Para quem quer poupar combustivel !


Você não está conectado. Conecte-se ou registre-se

Diminuir a vazão de combustivel para o cilindro.

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo  Mensagem [Página 1 de 1]

haxc28


Rank : 0
Rank : 0
Boa tarde, continuando as ideias, estes dias fiquei pesquisando sobre um jeito de diminuir a vazão de
combustível do bico injetor para o cilindro do motor, pois, já que estamos adicionando hidrogênio pq não diminuir a gasolina injetada?
Estava procurando microcontroladores para fazer esse trabalho, porém esse trabalho parece ser bem mais fácil e barato. Lembrei de uma
peça fundamental no sistema de injeção, ela existe em qualquer carro de injeção eletrônica. Veja Abaixo.

Muito se fala do uso ou não do regulador de pressão de combustível conhecido como HPI, seu uso é necessário ou é perda de tempo e dinheiro? Antes de entrarmos nesta questão propriamente dita, vamos entender como funciona e para que ele serve.
     
Também conhecido por dosador de combustível ou FMU (Fuel Management Unit), nos meios internacionais, a função do regulador é manter a pressão de combustível constante nos bicos injetores. Essa necessidade existe pois dentro do coletor de admissão, a pressão de ar admitida varia de acordo com a abertura da borboleta, com a rotação do motor, entre outros fatores. O regulador serve justamente para isto, manter uma pressão de combustível constante e proporcional a pressão de ar admitida.
     
E como funciona um regulador de pressão? Basicamente existem dois tipos de dosadores, os básicos (ou originais) e os do tipo HP (High Pressure), tendo modelos para motores carburados (HPC) e para motores injetados (HPI), lembrando que todos os carros injetados saem de fábrica com um regulador do tipo básico.

Um dosador é composto pelas seguintes partes: entrada e saída de combustível, tomada de vácuo / pressão, mola e diafragma, e no caso dos HP, uma parafuso para regulagem da pressão, através da mola.



Um regulador do tipo básico possui uma relação de pressão de 1:1 (pressão de combustível x pressão de ar). Considerando o funcionamento de um motor turbo, enquanto na fase aspirada, com a pressão no coletor menor ou igual a zero (vácuo), o regulador está mantendo 3 bar de pressão de combustível, conforme a turbina pressuriza, ela gera uma pressão positiva dentro do coletor e a tomada de vácuo do dosador também recebe essa pressão positiva, aumentando a pressão do combustível na mesma proporção, isso significa que, se a turbina está fornecendo 1 bar de pressão, teremos na linha de combustivel 4 bar (3 bar inicial + 1 bar do turbo). No caso do HP, é possível regular essa proporção através do parafuso, onde podemos ter várias proporções como 7:1, 5:1 entre outras, lembrando que a vazão de combustível não é proporcional a pressão, não é por que temos uma proporção de 2:1 que a vazão vai dobrar.

Agora vamos para a parte "polêmica" da história, afinal, devemos usar ou não o HPI? Antes de responder a esta pergunta, é preciso entender o funcionamento do sistema de combustível. Creio que é de conhecimento de todos que, para ter uma maior potência, precisamos de mais energia, para mais energia, precisamos de mais mistura ar / combustível e, para ter mais combustível, precisamos de uma maior vazão de combustível, o que se traduz em substituir a bomba original por uma de maior capacidade (ou várias bombas), que proporcionem a vazão necessária e injetores que suportem essa nova vazão.

Agora vem de fato nossa resposta, para termos injetores que suportem a nova vazão temos três alternativas, trocar os injetores por modelos com uma maior vazão, adicionar mais injetores ou retrabalhar ("arrombar") os bicos, que particularmente não sou a favor, pois é muito difícil conseguir uma vazão igual para todos os injetores com esse processo. Mas dai vem a pergunta: mesmo trocando os bicos, a pressão não vai continuar a mesma? Sim, vai. E como resolver entao? Temos duas formas, a mais correta seria reprogramar o chip ou utilizar uma injeção programável ou suplementar, alterando, entre outros parâmetros, o tempo de abertura dos bicos (duty cicle), onde você consegue ter um acerto realmente liso, mas como sabemos que nem sempre é possível, temos o tal do HPI, onde é possível forçar uma maior pressão de combustível, aumentando a vazão, o que pode forçar a parte mecânica dos bicos e bombas, diminuindo sua vida útil ocasionando problemas como travamento de bicos, por exemplo.

Bom pessoal, esse é o motivo da polêmica que ronda o HPI, procurei ser imparcial nesse assunto, procurando mostrar os "dois lados da moeda", ficando a critério de cada um qual a melhor solução para seu caso. Quanto a vazão, que alguns podem perguntar: Como eu calculo a vazão ideal dos bicos? Está em pauta um artigo mostrando os calculos para quem quiser se divertir, mas gostaria de deixar a dica do site da FuelTech, que possui um programinha que calcula a capacidade de injetores:

Procurei na internet o regulador com o parafuso de regulagem de pressão e encontrei por 99 reais. Ainda não testei mas quem sabe com esse método teríamos uma diminuição considerável de desperdício de energia.

Abçs!

Ver perfil do usuário

acalister


Rank : 5
Rank : 5
[quote="haxc28"]Boa tarde, continuando as ideias, estes dias fiquei pesquisando sobre um jeito de diminuir a vazão de
combustível do bico injetor para o cilindro do motor, pois, já que estamos adicionando hidrogênio pq não diminuir a gasolina injetada?
Estava procurando microcontroladores para fazer esse trabalho, porém esse trabalho parece ser bem mais fácil e barato. Lembrei de uma
peça fundamental no sistema de injeção, ela existe em qualquer carro de injeção eletrônica. Veja Abaixo.

Muito se fala do uso ou não do regulador de pressão de combustível conhecido como HPI, seu uso é necessário ou é perda de tempo e dinheiro? Antes de entrarmos nesta questão propriamente dita, vamos entender como funciona e para que ele serve.
     
Também conhecido por dosador de combustível ou FMU (Fuel Management Unit), nos meios internacionais, a função do regulador é manter a pressão de combustível constante nos bicos injetores. Essa necessidade existe pois dentro do coletor de admissão, a pressão de ar admitida varia de acordo com a abertura da borboleta, com a rotação do motor, entre outros fatores. O regulador serve justamente para isto, manter uma pressão de combustível constante e proporcional a pressão de ar admitida.
     
E como funciona um regulador de pressão? Basicamente existem dois tipos de dosadores, os básicos (ou originais) e os do tipo HP (High Pressure), tendo modelos para motores carburados (HPC) e para motores injetados (HPI), lembrando que todos os carros injetados saem de fábrica com um regulador do tipo básico.

Um dosador é composto pelas seguintes partes: entrada e saída de combustível, tomada de vácuo / pressão, mola e diafragma, e no caso dos HP, uma parafuso para regulagem da pressão, através da mola.



Um regulador do tipo básico possui uma relação de pressão de 1:1 (pressão de combustível x pressão de ar). Considerando o funcionamento de um motor turbo, enquanto na fase aspirada, com a pressão no coletor menor ou igual a zero (vácuo), o regulador está mantendo 3 bar de pressão de combustível, conforme a turbina pressuriza, ela gera uma pressão positiva dentro do coletor e a tomada de vácuo do dosador também recebe essa pressão positiva, aumentando a pressão do combustível na mesma proporção, isso significa que, se a turbina está fornecendo 1 bar de pressão, teremos na linha de combustivel 4 bar (3 bar inicial + 1 bar do turbo). No caso do HP, é possível regular essa proporção através do parafuso, onde podemos ter várias proporções como 7:1, 5:1 entre outras, lembrando que a vazão de combustível não é proporcional a pressão, não é por que temos uma proporção de 2:1 que a vazão vai dobrar.
     
Agora vamos para a parte "polêmica" da história, afinal, devemos usar ou não o HPI? Antes de responder a esta pergunta, é preciso entender o funcionamento do sistema de combustível. Creio que é de conhecimento de todos que, para ter uma maior potência, precisamos de mais energia, para mais energia, precisamos de mais mistura ar / combustível e, para ter mais combustível, precisamos de uma maior vazão de combustível, o que se traduz em substituir a bomba original por uma de maior capacidade (ou várias bombas), que proporcionem a vazão necessária e injetores que suportem essa nova vazão.
     
Agora vem de fato nossa resposta, para termos injetores que suportem a nova vazão temos três alternativas, trocar os injetores por modelos com uma maior vazão, adicionar mais injetores ou retrabalhar ("arrombar") os bicos, que particularmente não sou a favor, pois é muito difícil conseguir uma vazão igual para todos os injetores com esse processo. Mas dai vem a pergunta: mesmo trocando os bicos, a pressão não vai continuar a mesma? Sim, vai. E como resolver entao?     Temos duas formas, a mais correta seria reprogramar o chip ou utilizar uma injeção programável ou suplementar, alterando, entre outros parâmetros, o tempo de abertura dos bicos (duty cicle), onde você consegue ter um acerto realmente liso, mas como sabemos que nem sempre é possível, temos o tal do HPI, onde é possível forçar uma maior pressão de combustível, aumentando a vazão, o que pode forçar a parte mecânica dos bicos e bombas, diminuindo sua vida útil ocasionando problemas como travamento de bicos, por exemplo.
     
Bom pessoal, esse é o motivo da polêmica que ronda o HPI, procurei ser imparcial nesse assunto, procurando mostrar os "dois lados da moeda", ficando a critério de cada um qual a melhor solução para seu caso. Quanto a vazão, que alguns podem perguntar: Como eu calculo a vazão ideal dos bicos? Está em pauta um artigo mostrando os calculos para quem quiser se divertir, mas gostaria de deixar a dica do site da FuelTech, que possui um programinha que calcula a capacidade de injetores:

Procurei na internet o regulador com o parafuso de regulagem de pressão e encontrei por 99 reais. Ainda não testei mas quem sabe com esse método teríamos uma diminuição considerável de desperdício de energia.

Abçs![/quote]


Caro haxc28, desculpe a pergunta, você é um Reptiliano?

Ver perfil do usuário
haxc28 escreveu:Boa tarde, continuando as ideias, estes dias fiquei pesquisando sobre um jeito de diminuir a vazão de
combustível do bico injetor para o cilindro do motor,
     
     
... precisamos de mais mistura ar / combustível e, para ter mais combustível, precisamos de uma maior vazão de combustível, o que se traduz em substituir a bomba original por uma de maior capacidade (ou várias bombas), que proporcionem a vazão necessária e injetores que suportem essa nova vazão...
     
Abçs!

No seu texto o senhor misturou redução de vazão e aumento de vazão.

O cotrolador map / maf vendido no mercadolivre (aqueles com botões mesmo para ajuste manual) já fazem isto de forma muito mais simples.

Ver perfil do usuário

filipe_an


Rank : 0
Rank : 0
haxc28 escreveu:Boa tarde, continuando as ideias, estes dias fiquei pesquisando sobre um jeito de diminuir a vazão de
combustível do bico injetor para o cilindro do motor, pois, já que estamos adicionando hidrogênio pq não diminuir a gasolina injetada?
Estava procurando microcontroladores para fazer esse trabalho, porém esse trabalho parece ser bem mais fácil e barato. Lembrei de uma
peça fundamental no sistema de injeção, ela existe em qualquer carro de injeção eletrônica. Veja Abaixo.

Muito se fala do uso ou não do regulador de pressão de combustível conhecido como HPI, seu uso é necessário ou é perda de tempo e dinheiro? Antes de entrarmos nesta questão propriamente dita, vamos entender como funciona e para que ele serve.
     
Também conhecido por dosador de combustível ou FMU (Fuel Management Unit), nos meios internacionais, a função do regulador é manter a pressão de combustível constante nos bicos injetores. Essa necessidade existe pois dentro do coletor de admissão, a pressão de ar admitida varia de acordo com a abertura da borboleta, com a rotação do motor, entre outros fatores. O regulador serve justamente para isto, manter uma pressão de combustível constante e proporcional a pressão de ar admitida.
     
E como funciona um regulador de pressão? Basicamente existem dois tipos de dosadores, os básicos (ou originais) e os do tipo HP (High Pressure), tendo modelos para motores carburados (HPC) e para motores injetados (HPI), lembrando que todos os carros injetados saem de fábrica com um regulador do tipo básico.

Um dosador é composto pelas seguintes partes: entrada e saída de combustível, tomada de vácuo / pressão, mola e diafragma, e no caso dos HP, uma parafuso para regulagem da pressão, através da mola.



Um regulador do tipo básico possui uma relação de pressão de 1:1 (pressão de combustível x pressão de ar). Considerando o funcionamento de um motor turbo, enquanto na fase aspirada, com a pressão no coletor menor ou igual a zero (vácuo), o regulador está mantendo 3 bar de pressão de combustível, conforme a turbina pressuriza, ela gera uma pressão positiva dentro do coletor e a tomada de vácuo do dosador também recebe essa pressão positiva, aumentando a pressão do combustível na mesma proporção, isso significa que, se a turbina está fornecendo 1 bar de pressão, teremos na linha de combustivel 4 bar (3 bar inicial + 1 bar do turbo). No caso do HP, é possível regular essa proporção através do parafuso, onde podemos ter várias proporções como 7:1, 5:1 entre outras, lembrando que a vazão de combustível não é proporcional a pressão, não é por que temos uma proporção de 2:1 que a vazão vai dobrar.
     
Agora vamos para a parte "polêmica" da história, afinal, devemos usar ou não o HPI? Antes de responder a esta pergunta, é preciso entender o funcionamento do sistema de combustível. Creio que é de conhecimento de todos que, para ter uma maior potência, precisamos de mais energia, para mais energia, precisamos de mais mistura ar / combustível e, para ter mais combustível, precisamos de uma maior vazão de combustível, o que se traduz em substituir a bomba original por uma de maior capacidade (ou várias bombas), que proporcionem a vazão necessária e injetores que suportem essa nova vazão.
     
Agora vem de fato nossa resposta, para termos injetores que suportem a nova vazão temos três alternativas, trocar os injetores por modelos com uma maior vazão, adicionar mais injetores ou retrabalhar ("arrombar") os bicos, que particularmente não sou a favor, pois é muito difícil conseguir uma vazão igual para todos os injetores com esse processo. Mas dai vem a pergunta: mesmo trocando os bicos, a pressão não vai continuar a mesma? Sim, vai. E como resolver entao?     Temos duas formas, a mais correta seria reprogramar o chip ou utilizar uma injeção programável ou suplementar, alterando, entre outros parâmetros, o tempo de abertura dos bicos (duty cicle), onde você consegue ter um acerto realmente liso, mas como sabemos que nem sempre é possível, temos o tal do HPI, onde é possível forçar uma maior pressão de combustível, aumentando a vazão, o que pode forçar a parte mecânica dos bicos e bombas, diminuindo sua vida útil ocasionando problemas como travamento de bicos, por exemplo.
     
Bom pessoal, esse é o motivo da polêmica que ronda o HPI, procurei ser imparcial nesse assunto, procurando mostrar os "dois lados da moeda", ficando a critério de cada um qual a melhor solução para seu caso. Quanto a vazão, que alguns podem perguntar: Como eu calculo a vazão ideal dos bicos? Está em pauta um artigo mostrando os calculos para quem quiser se divertir, mas gostaria de deixar a dica do site da FuelTech, que possui um programinha que calcula a capacidade de injetores:

Procurei na internet o regulador com o parafuso de regulagem de pressão e encontrei por 99 reais. Ainda não testei mas quem sabe com esse método teríamos uma diminuição considerável de desperdício de energia.

Abçs!

Cara, em resumo, queres diminuir a quantidade de combustível, e tbm "controlar" essa quantidade. Se vc faz uso fo HHO, e dependendo do seu veículo, pq não usar um extensor de sonda lambda? mas, não compre no mercado livre, o pessoal lá tá cobrando 50,00 paus num peça que em qualquer torneiro mecânico vc paga 20,00!

Ver perfil do usuário
filipe_an escreveu:
haxc28 escreveu:Boa tarde, continuando as ideias, estes dias fiquei pesquisando sobre um jeito de diminuir a vazão de
combustível do bico injetor para o cilindro do motor, pois, já que estamos adicionando hidrogênio pq não diminuir a gasolina injetada?
Estava procurando microcontroladores para fazer esse trabalho, porém esse trabalho parece ser bem mais fácil e barato. Lembrei de uma
peça fundamental no sistema de injeção, ela existe em qualquer carro de injeção eletrônica. Veja Abaixo.

Muito se fala do uso ou não do regulador de pressão de combustível conhecido como HPI, seu uso é necessário ou é perda de tempo e dinheiro? Antes de entrarmos nesta questão propriamente dita, vamos entender como funciona e para que ele serve.
     
Também conhecido por dosador de combustível ou FMU (Fuel Management Unit), nos meios internacionais, a função do regulador é manter a pressão de combustível constante nos bicos injetores. Essa necessidade existe pois dentro do coletor de admissão, a pressão de ar admitida varia de acordo com a abertura da borboleta, com a rotação do motor, entre outros fatores. O regulador serve justamente para isto, manter uma pressão de combustível constante e proporcional a pressão de ar admitida.
     
E como funciona um regulador de pressão? Basicamente existem dois tipos de dosadores, os básicos (ou originais) e os do tipo HP (High Pressure), tendo modelos para motores carburados (HPC) e para motores injetados (HPI), lembrando que todos os carros injetados saem de fábrica com um regulador do tipo básico.

Um dosador é composto pelas seguintes partes: entrada e saída de combustível, tomada de vácuo / pressão, mola e diafragma, e no caso dos HP, uma parafuso para regulagem da pressão, através da mola.



Um regulador do tipo básico possui uma relação de pressão de 1:1 (pressão de combustível x pressão de ar). Considerando o funcionamento de um motor turbo, enquanto na fase aspirada, com a pressão no coletor menor ou igual a zero (vácuo), o regulador está mantendo 3 bar de pressão de combustível, conforme a turbina pressuriza, ela gera uma pressão positiva dentro do coletor e a tomada de vácuo do dosador também recebe essa pressão positiva, aumentando a pressão do combustível na mesma proporção, isso significa que, se a turbina está fornecendo 1 bar de pressão, teremos na linha de combustivel 4 bar (3 bar inicial + 1 bar do turbo). No caso do HP, é possível regular essa proporção através do parafuso, onde podemos ter várias proporções como 7:1, 5:1 entre outras, lembrando que a vazão de combustível não é proporcional a pressão, não é por que temos uma proporção de 2:1 que a vazão vai dobrar.
     
Agora vamos para a parte "polêmica" da história, afinal, devemos usar ou não o HPI? Antes de responder a esta pergunta, é preciso entender o funcionamento do sistema de combustível. Creio que é de conhecimento de todos que, para ter uma maior potência, precisamos de mais energia, para mais energia, precisamos de mais mistura ar / combustível e, para ter mais combustível, precisamos de uma maior vazão de combustível, o que se traduz em substituir a bomba original por uma de maior capacidade (ou várias bombas), que proporcionem a vazão necessária e injetores que suportem essa nova vazão.
     
Agora vem de fato nossa resposta, para termos injetores que suportem a nova vazão temos três alternativas, trocar os injetores por modelos com uma maior vazão, adicionar mais injetores ou retrabalhar ("arrombar") os bicos, que particularmente não sou a favor, pois é muito difícil conseguir uma vazão igual para todos os injetores com esse processo. Mas dai vem a pergunta: mesmo trocando os bicos, a pressão não vai continuar a mesma? Sim, vai. E como resolver entao?     Temos duas formas, a mais correta seria reprogramar o chip ou utilizar uma injeção programável ou suplementar, alterando, entre outros parâmetros, o tempo de abertura dos bicos (duty cicle), onde você consegue ter um acerto realmente liso, mas como sabemos que nem sempre é possível, temos o tal do HPI, onde é possível forçar uma maior pressão de combustível, aumentando a vazão, o que pode forçar a parte mecânica dos bicos e bombas, diminuindo sua vida útil ocasionando problemas como travamento de bicos, por exemplo.
     
Bom pessoal, esse é o motivo da polêmica que ronda o HPI, procurei ser imparcial nesse assunto, procurando mostrar os "dois lados da moeda", ficando a critério de cada um qual a melhor solução para seu caso. Quanto a vazão, que alguns podem perguntar: Como eu calculo a vazão ideal dos bicos? Está em pauta um artigo mostrando os calculos para quem quiser se divertir, mas gostaria de deixar a dica do site da FuelTech, que possui um programinha que calcula a capacidade de injetores:

Procurei na internet o regulador com o parafuso de regulagem de pressão e encontrei por 99 reais. Ainda não testei mas quem sabe com esse método teríamos uma diminuição considerável de desperdício de energia.

Abçs!

Cara, em resumo, queres diminuir a quantidade de combustível, e tbm "controlar" essa quantidade. Se vc faz uso fo HHO, e dependendo do seu veículo, pq não usar um extensor de sonda lambda? mas, não compre no mercado livre, o pessoal lá tá cobrando 50,00 paus num peça que em qualquer torneiro mecânico vc paga 20,00!
Extensor de sonda lâmbda é placebo, não ajuda em nada. Mesmo afastada a sonda continua lendo, pois os gases que saem do escape saem sob pressão pela ação do abafador. Não perca seu tempo.

Ver perfil do usuário

Conteúdo patrocinado


Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo  Mensagem [Página 1 de 1]

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum