Para quem quer poupar combustivel !


Você não está conectado. Conecte-se ou registre-se

Economia do alumínio

Ir à página : Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo  Mensagem [Página 5 de 7]

101 Re: Economia do alumínio em Ter 27 Nov 2012, 05:57

h-roo


Rank : 5
Rank : 5
tanpa nama escreveu:
h-roo escreveu:
h-roo escreveu:Vamos lá então Tanpa e ET

a fórmula para encontrar o torque é essa aqui:

torque=(igual)potencia x 716,2 (constante); (dividido)RPM

Sabendo-se que o motor do ET tem 65 CV, calculem o torque em 3.900 RPM...em 4.641 RPM...6.489 RPM...10.091 RPM e 19.239 RPM

São valores RPMs que o próprio ET usou para chegar nos números que apresentou.

Vamos ver quem acerta os cálculos.
Pode calcular também Jonas, se o ET não te proibir...rsrs
Isso é uma pegadinha? Porque o torque máximo mostrado no gráfico para 3900 rpm é de 47CV e não 65CV. Só em duas rotações o torque máximo é 65CV em 5870 rpm e 6300 rpm. Já o torque máximo do motor ocorre a 6130 rpm com 65,7CV.
Novamente pergunto se o Et fez seus cálculos com a potência de 30cv, porque o teste pegadinha pede para fazer cálculos em 65cv?

Saquei a questão?

Tanpa
Primeiro, não é pegadinha, coloquei de maneira muito clara.
Segundo, eu estava certo quando deduzi que tu não havias entendido. Estas confundindo potencia com torque, são duas coisas diferentes, pois a potencia tem uma enorme variação, enquanto o torque, nesse motor, tem uma variação pequena.
O gráfico está com uma parte, pelo menos aqui, cortado...clique sobre ele e arrastem vais ver a direita o torque...são duas curvas, a de potencia que sobe de acordo com a RPM e a curva de torque que tem uma variação pequena...é a caracteristica desse motor que o ET usou como parametro. Tem outros motores com caracteristicas de torque (curva) bem diferentes. Mas use a formula, ai teras o torque em cada RPM...mesmo ele não sendo exato com o gráfico, pois a programação da ECU altera as caracteristicas físicas do motor. Mas a diferença entre o que o calculo apresentar e o informado pela fábrica são muito próximos, ao contrário da enorme disparidade encontrada pelo ET por nãu usar corretamente a formula.

Esquece os 30 CV e os 47 CV...na formula sempre se aplica a potencia nominal máxima do motor, que nesse caso é 65 CV.
Se fosse um motor de 100 CV tu aplicaria esse valor na formulação. Foi isso que o ET não entendeu.

Ver perfil do usuário

102 Re: Economia do alumínio em Ter 27 Nov 2012, 06:10

Hugo tu pediu o torque e fixou a potência em 65CV, ele te questionou o número que tu deu para potência, para ele é pegadinha, pois no gráfico 65CV não ocorre em nenhuma das rotações que tu pediu.

Não é uma confusão do torque e potência e sim uma não aceitação da potência por tu estipulada por ser diferente do que o gráfico marca para cada rotação. Olha o gráfico! 65 CV é a potência máxima que só ocorre em uma situação, tu fixou para todas e ele não digeriu, achou que era pegadinha, os professores cansam de fazer pegadinha em provas...

Ver perfil do usuário

103 Re: Economia do alumínio em Ter 27 Nov 2012, 06:22

h-roo


Rank : 5
Rank : 5
ET-e-HHO-existe escreveu:Hugo tu pediu o torque e fixou a potência em 65CV, ele te questionou o número que tu deu para potência, para ele é pegadinha, pois no gráfico 65CV não ocorre em nenhuma das rotações que tu pediu.

Não é uma confusão do torque e potência e sim uma não aceitação da potência por tu estipulada por ser diferente do que o gráfico marca para cada rotação. Olha o gráfico! 65 CV é a potência máxima que só ocorre em uma situação, tu fixou para todas e ele não digeriu, achou que era pegadinha, os professores cansam de fazer pegadinha em provas...

Os 65 CV, como tu mesmo coloca, e é verdade, é a potência máxima, e é esse valor que tu aplica na formula para encontrar o torque. Por isso temos a constante 716.2. Isso tudo está muito claro e muito bem explicado, inclusive com exemplos de aplicação no link sobre aviação. E atente, em aviação não se brinca com potência, torque e cavitação.

E como que não é confusão, olha o que ele escreve: " Porque o torque máximo mostrado no gráfico para 3900 rpm é de 47CV e não 65CV. Só em duas rotações o torque máximo é 65CV em 5870 rpm e 6300 rpm. Já o torque máximo do motor ocorre a 6130 rpm com 65,7CV."

Ele está achando que torque e potencia é a mesma coisa...rsrs
por isso eu falei que ele havia entendido menos ainda que você.

Outra coisa, não tente confundir o Tanpa, eu não estipulei 65 CV, quem estipula isso é a fórmula aplicavel, ou seja, a potencia máxima do motor a ter calculado o seu torque nas devidas faixas de RPM.



Última edição por h-roo em Ter 27 Nov 2012, 06:28, editado 1 vez(es)

Ver perfil do usuário

104 Re: Economia do alumínio em Ter 27 Nov 2012, 06:26

Fazendo sua conta sem nexo, daria isso:

3900RPM = 11,94 m.kgf
4641RPM = 10 m.kgf
6489RPM = 7,2 m.kgf
10091RPM = 4,6 m.kgf
19239RPM = 2,42 m.kgf

O torque máximo do motor inteiro é ligeiramente acima de 9 m.kgf e abaixo de 2.500RPM, nas tuas contas tu consegue quase 12 m.kgf em 3900RPM, rotação relatada na revista para a velocidade em questão. Como pode isso?

Que conclusões tu quer mostrar com esses números sem nexo?

Ver perfil do usuário

105 Re: Economia do alumínio em Ter 27 Nov 2012, 06:32

h-roo escreveu:...
E como que não é confusão, olha o que ele escreve: " Porque o torque máximo mostrado no gráfico para 3900 rpm é de 47CV e não 65CV. Só em duas rotações o torque máximo é 65CV em 5870 rpm e 6300 rpm. Já o torque máximo do motor ocorre a 6130 rpm com 65,7CV."...

Verdade... Pô Tanpa, tu engoliu mosca nessa.

Mas Hugo, se tu trocar as palavras para palavra correta, a ideia dele, ou dúvida, faz sentido. Troca a palavra errada pela correta e explica como colocar 65CV em todas as rotações?

Ver perfil do usuário

106 Re: Economia do alumínio em Ter 27 Nov 2012, 06:49

h-roo escreveu:... Por isso temos a constante 716.2. ...

Explique melhor isso, porque a constante é 716,2?

Ver perfil do usuário

107 Re: Economia do alumínio em Ter 27 Nov 2012, 06:50

h-roo


Rank : 5
Rank : 5
ET-e-HHO-existe escreveu:Fazendo sua conta sem nexo, daria isso:

3900RPM = 11,94 m.kgf
4641RPM = 10 m.kgf
6489RPM = 7,2 m.kgf
10091RPM = 4,6 m.kgf
19239RPM = 2,42 m.kgf

O torque máximo do motor inteiro é ligeiramente acima de 9 m.kgf e abaixo de 2.500RPM, nas tuas contas tu consegue quase 12 m.kgf em 3900RPM, rotação relatada na revista para a velocidade em questão. Como pode isso?

Que conclusões tu quer mostrar com esses números sem nexo?

Primeiro, tu deves saber que qualquer motor, conforme suas caracteristicas, depois de atingir o a maior potencia em determinado RPM, dai pra frente, ao aumentar o RPM, caem a potencia e o torque.
Por isso não devias ter feito a "masturbação" irreal de calcular as faixas hipotéticas de 10.000 e 19.000 RPM.

Segundo, o cálculo acima, e isso já te disso outras vezes, são os cálculos que seriam reais nesses motor se fosse carburado, ele mesmo "sugando" o ar e fazendo sua mistura. Acontece que como é injetado eletrônicamente, e nesse caso pode ser alterada a mistura natural para "manipulada", entra, como eu já te disse também, a química alterada, justamente para buscar uma outra performance de torque mais útil na prática, procurando melhor distribuir e uniformizar esse torque nas diversas faixas de giro, RPM. Então, através do cálculo tu vai ter sim alguma divergência em relação ao torque encontrado através de mudança de programação da ECU.

Terceiro, tu contesta o cálculo real de acordo com a fórmula, que não é minha, é usada internacionalmente, dizendo que diverge do informado pelo gráfico. Está justificado pelo relatado com a programação da ECU. Agora veja bem, no teus cálculo o máximo de aproximação que tu "conseguiu" foi 5 e alguma coisa de torque, dai pra frente tu só fez derrubar esse torque, totalmente fora da realidade, tanto do motor como da própria lógica mecânica.

Quarto, tu confundiu ao montar a fórmula, com os 30 CV que os "chutadores" do site informaram a 3.900 RPM, 30 CV esses que até tu a certa altura questionou, e ai o Tanpa matou a charada ao encontrar 47 CV a 3.900 RPM no gráfico.

Quinto, se tu tivesse seguido tua própria lógica, ao aceitar os 30 CV em 3.900 RPM, tu teria que mudar esse valor para os CV correspondentes às outras rotações, de 4.641...6.489, nas demais nem se fala, pura masturbação mental sem fim lógico, é que tu fez as contas de trás pra frente e como queria chegar na 1ª marcha se obrigou a "criar" algo não aplicável.
Foi fazendo regrinha de 3 a partir já de uma informação duvidosa e não técnica, dos 30CV em 5ª e a 3.900 RPM.

Ver perfil do usuário

108 Re: Economia do alumínio em Ter 27 Nov 2012, 06:56

h-roo


Rank : 5
Rank : 5
ET-e-HHO-existe escreveu:
h-roo escreveu:... Por isso temos a constante 716.2. ...

Explique melhor isso, porque a constante é 716,2?

Porque queremos achar um valor variavel a partir de um valor fixo (potencia) em valores variáveis (RPM)...agora, o porque da variável ser 716,2 e não 500..rsrs...ai depende de ir lá e pegar toda a origem dos cálculos de torque, raio, pi, alavanca e o escambau e fazer os cálculos. Eu simplesmente aceito a variável como certa e verdadeira porque é aplicada a eons e nunca foi contestada, por isso nem fui conferir e nem vou...se te interessar, pesquisa e confere.

Ver perfil do usuário

109 Re: Economia do alumínio em Ter 27 Nov 2012, 07:09

h-roo


Rank : 5
Rank : 5
Ainda assim, tu poderas fazer o cálculo com um RPM de 2.500 e encontrar um torque elevado, muito acima do informado pela fábrica. Ai entra uma outra questão, que não sei te explicar, porque não conheço os parâmetros, em que esse torque não confere se colocado num dinamometro. Sei que entra nessa a questão do volante, que tem de ser calculado de acordo com diversos parametros, e é ele que num giro baixo, aliado a alimentação restrita de combustível, não deixa todo o torque da fôrmula aplicavel se efetivar realmente na medida do dinamometro. Também não estou preocupado com isso...rsrs

Outra coisa a levar em consideração é que TORQUE foi originalmente um cálculo apenas para encontra uma medida, um valor apenas físico. No caso do motor se aplica, ou melhor, se adapta a mesma fórmula, mas ja não temos a física pura, como eu já me referi, e até hoje ninguem descobriu uma VARIAVEL entre física e química, portanto nunca os valores encontrados serão 100% reais, mas aproximados e "mexiveis" com programação eletrônica.



Última edição por h-roo em Ter 27 Nov 2012, 07:21, editado 1 vez(es)

Ver perfil do usuário

110 Re: Economia do alumínio em Ter 27 Nov 2012, 07:20

h-roo escreveu:...
Segundo, o cálculo acima, e isso já te disso outras vezes, são os cálculos que seriam reais nesses motor se fosse carburado, ele mesmo "sugando" o ar e fazendo sua mistura. Acontece que como é injetado eletrônicamente, e nesse caso pode ser alterada a mistura natural para "manipulada", entra, como eu já te disse também, a química alterada, justamente para buscar uma outra performance de torque mais útil na prática, procurando melhor distribuir e uniformizar esse torque nas diversas faixas de giro, RPM. Então, através do cálculo tu vai ter sim alguma divergência em relação ao torque encontrado através de mudança de programação da ECU....

Hugo, tu fixou a potência em 65CV em todas as rotações, tu sabe que potência começa pequena e sobe sem parar até começar a cair já perto da rotação máxima. Se tu fixasse o torque eu aceitaria, ele sim tem a cara de reta constante, diferente da potência que é uma rampa subindo. Isso para valores máximos do referido motor.

Eu acho que tu está confundindo os motores de carro com os motores elétricos da sua fábrica de telhas... São diferentes, tu sabe né? Vou pesquisar isso. Tu deve estar misturando as características dos motores, no caso motor elétrico e otto.

Ver perfil do usuário

111 Re: Economia do alumínio em Ter 27 Nov 2012, 07:26

h-roo


Rank : 5
Rank : 5
ET-e-HHO-existe escreveu:
h-roo escreveu:...
Segundo, o cálculo acima, e isso já te disso outras vezes, são os cálculos que seriam reais nesses motor se fosse carburado, ele mesmo "sugando" o ar e fazendo sua mistura. Acontece que como é injetado eletrônicamente, e nesse caso pode ser alterada a mistura natural para "manipulada", entra, como eu já te disse também, a química alterada, justamente para buscar uma outra performance de torque mais útil na prática, procurando melhor distribuir e uniformizar esse torque nas diversas faixas de giro, RPM. Então, através do cálculo tu vai ter sim alguma divergência em relação ao torque encontrado através de mudança de programação da ECU....

Hugo, tu fixou a potência em 65CV em todas as rotações, tu sabe que potência começa pequena e sobe sem parar até começar a cair já perto da rotação máxima. Se tu fixasse o torque eu aceitaria, ele sim tem a cara de reta constante, diferente da potência que é uma rampa subindo. Isso para valores máximos do referido motor.

Eu acho que tu está confundindo os motores de carro com os motores elétricos da sua fábrica de telhas... São diferentes, tu sabe né? Vou pesquisar isso. Tu deve estar misturando as características dos motores, no caso motor elétrico e otto.

Não ET, é assim mesmo que se aplica a fórmula, usando sempre a potencia nominal máxima...da mesma forma que para encontrar a potencia tu usa também o torque máximo do motor...volto a dizer, por isso a constante 716,2

potencia= torque x RPM dividido pela constante 716,2.

Experimenta usar o torque que tu encontrou em 6.489, aplica na fórmula e veja a potencia que tu vai "descobrir"...rsrs

Ver perfil do usuário

112 Re: Economia do alumínio em Ter 27 Nov 2012, 07:34

Porque tu acha que a rotação do motor muda de valor, ou aumenta de velocidade?

Ver perfil do usuário

113 Re: Economia do alumínio em Ter 27 Nov 2012, 07:40

h-roo escreveu:...
Experimenta usar o torque que tu encontrou em 6.489, aplica na fórmula e veja a potencia que tu vai "descobrir"...rsrs

Como o torque pouco varia, qualquer torque que tu pegar do gráfico e transformar numa reta, sem ondulações, depois aplicar a formula para achar a potência em relação a rotação, irá gerar uma rampa crescente de potência parecida com a curva real. Novamente, isso se refere a valores máximos do motor.

Por isso o Tanpa achou esquisito a potência fixa que tu deu para os cálculos de diversas rotações. Fixe o torque, mas não a potência, senão a rotação é fixada também.

Ver perfil do usuário

114 Re: Economia do alumínio em Ter 27 Nov 2012, 07:40

h-roo


Rank : 5
Rank : 5
ET-e-HHO-existe escreveu:Porque tu acha que a rotação do motor muda de valor, ou aumenta de velocidade?

Se entendi bem tu quer saber porque aumenta o RPM?
Porque receba uma quantidade maior de mistura ar/combustível, portanto uma explosão mais forte...mas isso todos sabem, eu só não sei porque a pergunta...rsrs
É pra não mais falarmos do teu erro no aplicar a fórmula?...rsrs

Ver perfil do usuário

115 Re: Economia do alumínio em Ter 27 Nov 2012, 07:43

h-roo


Rank : 5
Rank : 5
ET-e-HHO-existe escreveu:
h-roo escreveu:...
Experimenta usar o torque que tu encontrou em 6.489, aplica na fórmula e veja a potencia que tu vai "descobrir"...rsrs

Como o torque pouco varia, qualquer torque que tu pegar do gráfico e transformar numa reta, sem ondulações, depois aplicar a formula para achar a potência em relação a rotação, irá gerar uma rampa crescente de potência parecida com a curva real. Novamente, isso se refere a valores máximos do motor.

Por isso o Tanpa achou esquisito a potência fixa que tu deu para os cálculos de diversas rotações. Fixe o torque, mas não a potência, senão a rotação é fixada também.

E tu continua achando coerente teu cálculo em que a potencia é sempre 30 CV, independente do RPM?...rsrs...quer dizer que a informação da Fiat de que o motor tem 65CV é mentirosa?
Tu descobriu isso?...rsrs

Quanto ao Tanpa não use o engano dele para enrolar novamente a questão.

Amanhã ele vem aqui e inteligentemente vai compreender o que faltou para deslindar a questão.

Agora, nos só poderemos seguir conjeturando sobre potencia>torque>consumo relacionado se pegarmos números verdadeiros, caso contrário o assunto pra mim termina aqui, como já terminou lá atrás, tendo ficado só a questão de corrigir teu cálculo.
Ainda assim, a fórmula é aplicada sobre valores encontrados no dinamometro, no caso os 65CV e a curva de torque. Esses são os números verdadeiros, os do dinamometro. Os encontrados pela fórmula já partem, e tem de ser assim, do dinamometro, mesmo não sendo totalmente fieis, apenas como amparo aproximado.
Se voce tiver os números do dinamometro e muita quilometragem ao volante, dá pra confirmar na prática facilmente. Já os números surgidos da fórmula nem sempre se confirmam ao dirigir.
Mas como eu viajei muitos mil quilometros com carros da Fiat, tu deu azar em usar para teus cálculos, foi botar o olho e eu vi que não conferia sob hipótese alguma. alias, não ia conferir com qualquer outro motor também.

Ver perfil do usuário

116 Re: Economia do alumínio em Ter 27 Nov 2012, 08:23

h-roo escreveu:...Não ET, é assim mesmo que se aplica a fórmula, usando sempre a potencia nominal máxima...da mesma forma que para encontrar a potencia tu usa também o torque máximo do motor...volto a dizer, por isso a constante 716,2

potencia= torque x RPM dividido pela constante 716,2.

...

Não Hugo, a constante é tão somente para compatibilizar as unidades de medidas que gostamos de usar: kgf.m, RPM e CV ao invés de N.m, Hz e W.

Acompanhe a descrição:

Para calcular toque a fórmula é meramente (rotação x torque = potência). Como cada item da fórmula tem unidade de medidas próprias que gostamos de usar, então uma constante compatibiliza as unidades de medidas da seguinte forma:

Para torque queremos usar o m.kgf, ao invés de N.m.

Para rotação queremos usar RPM, ao invés de Hz (rotações por segundo).

Potência queremos usar CV, ao invés de Watts.

1 kgf é a força que uma massa de 1000 gramas faz quando acelerado pela força da gravidade (9,80665m/s). Como isso vai ser feito em um círculo de 1m de raio, percorrendo 1m x Pi x 2 = 6,2832m, para converter nosso kgf.m fica assim (9,80665 x Pi x 2).

A velocidade deverá ser dividida por 60 para achar rotações por segundo e compatibilizar com a aceleração da gravidade que foi dada em m/s.

A potência deverá ser dividida por 375,5 que é a fórmula de converter watts em cavalos.

Então: 735,5 / (9,80665 x Pi x 2 / 60) = constante 716,2

Ver perfil do usuário

117 Re: Economia do alumínio em Ter 27 Nov 2012, 08:46

h-roo


Rank : 5
Rank : 5
ET-e-HHO-existe escreveu:
h-roo escreveu:...Não ET, é assim mesmo que se aplica a fórmula, usando sempre a potencia nominal máxima...da mesma forma que para encontrar a potencia tu usa também o torque máximo do motor...volto a dizer, por isso a constante 716,2

potencia= torque x RPM dividido pela constante 716,2.

...

Não Hugo, a constante é tão somente para compatibilizar as unidades de medidas que gostamos de usar: kgf.m, RPM e CV ao invés de N.m, Hz e W.

Acompanhe a descrição:

Para calcular toque a fórmula é meramente (rotação x torque = potência). Como cada item da fórmula tem unidade de medidas próprias que gostamos de usar, então uma constante compatibiliza as unidades de medidas da seguinte forma:

Para torque queremos usar o m.kgf, ao invés de N.m.

Para rotação queremos usar RPM, ao invés de Hz (rotações por segundo).

Potência queremos usar CV, ao invés de Watts.

1 kgf é a força que uma massa de 1000 gramas faz quando acelerado pela força da gravidade (9,80665m/s). Como isso vai ser feito em um círculo de 1m de raio, percorrendo 1m x Pi x 2 = 6,2832m, para converter nosso kgf.m fica assim (9,80665 x Pi x 2).

A velocidade deverá ser dividida por 60 para achar rotações por segundo e compatibilizar com a aceleração da gravidade que foi dada em m/s.

A potência deverá ser dividida por 375,5 que é a fórmula de converter watts em cavalos.

Então: 735,5 / (9,80665 x Pi x 2 / 60) = constante 716,2


ET
Não começa com outros absurdos: "...Para calcular toque a fórmula é meramente (rotação x torque = potência)..."

Sobre o resto do enrolation, não vou nem opinar, mais uma vez não conseguiu entender o porque da constante 716,2...ai vem aqui e joga qualquer coisa que vem à cabeça.
Chega de descutir contigo, já me dou por satisfeito ter reencontrado o torque que tu tinha amorcegado, sumido, escafedido..rsrs
Da próxima vez tenha um pouco mais de humildade e não atacar os outros querendo defender teus erros.

Já conheço tua técnica, quanto mais se enrola mais cria novo enrolation para despistar.

Não caio mais nessa.

Ver perfil do usuário

118 Re: Economia do alumínio em Ter 27 Nov 2012, 14:23

ET-e-HHO-existe escreveu:
h-roo escreveu:...Não ET, é assim mesmo que se aplica a fórmula, usando sempre a potencia nominal máxima...da mesma forma que para encontrar a potencia tu usa também o torque máximo do motor...volto a dizer, por isso a constante 716,2

potencia= torque x RPM dividido pela constante 716,2.

...

Não Hugo, a constante é tão somente para compatibilizar as unidades de medidas que gostamos de usar: kgf.m, RPM e CV ao invés de N.m, Hz e W.

Acompanhe a descrição:

Para calcular toque a fórmula é meramente (rotação x torque = potência). Como cada item da fórmula tem unidade de medidas próprias que gostamos de usar, então uma constante compatibiliza as unidades de medidas da seguinte forma:

Para torque queremos usar o m.kgf, ao invés de N.m.

Para rotação queremos usar RPM, ao invés de Hz (rotações por segundo).

Potência queremos usar CV, ao invés de Watts.

1 kgf é a força que uma massa de 1000 gramas faz quando acelerado pela força da gravidade (9,80665m/s). Como isso vai ser feito em um círculo de 1m de raio, percorrendo 1m x Pi x 2 = 6,2832m, para converter nosso kgf.m fica assim (9,80665 x Pi x 2).

A velocidade deverá ser dividida por 60 para achar rotações por segundo e compatibilizar com a aceleração da gravidade que foi dada em m/s.

A potência deverá ser dividida por 375,5 que é a fórmula de converter watts em cavalos.

Então: 735,5 / (9,80665 x Pi x 2 / 60) = constante 716,2

Ainda nesta peleja ? vale a pena ?

Ver perfil do usuário

119 Re: Economia do alumínio em Ter 27 Nov 2012, 15:05

marcelo.eletrotecnico escreveu:

Ainda nesta peleja ? vale a pena ?

Minha paciência é infinita em tentar explicar ao cara a realidade torquiana e ele não enxerga, diz que eu estou enrolando para aceitar a verdade. Olha o que o cara disse:

"...Da próxima vez tenha um pouco mais de humildade e não atacar os outros querendo defender teus erros."

Onde eu ataquei ele na questão do torque? Expus minha ideia e ainda expliquei, novamente, como se acha a tal constante.

Ficou pensando que "ataque" pessoal, para ele, é duvidar de sua palavra. Onde eu ataquei ele na questão torquiana?

Ver perfil do usuário

120 Re: Economia do alumínio em Ter 27 Nov 2012, 15:14

h-roo


Rank : 5
Rank : 5
ET-e-HHO-existe escreveu:
marcelo.eletrotecnico escreveu:

Ainda nesta peleja ? vale a pena ?

Minha paciência é infinita em tentar explicar ao cara a realidade torquiana e ele não enxerga, diz que eu estou enrolando para aceitar a verdade. Olha o que o cara disse:

"...Da próxima vez tenha um pouco mais de humildade e não atacar os outros querendo defender teus erros."

Onde eu ataquei ele na questão do torque? Expus minha ideia e ainda expliquei, novamente, como se acha a tal constante.

Ficou pensando que "ataque" pessoal, para ele, é duvidar de sua palavra. Onde eu ataquei ele na questão torquiana?

Para quem não ler toda a pendenga tu até pode enganar com teu costumeiro "conversé"....rsrs

Ver perfil do usuário

121 Re: Economia do alumínio em Ter 27 Nov 2012, 21:50

tanpa nama


Rank : 2
Rank : 2
Não entendi nada dessa pendenga. Muito fala, fala e eu tava até desaprendendo o que era torque.

Eu realmente me confundi e escrevi torque em lugar de potência, mas só isso, eu pensava em potência na hora.

To até agora tentando entender porque o Sr. Hugo só trabalha com a potência ou torque total. Fazer isso deixa o motor engessado numa única situação. Seria como dizer que a mordida de um cachorro tem a força de 200kg, daí concluir que quando ele morde sua ração, aperta com 200kg de força, quanto brinca com o dono de morder, aperta com a força de 200kg. Um cachorro poder ter um poder máximo de mordida e nos referirmos a esse valor, mas não significa que ele não possa até dar uma mordida carinhosa que não faz dano algum. Com um motor não é diferente, queremos saber o máximo que ele consegue, mas nem sempre ele estará no máximo.

Até onde pude perceber o ET tem razão em suas contas e eu como já sabia o que era torque, só dei uma conferida. Quem sabe apareci alguma informação nova? E apareceu, que foi a explicação de como chegar a constante 716,2.

A ideia do Sr Hugo é tão estranha que eu nem consigo entender o que ele realmente pretende calcular. Desculpe, mas é difícil entender onde tu quer chegar.

Ver perfil do usuário

122 Re: Economia do alumínio em Ter 27 Nov 2012, 23:36

h-roo


Rank : 5
Rank : 5
tanpa nama escreveu:Não entendi nada dessa pendenga. Muito fala, fala e eu tava até desaprendendo o que era torque.

Eu realmente me confundi e escrevi torque em lugar de potência, mas só isso, eu pensava em potência na hora.

To até agora tentando entender porque o Sr. Hugo só trabalha com a potência ou torque total. Fazer isso deixa o motor engessado numa única situação. Seria como dizer que a mordida de um cachorro tem a força de 200kg, daí concluir que quando ele morde sua ração, aperta com 200kg de força, quanto brinca com o dono de morder, aperta com a força de 200kg. Um cachorro poder ter um poder máximo de mordida e nos referirmos a esse valor, mas não significa que ele não possa até dar uma mordida carinhosa que não faz dano algum. Com um motor não é diferente, queremos saber o máximo que ele consegue, mas nem sempre ele estará no máximo.

Até onde pude perceber o ET tem razão em suas contas e eu como já sabia o que era torque, só dei uma conferida. Quem sabe apareci alguma informação nova? E apareceu, que foi a explicação de como chegar a constante 716,2.

A ideia do Sr Hugo é tão estranha que eu nem consigo entender o que ele realmente pretende calcular. Desculpe, mas é difícil entender onde tu quer chegar.

Mas báh tchê...barbaridade...kkkkkkkkkk
Viu como eu sabia que tu não tinha entendido?
Ai, por simpatia, porque o ET vazilinamente de teu uma puxadinha de saco, mesmo sem tu entender deu "razão" a ele.
É de pessoas assim que ele precisa, tapadas,que devolvem a vazilina, pra poder exponenciar seu imenso ego...kkkkkkkk

Mas fica frio, com mais uns 18 anos tu talvez consiga entender.

Áh, cuidado com o cachorro, ele pode não estar nos dias CARINHOSOS e te pegar de jeito...kkkkkkkkkkkk

Ver perfil do usuário

123 Re: Economia do alumínio em Qua 28 Nov 2012, 00:21

tanpa nama escreveu:Não entendi nada dessa pendenga. Muito fala, fala e eu tava até desaprendendo o que era torque.

Eu realmente me confundi e escrevi torque em lugar de potência, mas só isso, eu pensava em potência na hora.

To até agora tentando entender porque o Sr. Hugo só trabalha com a potência ou torque total. Fazer isso deixa o motor engessado numa única situação. Seria como dizer que a mordida de um cachorro tem a força de 200kg, daí concluir que quando ele morde sua ração, aperta com 200kg de força, quanto brinca com o dono de morder, aperta com a força de 200kg. Um cachorro poder ter um poder máximo de mordida e nos referirmos a esse valor, mas não significa que ele não possa até dar uma mordida carinhosa que não faz dano algum. Com um motor não é diferente, queremos saber o máximo que ele consegue, mas nem sempre ele estará no máximo.

Até onde pude perceber o ET tem razão em suas contas e eu como já sabia o que era torque, só dei uma conferida. Quem sabe apareci alguma informação nova? E apareceu, que foi a explicação de como chegar a constante 716,2.

A ideia do Sr Hugo é tão estranha que eu nem consigo entender o que ele realmente pretende calcular. Desculpe, mas é difícil entender onde tu quer chegar.

Muito interessante esta ilustração do cachorro. Eu tenho um e sei exatamente o que quer dizer. Uma das bricadeiras preferidas dele é morder. E como é grandão, se fosse sempre a força máxima eu já tava maneta.

Ver perfil do usuário

124 Re: Economia do alumínio em Qua 28 Nov 2012, 00:23

h-roo


Rank : 5
Rank : 5
É só o que faltava...rsrs
Chamem o ET pra calcular o torque da mordida do cachorro, tem dois ai acima que vão adorar...kkkkkkkkkkkk

Ver perfil do usuário

125 Re: Economia do alumínio em Qua 28 Nov 2012, 00:29

ET-e-HHO-existe escreveu:
marcelo.eletrotecnico escreveu:

Ainda nesta peleja ? vale a pena ?

Minha paciência é infinita em tentar explicar ao cara a realidade torquiana e ele não enxerga, diz que eu estou enrolando para aceitar a verdade. Olha o que o cara disse:

"...Da próxima vez tenha um pouco mais de humildade e não atacar os outros querendo defender teus erros."

Onde eu ataquei ele na questão do torque? Expus minha ideia e ainda expliquei, novamente, como se acha a tal constante.

Ficou pensando que "ataque" pessoal, para ele, é duvidar de sua palavra. Onde eu ataquei ele na questão torquiana?

Mas ainda fica a dúvida: qual é o objetivo real desta discussão, a não ser a de provar quem tem razão, o que nunca vai acontecer ? (não com aceitação mútua). E se fosse provado, o que acontece depois ? Vale mesmo a pena ?

Ver perfil do usuário

126 Re: Economia do alumínio Hoje à(s) 13:43

Conteúdo patrocinado


Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo  Mensagem [Página 5 de 7]

Ir à página : Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7  Seguinte

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum