Para quem quer poupar combustivel !


Você não está conectado. Conecte-se ou registre-se

Injecao de hidrogenio liberada pela ECU.

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo  Mensagem [Página 1 de 1]

1 Injecao de hidrogenio liberada pela ECU. em Ter 05 Maio 2015, 15:45

haxc28


Rank : 0
Rank : 0
Bom dia turma, sou novo aqui e também novo no que se diz combustível de Hidrogênio.
Vamos lá, em primeiro lugar ainda não fiz o meu gerador de Hidrogênio, estou firmando ideias p fazer um gerador
com uma boa tecnologia, mas também sinto necessidade de colocar algumas ideias em prática, o que mais me pertuba nessas ideias
é a respeito da injeção de hidrogênio no motor. Fiz algumas pesquisas e encontrei alguns erros em injetar o combustível
diretamente no compartimento do filtro do ar, isso fez com que eu pesquisasse mais sobre o assunto.

Nos anos 90 foi adicionado aos veículos alguns componentes com o objetivo de diminuir os índices de emissões de poluentes.  
Sabendo que além do motor, uma das fontes de emissão de gases em um veículo é o próprio
tanque de combustível(pois o vapor do combustível contido neste era liberado para atmosfera),
foi desenvolvido o sistema EEC(Evaporative Emission Control) fazendo parte do sistema de injeção eletrônica.
Atualmente os gases do tanque são filtrados e reaproveitados.
Um filtro de carvão ativado, chamado de filtro do canister absorve o vapor de combustível
filtrando-o e liberando ar fresco para atmosfera, o vapor absorvido pelo carvão ativado do filtro é
reaproveitado pelo motor. Para controlar a passagem desses gases a Válvula de Purga do Cânister – CANP
Canister Purg Solenoid foi desenvolvida.

Para evitar a poluição do ar criou-se um sistema(EEC) que canalizava os vapores do combustível até o coletor de
admissão do motor, para serem posteriormente queimados pelo motor no tempo de combustão.
No entanto, esses vapores não poderiam serem adicionados a mistura ar/combustível a qualquer momento,
teriam de ser controlados para evitar que entrassem no motor em determinados regimes de funcionamento, prejudicando-o.
O vapor de combustível enriquece a mistura ar/combustível, por este motivo a ECU deve controlar a válvula de forma
que a passagem de vapores de combustível para o motor não aconteça em momentos como por exemplo,
de marcha-lenta. Não seria interessante a injeção desse plus de combustível, tendo em vista que
o consumo aumentaria e o índice de emissões também. É a válvula de purga quem mantem os vapores
no filtro canister quando o motor está desligado e enquanto a ECU não determina quando os vapores devem ser reaproveitados.

Como funciona?




Trata-se de um simples solenoide que libera ou restringe a passagem de vapores de combustível para o coletor de admissão.
Os gases evaporados do combustível ficam retidos no canister, para então serem purgados pela válvula diretamente para
o coletor de admissão. Na verdade o vácuo criado pelo coletor de admissão é quem retira o vapor de combustível, a válvula
apenas libera ou sessa a passagem.
Localizada entre o filtro canister e o coletor de admissão, recebe a tubulação que vem do canister e a tubulação que segue
para o coletor de admissão.
Embora os gases só passem para o coletor de admissão quando a válvula abre, todo o controle da válvula é feito pela ECU,
que a partir de informações provenientes da sonda lâmbda e do sensor de temperatura determina a quantidade
de gases liberados para serem suplementados a mistura ar/combustível.
O controle da válvula realizado pela ECU é feito com pulsos negativos e visualizados em porcentagem de
seu ciclo de trabalho, a ECU envia o pulso negativo para que a válvula abra, e sessa para fecha-la. Assim,
o tempo que a válvula fica aberta e o tempo que a válvula permanece fechada são relacionados,
sendo então visualizado(via scanner) em forma de porcentagem.

Vi um teste do Canister no youtube este teste foi feito com um medidor de injeção eletrônica,
quanto mais o carro era acelerado mais o canister deixava o gas da gasolina entrar. No medidor aprecia 0% a 100%
da válvula canister aberta.
Constatei que quanto maior a aceleração mais gas de gasolina é jogado no coletor de admissão.

Acho que esse é o caminho, quem souber um pouco mais sobre o canister ou quiser aprimorar nossas ideia, sinta-se
a vontade para debater.

Abçs!

Ver perfil do usuário

acalister


Rank : 5
Rank : 5
[quote="haxc28"]Bom dia turma, sou novo aqui e também novo no que se diz combustível de Hidrogênio.
Vamos lá, em primeiro lugar ainda não fiz o meu gerador de Hidrogênio, estou firmando ideias p fazer um gerador
com uma boa tecnologia, mas também sinto necessidade de colocar algumas ideias em prática, o que mais me pertuba nessas ideias
é a respeito da injeção de hidrogênio no motor. Fiz algumas pesquisas e encontrei alguns erros em injetar o combustível
diretamente no compartimento do filtro do ar, isso fez com que eu pesquisasse mais sobre o assunto.

Nos anos 90 foi adicionado aos veículos alguns componentes com o objetivo de diminuir os índices de emissões de poluentes.  
Sabendo que além do motor, uma das fontes de emissão de gases em um veículo é o próprio
tanque de combustível(pois o vapor do combustível contido neste era liberado para atmosfera),
foi desenvolvido o sistema EEC(Evaporative Emission Control) fazendo parte do sistema de injeção eletrônica.
Atualmente os gases do tanque são filtrados e reaproveitados.
Um filtro de carvão ativado, chamado de filtro do canister absorve o vapor de combustível
filtrando-o e liberando ar fresco para atmosfera, o vapor absorvido pelo carvão ativado do filtro é
reaproveitado pelo motor. Para controlar a passagem desses gases a Válvula de Purga do Cânister – CANP
Canister Purg Solenoid foi desenvolvida.

Para evitar a poluição do ar criou-se um sistema(EEC) que canalizava os vapores do combustível até o coletor de
admissão do motor, para serem posteriormente queimados pelo motor no tempo de combustão.
No entanto, esses vapores não poderiam serem adicionados a mistura ar/combustível a qualquer momento,
teriam de ser controlados para evitar que entrassem no motor em determinados regimes de funcionamento, prejudicando-o.
O vapor de combustível enriquece a mistura ar/combustível, por este motivo a ECU deve controlar a válvula de forma
que a passagem de vapores de combustível para o motor não aconteça em momentos como por exemplo,
de marcha-lenta. Não seria interessante a injeção desse plus de combustível, tendo em vista que
o consumo aumentaria e o índice de emissões também. É a válvula de purga quem mantem os vapores
no filtro canister quando o motor está desligado e enquanto a ECU não determina quando os vapores devem ser reaproveitados.

Como funciona?

[img]http://r19club.com/wp-content/uploads/2011/08/sistema-injecao.jpg[/img]


Trata-se de um simples solenoide que libera ou restringe a passagem de vapores de combustível para o coletor de admissão.
Os gases evaporados do combustível ficam retidos no canister, para então serem purgados pela válvula diretamente para
o coletor de admissão. Na verdade o vácuo criado pelo coletor de admissão é quem retira o vapor de combustível, a válvula
apenas libera ou sessa a passagem.
Localizada entre o filtro canister e o coletor de admissão, recebe a tubulação que vem do canister e a tubulação que segue
para o coletor de admissão.
Embora os gases só passem para o coletor de admissão quando a válvula abre, todo o controle da válvula é feito pela ECU,
que a partir de informações provenientes da sonda lâmbda e do sensor de temperatura determina a quantidade
de gases liberados para serem suplementados a mistura ar/combustível.
O controle da válvula realizado pela ECU é feito com pulsos negativos e visualizados em porcentagem de
seu ciclo de trabalho, a ECU envia o pulso negativo para que a válvula abra, e sessa para fecha-la. Assim,
o tempo que a válvula fica aberta e o tempo que a válvula permanece fechada são relacionados,
sendo então visualizado(via scanner) em forma de porcentagem.

Vi um teste do Canister no youtube este teste foi feito com um medidor de injeção eletrônica,
quanto mais o carro era acelerado mais o canister deixava o gas da gasolina entrar. No medidor aprecia 0% a 100%
da válvula canister aberta.
Constatei que quanto maior a aceleração mais gas de gasolina é jogado no coletor de admissão.

Acho que esse é o caminho, quem souber um pouco mais sobre o canister ou quiser aprimorar nossas ideia, sinta-se
a vontade para debater.

Abçs![/quote]


Isso é bem interessante, acionar o rele do gerador por meio do sinal negativo ECU/solenoide, mas não sei isso vai influenciar muito, enfim, o buraco é mais embaixo em se tratando de HHO e garanto que já vi essa ideia antes em um outro forum nos USA, eu não me lembro bem se isso havia da certo ou não, acho que não.



HHO: My Jeep is running on water!
HHO system is hooked up and running. My Jeep has never run so smooth. When I pull up to stop lights, I have to check the RPMs to reassure myself that it's still running. I am still playing with the a/f mixtures.

[color=#ff3399]I tapped power for the unit into the evap canister purge solenoid. Green is the power wire. It's right next to where I mounted it, and it only comes on with the key. [/color]

The MAP sensor enhancer is also tapped in and working. I tapped into the signal wire for this unit (dark green with a red stripe). It allows me to manually adjust the a/f mixtures.

So far, I have no MIL.

I tapped the electrolyzer into two places. One place is the vacuum for the cruise control on the manifold. The second tie in was on the tube from the air box.
**I changed my vacuum tie in. The extension was just enough to jack up the vacuum for my a/c, so I changed the vacuum line to the smaller evap line (the one towards the front of the manifold on the side). Problem is gone now, and everything works good.

I am running 3/4 teaspoon of the baking soda to 1 quart of water. I will see if I need to up this or not later. Right now, heat doesn't appear to be an issue.

I will take pictures when I get home. No results to report. I will run through a couple of tanks, and see where I stand. My brother ordered a Scangauge II, so we're going to take turns running with that for more accurate results.

I found a great way to mount these things. I will take a picture later, but it's perfect, and you don't need bungee cords, or any of that stuff. It's pretty secure.

I have this entire thing set up with a master switch, and I also made some vacuum caps. I can completely isolate this entire thing from my engine for off road activities.


**If you want to debate the topic, go to the other thread. Please keep this one tech only.**
Last edited by Chris; 07-05-2008 at 05:03 PM.


GOOGLE tradutor-


HHO: Meu jipe ​​está sendo executado em água!
Sistema HHO está ligado e funcionando. Meu jipe ​​nunca correr tão suave. Quando eu puxar para cima para parar de luzes, eu tenho que verificar as RPMs para me tranquilizar de que ele ainda está em execução. Eu ainda estou jogando com as misturas a / f.

Bati de energia para a unidade no expurgo solenóide evap vasilha. O verde é o fio de energia. É ao lado de onde eu montei ele, e ele só vem com a tecla.

O intensificador de sensor MAP também é aproveitado em e trabalhando. I aproveitado para o fio de sinal para esta unidade (verde escuro com uma listra vermelha). Ele me permite ajustar manualmente as misturas a / f.

Até agora, não tenho MIL.

Toquei no electrolyzer em dois lugares. Um lugar é o vácuo para o controle de cruzeiro no colector. O segundo em empate foi no tubo da caixa de ar.
** Eu mudei minha gravata vácuo. A extensão foi apenas o suficiente para fazer subir o vácuo para o meu a / c, então eu mudei a linha de vácuo para a linha de evap menor (um para a frente do colector ao lado). Problema é ido agora, e tudo funciona bem.

Estou executando 3/4 colher de chá de bicarbonato de sódio a 1 litro de água. Vou ver se eu precisar-se esta ou não mais tarde. Neste momento, o calor não parece ser um problema.

Vou tirar fotos quando eu chegar em casa. Nenhum resultado para relatar. I será executado através de um par de tanques, e ver onde eu estou. Meu irmão pedi uma ScanGauge II, então nós estamos indo para se revezam correndo com que para obter resultados mais precisos.

Eu achei uma ótima maneira de montar essas coisas. Vou tirar uma foto mais tarde, mas é perfeito, e você não precisa de cabos elásticos, ou qualquer dessas coisas. É bastante seguro.

Eu tenho essa coisa toda configurado com uma chave mestra, e eu também fiz algumas tampas de vácuo. Eu posso isolar completamente essa coisa toda do meu motor para atividades off-road.


** Se você quiser debater o tema, vá para o outro segmento. Por favor, mantenha isso só uma tecnologia. **
Última edição por Chris; 07-05-2008 a 17:03.



Última edição por acalister em Ter 05 Maio 2015, 23:34, editado 1 vez(es)

Ver perfil do usuário

haxc28


Rank : 0
Rank : 0
acalister escreveu:
haxc28 escreveu:Bom dia turma, sou novo aqui e também novo no que se diz combustível de Hidrogênio.
Vamos lá, em primeiro lugar ainda não fiz o meu gerador de Hidrogênio, estou firmando ideias p fazer um gerador
com uma boa tecnologia, mas também sinto necessidade de colocar algumas ideias em prática, o que mais me pertuba nessas ideias
é a respeito da injeção de hidrogênio no motor. Fiz algumas pesquisas e encontrei alguns erros em injetar o combustível
diretamente no compartimento do filtro do ar, isso fez com que eu pesquisasse mais sobre o assunto.

Nos anos 90 foi adicionado aos veículos alguns componentes com o objetivo de diminuir os índices de emissões de poluentes.  
Sabendo que além do motor, uma das fontes de emissão de gases em um veículo é o próprio
tanque de combustível(pois o vapor do combustível contido neste era liberado para atmosfera),
foi desenvolvido o sistema EEC(Evaporative Emission Control) fazendo parte do sistema de injeção eletrônica.
Atualmente os gases do tanque são filtrados e reaproveitados.
Um filtro de carvão ativado, chamado de filtro do canister absorve o vapor de combustível
filtrando-o e liberando ar fresco para atmosfera, o vapor absorvido pelo carvão ativado do filtro é
reaproveitado pelo motor. Para controlar a passagem desses gases a Válvula de Purga do Cânister – CANP
Canister Purg Solenoid foi desenvolvida.

Para evitar a poluição do ar criou-se um sistema(EEC) que canalizava os vapores do combustível até o coletor de
admissão do motor, para serem posteriormente queimados pelo motor no tempo de combustão.
No entanto, esses vapores não poderiam serem adicionados a mistura ar/combustível a qualquer momento,
teriam de ser controlados para evitar que entrassem no motor em determinados regimes de funcionamento, prejudicando-o.
O vapor de combustível enriquece a mistura ar/combustível, por este motivo a ECU deve controlar a válvula de forma
que a passagem de vapores de combustível para o motor não aconteça em momentos como por exemplo,
de marcha-lenta. Não seria interessante a injeção desse plus de combustível, tendo em vista que
o consumo aumentaria e o índice de emissões também. É a válvula de purga quem mantem os vapores
no filtro canister quando o motor está desligado e enquanto a ECU não determina quando os vapores devem ser reaproveitados.

Como funciona?




Trata-se de um simples solenoide que libera ou restringe a passagem de vapores de combustível para o coletor de admissão.
Os gases evaporados do combustível ficam retidos no canister, para então serem purgados pela válvula diretamente para
o coletor de admissão. Na verdade o vácuo criado pelo coletor de admissão é quem retira o vapor de combustível, a válvula
apenas libera ou sessa a passagem.
Localizada entre o filtro canister e o coletor de admissão, recebe a tubulação que vem do canister e a tubulação que segue
para o coletor de admissão.
Embora os gases só passem para o coletor de admissão quando a válvula abre, todo o controle da válvula é feito pela ECU,
que a partir de informações provenientes da sonda lâmbda e do sensor de temperatura determina a quantidade
de gases liberados para serem suplementados a mistura ar/combustível.
O controle da válvula realizado pela ECU é feito com pulsos negativos e visualizados em porcentagem de
seu ciclo de trabalho, a ECU envia o pulso negativo para que a válvula abra, e sessa para fecha-la. Assim,
o tempo que a válvula fica aberta e o tempo que a válvula permanece fechada são relacionados,
sendo então visualizado(via scanner) em forma de porcentagem.

Vi um teste do Canister no youtube este teste foi feito com um medidor de injeção eletrônica,
quanto mais o carro era acelerado mais o canister deixava o gas da gasolina entrar. No medidor aprecia 0% a 100%
da válvula canister aberta.
Constatei que quanto maior a aceleração mais gas de gasolina é jogado no coletor de admissão.

Acho que esse é o caminho, quem souber um pouco mais sobre o canister ou quiser aprimorar nossas ideia, sinta-se
a vontade para debater.

Abçs!


Isso é bem interessante, acionar o rele do gerador por meio do sinal negativo ECU/solenoide, mas não sei isso vai influenciar muito, enfim, o buraco é mais embaixo em se tratando de HHO e garanto que já vi essa ideia antes em um outro forum nos USA, eu não me lembro bem se isso havia da certo ou não, acho que não.

Na verdade é justamente o buraco de entrada do GÁS da Gasolina que precisamos, é um local que foi feito para receber combustível em forma de gasosa  podemos fazer o controle do fluxo utilizando o sensor do acelerador, ou podemos colocar um potenciometro no pedal do acelerador. Desta forma o poderíamos controlar o solenoide. Podemos também utilizar de Arduino para se comunicar com a injeção eletrônica, dessa forma teríamos informações da SONDA LAMBDA e do MEDIDOR DE FLUXO DO AR, com essas informações injetaríamos graduativamente o Hidrogenio. São apenas idéias.

Ver perfil do usuário
A ideia é boa, do controlador de corrente acionado pela posição do pedal do acelerador, mas isso iria criar uma "Delay" entre a solicitação de potência, ou seja a aceleração, e a geração de HHO, pois o aumento da geração do HHO não é instantânea.

Ver perfil do usuário

h-roo


Rank : 5
Rank : 5

Sem maiores comentários, o Acalister poderá falar a respeito do "Vaporeto"....kkkkkkkk

https://br.noticias.yahoo.com/a-revolu%C3%A7%C3%A3o-chegou--audi-cria-combust%C3%ADvel-feito-apenas-com-ar-e-%C3%A1gua-213626925.html?linkId=13835699

Ver perfil do usuário

haxc28


Rank : 0
Rank : 0
Ricardo Krossin escreveu:A ideia é boa, do controlador de corrente acionado pela posição do pedal do acelerador, mas isso iria criar uma "Delay" entre a solicitação de potência, ou seja a aceleração, e a geração de HHO, pois o aumento da geração do HHO não é instantânea.

Penso que a corrente controlada pelo pedal iria abrir ou fechar uma válvula(solenoide), essa válvula iria deixar passar o hidrogênio. podíamos colocar um controlador de pressão para controlar a fabricação do hidrogênio, caso o hidrogênio chegasse a tantas lbs automaticamente seria cortada a corrente do dispositivo. Teríamos que ter um pequeno armazenamento de hidrogênio.

Ver perfil do usuário

acalister


Rank : 5
Rank : 5
[quote="h-roo"]
Sem maiores comentários, o Acalister poderá falar a respeito do "Vaporeto"....kkkkkkkk

https://br.noticias.yahoo.com/a-revolu%C3%A7%C3%A3o-chegou--audi-cria-combust%C3%ADvel-feito-apenas-com-ar-e-%C3%A1gua-213626925.html?linkId=13835699[/quote]


Hugo, a história dessa tal fabrica de gasolina sintética da Audi já tem uns dois anos, já o vaporetto tem uns 130 anos ou mais, por falar em vaporetto, vi um artigo a respeito desse tecnologia aqui no Brasil, é a sua empresa?

Ver perfil do usuário

h-roo


Rank : 5
Rank : 5
acalister escreveu:
h-roo escreveu:
Sem maiores comentários, o Acalister poderá falar a respeito do "Vaporeto"....kkkkkkkk

https://br.noticias.yahoo.com/a-revolu%C3%A7%C3%A3o-chegou--audi-cria-combust%C3%ADvel-feito-apenas-com-ar-e-%C3%A1gua-213626925.html?linkId=13835699


Hugo, a história dessa tal fabrica de gasolina sintética da Audi já tem uns dois anos, já o vaporetto tem uns 130 anos ou mais, por falar em vaporetto, vi um artigo a respeito desse tecnologia aqui no Brasil, é a sua empresa?



Acalister, creio que esse experimento da Audi é outro, não é o da tal "gasolina sintética", pois nada tem de sintético, é agua aditivada e vaporizada à alta temperatura, posteriormente eletrolizada...essa a assossiação que fiz com o "vaporeto", que se diferencia positivamente por ser um sistema embarcado, sem necessidade de eletrólise.
Não sei qual artigo que você viu sobre "vaporeto", até porque transferi muinha participação, estou noutra frente....Ou melhor, duas frentes.
1ª - Energia livre juntando 3 princípios tentados isoladamente por 3 diferentas pesquisas, a saber:
a - Magnetismo (imas)
b - Gravidade
c - Multiplicador de força (projeto do engenheiro peruano, lembra?)

2ª - Cloudbusters e organites, desenvolvidos a partir dos estudos de Wilhelm Reich (orgone)
      aplicados na atmosfera para mudar as condições metereológicas (criar chuva e neutralizar efeitos dos
      chemtrails emanações de rádio frequência das torres de transmissão e telefonia móvel.

Sobre orgone (Wilhelm Reich), essa Empresa, assim como Reich fez chover no deserto de Arizona, está tornando
o deserto da Argêlia cultivável e produtivo, inclusive com represas de agua à partir de chuvas criadas com o Cloudbuster. Salientar que, como podes ver na matéria do link que forneço abaixo, o "canhão" segue o modelo "Reich", que necessita de circulação de água para descarregar o orgone negativo, emquanto emite orgone positivo...Já o método que vou utilizar é mais moderno, sem necessidade de circulação de água, transformando o orgone mortal (negativo) em orgone positivo, dentro do próprio aparelho.

http://desert-greening.com/

PS: E o ET/Milzon, tem notícias ou foi mesmo abduzido pelos seus irmãos do Planeta Pinelão?

Ver perfil do usuário

h-roo


Rank : 5
Rank : 5
https://chuvasnodeserto.wordpress.com/2015/04/01/285/

Ver perfil do usuário

Conteúdo patrocinado


Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo  Mensagem [Página 1 de 1]

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum