos carros à gasolina, em perímetro urbano, e sem usar mistura pobre, mas não é o meu foco no momento, pois estes estão em declínio. Além disso, este não é meu único produto. Na área de GNV estou com um produto em avaliação na Bolívia (o MOBMIX GNV) para iniciar a fabricação por lá com um nome diferente (exigência contratual).

Blz, então são produtos diferentes, conseguem economia, porem de forma diferente, ok agora já estamos sabendo! Tu falou de perímetro urbano, pra nós aqui de São Paulo isso é o pior, chega a ser sacanagem, tem horas que tu não consegue passar de 40km/h, na média é 20km h, então esse mercado é os dos concorrentes?

Veja só, hoje em dia, o HHo perdeu para campo esse produto no Diesel: http://produto.mercadolivre.com.br/MLB-444146655-chip-potncia-diesel-hillux-sw4-triton-amarok-s10-troller-_JM

Na gasolina:
http://produto.mercadolivre.com.br/MLB-444066422-chip-de-potncia-ford-ka-fiesta-courier-ecoesport-escort-_JM

http://produto.mercadolivre.com.br/MLB-443852759-chip-de-potncia-economia-franceses-renault-peugeot-citroen-_JM

Estes produtos chamados de "chips externos" dos anúncios são circuitos elementares e amadores, e nada mais são do que potenciômetros adaptados ao sensor de temperatura para fazer parecer que a temperatura do ar está mais baixa. Desta forma faz com que o carro calcule uma massa de ar maior(ou menor) e injete mais (ou menos) gasolina. Pode funcionar, mas é um circuito simplório e amador, e pode ser encontrado facilmente na internet.

Ver perfil do usuário

38 Re: Mistura pobre - O MITO em Dom 28 Out 2012, 01:49

acalister escreveu:Marcelo, esse aqui tem um vídeo de como instalar: http://produto.mercadolivre.com.br/MLB-247186898-chip-potncia-amarok-sw4-hilux-l200-f250-pajero-s10-_JM

Muito interessante e prático este produto. É semelhante aos remapeamentos de ECU, mas só que externo. Produto aparentemente bem feito.

Ver perfil do usuário

39 Re: Mistura pobre - O MITO em Dom 28 Out 2012, 02:00

Então tem um funcionamento similar a este (http://produto.mercadolivre.com.br/MLB-444066422-chip-de-potncia-ford-ka-fiesta-courier-ecoesport-escort-_JM) que o André acabou de indicar?

R: Não, o funcionamento para economia de combustível que mencionei é bem diferente. Este produto é um potenciômetro ligado ao sensor de temperatura e ou enriquece a mistura ou empobrece, mas quem faz o controle é o usuário, sem critério, só na tentativa e erro. O meu atua lendo a sonda e fazendo um ajuste fino em cada ponto do mapa de injeção, considerando 8 faixas de rotação e 4 de carga do motor.

Porque a centralina original aprende mais devagar?

Porque o mapa de injeção original do carro é estático. Quando sobe um ponto do mapa corrigido pela sonda, sobe o mapa inteiro, pois considera-se que a sonda seria só um ajuste fino. Porém, o mapa levantado em laboratório não funciona de modo ideal em todas as condições possíveis e é desta forma que existe aí um ponto que pode ser melhorado. Estou para lançar no ano que vem um novo módulo que vai ajudar nisso e também no HHO nos Flex.

Outras perguntas: Tu tinha um produto que misturava GNV com gasolina, certo?
Ainda tenho, e está muito bem. Estou fazendo testes na Bolívia para lançamento no ano que vem.

Porque tu deixou a reprogramação de chip, ou uma centralina alternativa (foi o que tu fez, certo?), para entrar nessa de mistura pobre + HHO?

R: Não entendi esta parte.

Sei que tu disse que isso era para gasolina e não para Flex, mas o MOBMIX parece carecer da mesma limitação? Qual a vantagem do MOBMIX (mistura pobre + HHO) sobre a centralina alternativa, que substituia a original?

R: Não sei qual é esta centralina alternativa de que fala, explique melhor por favor.

Ver perfil do usuário

40 Re: Mistura pobre - O MITO em Dom 28 Out 2012, 02:04

h-roo escreveu:...mistura pobre diminui a potencia, muda o momentum do melhor torque, ou seja, dá outra configuração ao motor. ...

É isso que eu quero entender, o que na mistura pobre quebra a ideia muito lógica, mesmo que simplista, de que o consumo deveria ser o mesmo. A mistura pobre fazer o cara pisar mais no acelerador para ter a mesma energia e isso mudar o ponto em que essa potência necessária aparece, passando para um momento em que o motor se torna mais eficiente. Boa ideia, isso é melhor que dar o cartaz para o motorista.

Ver perfil do usuário

41 Re: Mistura pobre - O MITO em Dom 28 Out 2012, 02:06

acalister


Rank : 5
Rank : 5
[quote="marcelo.eletrotecnico"][quote="acalister"]Marcelo, esse aqui tem um vídeo de como instalar: http://produto.mercadolivre.com.br/MLB-247186898-chip-potncia-amarok-sw4-hilux-l200-f250-pajero-s10-_JM[/quote]

Muito interessante e prático este produto. É semelhante aos remapeamentos de ECU, mas só que externo. Produto aparentemente bem feito.
[/quote]

Marcelo, com certeza é prático, e é exatamente isso que o pessoal mais quer hoje em dia, além do que, quem tem esse tipo de carro, nem compram isso pela economia e sim pela potência extra. Bem, só coloquei pra tu apreciar, enfim na minha opinião, apesar do que diz o vendedor, isso deve ser um restador de parâmetros autoadaptativos.

Ver perfil do usuário

42 Re: Mistura pobre - O MITO em Dom 28 Out 2012, 02:08

....



Última edição por ET-e-HHO-existe em Dom 28 Out 2012, 02:11, editado 1 vez(es)

Ver perfil do usuário

43 Re: Mistura pobre - O MITO em Dom 28 Out 2012, 02:10

h-roo escreveu:
ET-e-HHO-existe escreveu:Hugo, esquece o motorista, pensa só no motor: Um motor pode realmente se tornar mais econômico apenas por causa de uma mistura pobre?

Claro que pode, desde que dirigido também de maneira diferente, portanto não dá pra esquecer o motorista nessa história.

Se colocar os dois motores no dinamometro, em condições de carga e RPM igual, possivelmente vão consumir a mesma coisa, mesmo um tendo a mistura empobrecida. Só que o pobre vai acabar furando o pistão a médio ou longo prazo.

Se não furar o pistão vai ter um desgaste precoce, maior dilatação por maior caloria, aneis destemperados com perda de pressão e por ai afora.

O primeiro sinal de que um carro teve aquecimento elevado, mesmo antes de percorrer uma quilometragem que pedisse uma retifica é a queima de óleo...por terem os aneis sido destemperados, perdido pressão e deixado o óleo subir para a camara de explosão.

Você esta falando como se só existisse 8 ou 80. Existe um meio termo possível. Eu tive um carro 1979 com platinado 1.4 e fazia 13km/L e os carros iguais de hoje não fazem mais do que 16, com toda a parafernália eletrônica. É muito pouco para tanta mudança. Não há interesse em melhorar pois não há cobrança. Vamos ver agora com o selo PROCEL nos carros.

Ver perfil do usuário

44 Re: Mistura pobre - O MITO em Dom 28 Out 2012, 02:13

ET-e-HHO-existe escreveu:
ET-e-HHO-existe escreveu:
marcelo.eletrotecnico escreveu:
ET-e-HHO-existe escreveu:
marcelo.eletrotecnico escreveu:No momento eles não são meus concorrentes porque a idéia do produto deles é trazer economia usando só o módulo. Isto eu também consigo nos carros à gasolina, em perímetro urbano, e sem usar mistura pobre, mas não é o meu foco no momento, pois estes estão em declínio. Além disso, este não é meu único produto. Na área de GNV estou com um produto em avaliação na Bolívia (o MOBMIX GNV) para iniciar a fabricação por lá com um nome diferente (exigência contratual).
Tá vendo Hugo, nisso eu discordo do Marcelo, ele sabe disso e vende a ideia dele mesmo assim, a minha é o contrário, e daí? Ter ideias diferentes e normal e a discussão civilizada não tem mau algum.

Marcelo, tu me deixou curioso, se tu não usa mistura pobre, como tu fez um aparelho para economizar usando outra técnica? Seria aquela ideia de usar gasolina + suplementação com GNV? Se não for qual é o princípio? Porque está em declínio?

A tecnologia não está em declínio, mas os carros movidos exclusivamente à gasolina. A minha técnica é usar um mapa de injeção próprio com 32 pontos e ajustar cada ponto individualmente em quanto o carro está andando. Este ajuste feito pelo carro é um pouco mais lento. No meu equipamento é bem mais rápido. Desta forma, consigo melhorar o desempenho nos carros em que este é ruim, por exemplo no Palio 1.6 e 1.0 antigos (à gasolina).

Então tem um funcionamento similar a este (http://produto.mercadolivre.com.br/MLB-444066422-chip-de-potncia-ford-ka-fiesta-courier-ecoesport-escort-_JM) que o André acabou de indicar?

Explicação do anunciante:
"QUAL O SEGREDO DO CHIP CAR?

A aplicação do CHIP CAR possibilita a alteração do tempo que o sistema de injeção gasta para reprogramar a alimentação de combustível quando o Carro é solicitado a fazer uma retomada de velocidade. Essa alteração é servida principalmente no transito urbano, já que os motores são mais exigidos."



Porque a centralina original aprende mais devagar?

Outras perguntas: Tu tinha um produto que misturava GNV com gasolina, certo? Porque tu deixou a reprogramação de chip, ou uma centralina alternativa (foi o que tu fez, certo?), para entrar nessa de mistura pobre + HHO?

Sei que tu disse que isso era para gasolina e não para Flex, mas o MOBMIX parece carecer da mesma limitação? Qual a vantagem do MOBMIX (mistura pobre + HHO) sobre a centralina alternativa, que substituia a original?

Marcelo, tu esqueceu de ver esse, ele diz claramente que aprende mais rápido que a ECU orignal, isso não é potenciometro.

Não creio que isto seja um fato, ele só está copiando o que alguém disse, mas isso não corresponde ao funcionamento real do produto. O valor que ele está vendendo isso mal paga a caixa e o adesivo. Para você ter uma idéia, um microprocessador que eu utilizo no meu circuito custa 15,00. Aí entra placa, 100 outros componentes, caixa, adesivo, chicote, etc. Este negócio é um potneciômetro, que aparece por fora da caixa (o botão que você ajusta).

Ver perfil do usuário

45 Re: Mistura pobre - O MITO em Dom 28 Out 2012, 02:21

marcelo.eletrotecnico escreveu:Então tem um funcionamento similar a este (http://produto.mercadolivre.com.br/MLB-444066422-chip-de-potncia-ford-ka-fiesta-courier-ecoesport-escort-_JM) que o André acabou de indicar?

R: Não, o funcionamento para economia de combustível que mencionei é bem diferente. Este produto é um potenciômetro ligado ao sensor de temperatura e ou enriquece a mistura ou empobrece, mas quem faz o controle é o usuário, sem critério, só na tentativa e erro. O meu atua lendo a sonda e fazendo um ajuste fino em cada ponto do mapa de injeção, considerando 8 faixas de rotação e 4 de carga do motor.

Porque a centralina original aprende mais devagar?

Porque o mapa de injeção original do carro é estático. Quando sobe um ponto do mapa corrigido pela sonda, sobe o mapa inteiro, pois considera-se que a sonda seria só um ajuste fino. Porém, o mapa levantado em laboratório não funciona de modo ideal em todas as condições possíveis e é desta forma que existe aí um ponto que pode ser melhorado. Estou para lançar no ano que vem um novo módulo que vai ajudar nisso e também no HHO nos Flex.

Outras perguntas: Tu tinha um produto que misturava GNV com gasolina, certo?
Ainda tenho, e está muito bem. Estou fazendo testes na Bolívia para lançamento no ano que vem.

Porque tu deixou a reprogramação de chip, ou uma centralina alternativa (foi o que tu fez, certo?), para entrar nessa de mistura pobre + HHO?

R: Não entendi esta parte.Na resposta anterior tu fala que teu produto aprendia mais rápido que a ECU original e explicou isso, então eu imagino que tu substitua a ECU original pela sua, foi isso. No mais, tu agora usa outra ideia, no MOBMIX (empobrecimento e HHO), porque abandonar a ideia anterior ou é apenas criar dois produtos diferentes

Sei que tu disse que isso era para gasolina e não para Flex, mas o MOBMIX parece carecer da mesma limitação? Qual a vantagem do MOBMIX (mistura pobre + HHO) sobre a centralina alternativa, que substituia a original?

R: Não sei qual é esta centralina alternativa de que fala, explique melhor por favor.O mesmo, eu entendi que tu usou uma ECU própria substituta da ECU original do carro

Ver perfil do usuário

46 Re: Mistura pobre - O MITO em Dom 28 Out 2012, 02:29

Marcelo, percebo que em todas suas soluções você meio que troca a ECU original por seu processador, que pode trabalhar como quer com os sensores do carro e fazer seu próprio mapa, pobre, rico, estequiométrico, como tu acha que é melhor para alcançar os resultados prometidos. Só me resta uma pergunta, até que ponto tu anula a ECU original? Eu diria que o GNV + gasolina seria o que tu não precisaria anular a ECU original.

To longe da realidade?

Ver perfil do usuário

47 Re: Mistura pobre - O MITO em Dom 28 Out 2012, 02:51

acalister


Rank : 5
Rank : 5
[quote="ET-e-HHO-existe"]Marcelo, percebo que em todas suas soluções você meio que troca a ECU original por seu processador, que pode trabalhar como quer com os sensores do carro e fazer seu próprio mapa, pobre, rico, estequiométrico, como tu acha que é melhor para alcançar os resultados prometidos. Só me resta uma pergunta, até que ponto tu anula a ECU original? Eu diria que o GNV + gasolina seria o que tu não precisaria anular a ECU original.

To longe da realidade?
[/quote]

Aproveitando, esse teu sistema poderia então trabalhar com vapor de gasolina? ou nada haver, não digo MASE, digo vapor mesmo, iniciar o carro com gasolina até que esquente o suficiente, depois, agregando a ideia do ET, injetar vapor + ar (em proporções)a serem definidas, sera que não vira?

Ver perfil do usuário

48 Re: Mistura pobre - O MITO em Dom 28 Out 2012, 02:53

Hugo (não tem mais ninguém a fim dessa discussão), para justificar a experiência empírica de que misturas mais pobres são, até certo ponto, mais econômicas que a mistura estequiométrica, eu me lembrava de uma frase, pouco explicativa, de que assim a queima se dava em excesso de oxigênio e por isso mais perfeita. Pode até ser verdade, mas não explica, só justifica e cria mais perguntas. Para piorar eu tinha de acreditar, novamente pela experiência empírica relatada por várias pessoas, inclusive o Marcelo, que empobrecer demais funde motor e aquece a descarga ao rubro. Isso é muito estranho porque diz que menos é mais, eu coloco menos combustível e o motor ao invés de esfriar, aquece e estraga.

Percebe porque eu não paro na 1° explicação dada? O que está faltando? No caso de aumento de temperatura geral no motor por mistura pobre, isso eu tenho um explicação, ½ boca, de que uma mistura pobre pode reduzir e eficiência que o motor transforma calor em movimento, deixando sobrar uma porcentagem maior de calor para esquentar o motor. Então para que a mesma energia chegue as rodas eu vou queimar efetivamente mais combustível e o excedente aquece o motor estragando-o de várias formas. Nesse caso, ou quando isso acontece, não pode existir economia e aquecimento do motor, somente aquecimento e aumento de consumo, mesmo que esteja com mistura pobre. Tu vai discordar, mas pra mim isso tem toda lógica do mundo. Eu só não sei por que raios misturas pobres podem deixar o motor menos eficiente termicamente e em outros casos fazer justo o contrário, economizando, e pode apostar, esfriando o motor.

Dai tu me lembra que sem potência (mistura pobre) o motorista mete o pé no acelerador fazendo o motor funcionar num momento diferente, ou num regime de aceleração/rotação diferente. Isso ficou muito parecido com o motivo de se desligar parte dos pistões de um motorzão no intuito de economizar. Tá me parecendo que mistura pobre, que economiza, não a que estraga, se parece muito com desligar parte dos pistões.

Percebe Hugo que por mais que tu ranhete, tirando o que não concordo, quando tu resolve focar no objeto e não na pessoa pode sair coisas que eu não notei e que eu posso aproveitar?

Ver perfil do usuário

49 Re: Mistura pobre - O MITO em Dom 28 Out 2012, 02:55

acalister escreveu:
ET-e-HHO-existe escreveu:Marcelo, percebo que em todas suas soluções você meio que troca a ECU original por seu processador, que pode trabalhar como quer com os sensores do carro e fazer seu próprio mapa, pobre, rico, estequiométrico, como tu acha que é melhor para alcançar os resultados prometidos. Só me resta uma pergunta, até que ponto tu anula a ECU original? Eu diria que o GNV + gasolina seria o que tu não precisaria anular a ECU original.

To longe da realidade?

Aproveitando, esse teu sistema poderia então trabalhar com vapor de gasolina? ou nada haver, não digo MASE, digo vapor mesmo, iniciar o carro com gasolina até que esquente o suficiente, depois, agregando a ideia do ET, injetar vapor + ar (em proporções)a serem definidas, sera que não vira?

Com certeza André, ainda mais se tiver um ECU personalizada, que me parece ser o método do Marcelo. A grande pergunta é: Porque?

Ver perfil do usuário

50 Re: Mistura pobre - O MITO em Dom 28 Out 2012, 03:16

h-roo


Rank : 5
Rank : 5
marcelo.eletrotecnico escreveu:
h-roo escreveu:
ET-e-HHO-existe escreveu:Hugo, esquece o motorista, pensa só no motor: Um motor pode realmente se tornar mais econômico apenas por causa de uma mistura pobre?

Claro que pode, desde que dirigido também de maneira diferente, portanto não dá pra esquecer o motorista nessa história.

Se colocar os dois motores no dinamometro, em condições de carga e RPM igual, possivelmente vão consumir a mesma coisa, mesmo um tendo a mistura empobrecida. Só que o pobre vai acabar furando o pistão a médio ou longo prazo.

Se não furar o pistão vai ter um desgaste precoce, maior dilatação por maior caloria, aneis destemperados com perda de pressão e por ai afora.

O primeiro sinal de que um carro teve aquecimento elevado, mesmo antes de percorrer uma quilometragem que pedisse uma retifica é a queima de óleo...por terem os aneis sido destemperados, perdido pressão e deixado o óleo subir para a camara de explosão.

Você esta falando como se só existisse 8 ou 80. Existe um meio termo possível. Eu tive um carro 1979 com platinado 1.4 e fazia 13km/L e os carros iguais de hoje não fazem mais do que 16, com toda a parafernália eletrônica. É muito pouco para tanta mudança. Não há interesse em melhorar pois não há cobrança. Vamos ver agora com o selo PROCEL nos carros.

Que carro era esse 1.4 em 1979?

Ver perfil do usuário

51 Re: Mistura pobre - O MITO Hoje à(s) 06:57

Conteúdo patrocinado


Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo  Mensagem [Página 2 de 8]

Ir à página : Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8  Seguinte

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum