Para quem quer poupar combustivel !


Você não está conectado. Conecte-se ou registre-se

Só use o aço 316L

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo  Mensagem [Página 1 de 1]

1 Só use o aço 316L em Qua 13 Out 2010, 23:30

tenho um santana quantum 2.0 (GNV), e construi meu gerador com 5 placas de 15X15cm, tipo célula seca. como material inox 316L. utilizo agua de chuva coada em filtro de papel e soda cáustica como eletrolito. a vazão é de 5 litros por minuto a 20 amperes. a autonomia aumentou de 8.753km/m3 para 13.65 km/m3, além de proporcionar um ganho de potência de 20%.
Conclusão: funciona sem nenhum problema detectado.

Ver perfil do usuário

2 Re: Só use o aço 316L em Qui 16 Dez 2010, 00:05

kapfer


Rank : 0
Rank : 0
alexandre barillo escreveu:tenho um santana quantum 2.0 (GNV), e construi meu gerador com 5 placas de 15X15cm, tipo célula seca. como material inox 316L. utilizo agua de chuva coada em filtro de papel e soda cáustica como eletrolito. a vazão é de 5 litros por minuto a 20 amperes. a autonomia aumentou de 8.753km/m3 para 13.65 km/m3, além de proporcionar um ganho de potência de 20%.
Conclusão: funciona sem nenhum problema detectado.
utilizo um gerador de celulas em aço 316 em uma meriva,mas ate agora não obtive o resultado,além de estar gastando mais combustivo.
o emulador de sonda trabalha bem na luz vermelha depois cai para a verde e não sai dali,fazendo gastar mais combustivo.
o que devo estar fazendo errado?

Ver perfil do usuário

3 Re: Só use o aço 316L em Qui 08 Set 2011, 19:12

Amigo, perdoe-me na demora da resposta, voce usa o PWM também ou só o nms? sem o Pwm voce não terá economia alguma!
E o eletrolito tambem é muito importante! Eu tenho o THP, que vários amigos do forum já usaram e estão muito satisfeitos com o resultado! Embora eu desagrade a um companheiro aqui que faz questao em me criticar, mas se já tenho mais de 40 clientes satisfeitos que usaram, não dou mais atenção a quem nem conhece o THP.
Abraços e boa sorte!
Não desista de teu proposito, se caso for coloque um extensor de sonda lamda também!

Ver perfil do usuário

4 Re: Só use o aço 316L em Sex 09 Set 2011, 04:16

d10e3


Rank : 1
Rank : 1
AABT,

E que demora! Só uma gestação: 9 meses!!!

Então, gostaria de saber: qual é o seu carro atual e qto vc tem de economia?

Tenha um ótimo fds!



Ver perfil do usuário

5 Re: Só use o aço 316L em Sex 09 Set 2011, 04:42

SGFrank


Rank : 1
Rank : 1
Eu não entendí como o PWM poderia trazer alguma economia. Meu carro não tem um. Controlo a amperagem somente pela composição do eletrolito.

Tem algo a mais nesse negócio aí. Não tá faltando um EFIE ou um MAP/MAF no sistema não?
To aprendendo aqui tb mas tem umas coisas que vj em algums sistemas que o meu não tem e o meu funciona perfeitamente assim como o do colega do santana. Só Não tenho a vazão do dele. Meu produz modestos 1 litro/min mas meu carro tb é 1.0

Ver perfil do usuário

6 Re: Só use o aço 316L em Sex 09 Set 2011, 06:10

SGFrank escreveu:Eu não entendí como o PWM poderia trazer alguma economia. Meu carro não tem um. Controlo a amperagem somente pela composição do eletrolito.

Tem algo a mais nesse negócio aí. Não tá faltando um EFIE ou um MAP/MAF no sistema não?
To aprendendo aqui tb mas tem umas coisas que vj em algums sistemas que o meu não tem e o meu funciona perfeitamente assim como o do colega do santana. Só Não tenho a vazão do dele. Meu produz modestos 1 litro/min mas meu carro tb é 1.0

Frank, vamos falar um pouco sobre eletrólise:

A eletrólise é um transporte de elétrons, corrente elétrica, através de um eletrólito, só que para o elétron nadar do polo negativo até o polo positivo ele vai de carona nos íons. Qual a importância de saber isso? É que pode-se contar quantos íons se descarregaram pela corrente elétrica consumida, normalmente não tem erro. Como se esta fazendo eletrólise da água os íons que descarregam/pegam elétrons são a hidroxila (OH-) e o hidrônio (H+), um deixa um elétron e o outro pega, cada um do seu lado (eletrodo) fazendo a corrente elétrica fluir pelo eletrólito. Não importa o eletrólito, se for eletrólise da água (nem sempre é), a reação será sempre entre os íons constituintes da água. A voltagem só serve de impulso, empurrão, para que os elétrons e íons andem. Só para terminar, amperagem x voltagem = potência consumida. A energia (potência) que não virou HHO, vai virar calor, então o calor mede a energia perdida, que será tanto maior quanto maior for a voltagem além de 1,5V entre placas e o consequente gerando calor.

Disso acima tira-se as seguintes conclusões:

- Com 86 amperes circulando entre duas placas são gerados 1 LPM de HHO entre essas duas placas. No teu caso, que tem 4 seções entre o polo positivo e negativo, 86 amperes fariam 4 litros por minuto de HHO, ou para fazer 1 LPM de HHO na sua célula (+NNN-) são precisos 21,5 amperes.

- como você vê, com 14 amperes estarão sendo gerados 651ml de HHO por minuto, o resto seria vapor, produzido pelo calor.

- Fica fácil perceber que a configuração de placas definem a eficiência energética da célula, mas não sua produção. Quem vai definir a produção será a condutividade do eletrólito, ou a amperagem que vai passar x o número de compartimentos.

- Necessidade do PWM? Somente se ajuste fino é preciso na quantidade do HHO gerado.

- Sem necessidade de ajuste fino na produção, a melhor forma de controlar a amperagem é como tu faz, no eletrólito, ou configuração das placas.

- Se a célula eletrolítica for ruim, ai ela vai eletrolisar a água e a si mesma (decompondo o polo positivo), ou nem vai eletrolisar a água. A célula é composta dos eletrodos e seu eletrólito. Qualquer defeito em um desses componentes deixa de eletrolisar a água para eletrolisar outra coisa, daí mais uma vez a importância do eletrólito e tratamento e escolha do eletrodo.

A quem ache o PWM uma coisa e tanto. Não é, não nesse caso, pois ninguém sabe a quantidade realmente necessária que o motor precisa a cada momento, então pra que uma regulagem fina com PWM?

A quem ache que o PWM serve para regular o calor. Pra que? Excesso de calor indica falta de placas neutras, pois reduzem a voltagem entre placas, que além de reduzir o calor põe mais eficiência na célula.

Ver perfil do usuário

7 Re: Só use o aço 316L em Sex 09 Set 2011, 06:31

Não me pergunte detalhes, mas verificaram que abaixo de 1,5V a eletrólise rouba calor do meio e acima disso esquenta o meio. Apesar disso só é necessário 1,24V para fazer a eletrólise, o resto é para empurrar íons.

Daí que se tu colocar 2 placas somente, entre a bateria (12V), vai haver uma super produção e um consumo altíssimo. Isso porque 1,24V x amperagem foram gastos para forçar a eletrólise (energia útil) e 10,76V x amperagem foram gastos para esquentar o eletrólito (energia perdida). A única vantagem é que eletrólito quente conduz mais e alta voltagem entre placas força mais íons a vencerem a resistividade do eletrólito, resultando em muita produção.

Daí que se tu dividir essa voltagem por 4, como tu fez (+NNN-), então os 12V vão virar 3V entre placas, que diminuindo 1,24V ficará somente 1,76V x amperagem para ser perdido em calor. Apesar de ter ficado mais frio e resistivo o eletrólito e ter menos voltagem para empurrar os íons entre eletrodos, existem 4 compartimentos fazendo eletrólise simultaneamente com a mesma corrente, aumentando em 4x a produção que foi reduzida. Entende, diminui a produção dum lado e aumenta do outro, só que com aumento expressivo da eficiência.

Ver perfil do usuário

8 Re: Só use o aço 316L em Sex 09 Set 2011, 15:46

SGFrank


Rank : 1
Rank : 1
Deu pra entender a coisa POR CIMA ... hehehehhe
Vou reler isso aqui outras vezes pra fixar bem.

Outra coisa ... em relação aos PWMs, eu tava vendo que hj se usa o CCPWM. Há uma diferença.

PWM: Pulse-width modulation : nada mais é do que um gerenciador de corrente muito comum, usado em ventiladores para controlar a velocidade do helice por exemplo.

CCPWM: Current-Controlled Pulsewidth Modulation : to pesquisando o que é a diferença mas vejo que é a bola da vez.

Pelo que li nos foruns sobre HHO la fora, há uma diferença por CCPWM ser mais adequado em uso automotivo. Vou continuar pesquisando.


Sem querer menospresar nosso forum ... eu encontrei um forum sobre HHO que achei muito interessante.
reduceyourfuelbill.com.au/forum/index.php

não tem o WWW antes de link.

É australiano mas tá tudo em Ingles. Dá pra se ter uma ideia da coisa por lá.
Fica a dica.

Ver perfil do usuário

9 Re: Só use o aço 316L em Sab 10 Set 2011, 12:47

Frank, pensa o seguinte, existem dois trabalhos básicos para a energia elétrica realizar numa eletrólise como a da água:

Um é forçar os íons a ceder/pegar elétrons, isso gasta uma quantidade de energia fixa para cada tipo (e consequentemente par) de íons, em determinada temperatura e pressão. Por isso dizemos que se precisa de 1,24V (imagino que seja a 25⁰C/nível do mar) para fazer eletrólise da água, ou fazer os íons constituintes da água ceder/pegar elétrons.

O problema é que só os íons que estão em contato com o eletrodo sofrerão essa carga/descarga de elétrons, tendo de serem transportados mais íons para a posição de carga e descarga, ou contato com os eletrodos, e ai esta o segundo trabalho da energia elétrica, o transporte de íons. Só que agora, ao empurrar os enormes íons pela solução eletrolítica (em relação os elétrons que navegam pelo fio, os íons são enormes), esses trambolhões vão se esfregando pela solução eletrolítica fazendo atrito, esquentando e freando.

Depois que o íon (OH-) sede seu elétron e o íon (H+) ganha em elétron, a molécula d’água está quebrada, os antigos íons viram outra espécie química chamada “radical livre” que serão os protótipos da formação das moléculas de oxigênio e hidrogênio.

Qual a importância disso? Entender que a eletrolise ocorre na superfície do eletrodo e sempre gasta a mesma energia elétrica (sobre mesma temperatura e pressão) para que ocorra. O restante da energia elétrica é gasta no transporte dos íons até o local de trabalho, ou até o eletrodo. Quanto mais rápido for o transporte de íons até o eletrodo, mais eletrolise, mais corrente elétrica, mais produção de HHO.

Disso tu pode tirar outras conclusões:

A voltagem além de 1,24V vai participar na energia elétrica de transporte, não de eletrolise. Quanto maior for essa voltagem, mais fácil forçar os íons a correrem em direção ao eletrodo. Eletrólito mas fácil para os íons correrem nele, vai precisar de menos voltagem para transportar a mesma quantidade de íons. Íons correndo no eletrólito geram calor por atrito. A energia elétrica gasta no transporte de íons, apesar de necessária, não participa da eletrolise e é energia perdida, deve ser diminuída ao máximo.

Sabendo disso eu acho que o principal é tornar o eletrólito o mais condutivo possível, fácil dos íons correrem e a descarga dos gases que se formam também mais ágil. Isso vai me permitir trabalhar com voltagens entre placas (eletrodos) o mais baixa possível. Afinal, eu quero ver corrida de íons no eletrólito, ou neutralização de íons da água para formação de HHO?

Usar PWM, parece sofisticado, mas só picota o processo para reduzir o consumo. PWM é liga/desliga a eletrolise, é assim que se controla a corrente com o PWM. Eu preferiria um eletrólito bem condutivo e controlar a produção meramente por diminuir/aumentar a voltagem em cima dos eletrodos, de forma continua e não pulsada. Isso seria um conversor DC/DC controlado pela corrente que passa.

As pessoas usam a eletrônica para corrigir um erro químico e de projeto. Ao invés de corrigir o excesso de corrente por eletrônica PWM, faça uma célula eletrolítica (placas + eletrólito) bem condutiva e simplesmente deixe a voltagem entre placas o mais perto possível de 1,24V.

Infelizmente o valor viável para uma boa célula eletrolítica ainda é alto, ou por volta de 2V, ou 0,76V gasto em transporte, ou eficiência perto de 60%. Se aumentar a voltagem de transporte, só piora a eficiência, mesmo que aumente a produção.

Essa é outra explicação para justificar a não utilização de PWMs. Talvez somada a explicação anterior isso se torne mais claro.

Ver perfil do usuário

10 Re: Só use o aço 316L em Sab 10 Set 2011, 12:50

SGFrank escreveu:..CCPWM: Current-Controlled Pulsewidth Modulation : to pesquisando o que é a diferença mas vejo que é a bola da vez.

Pelo que li nos foruns sobre HHO la fora, há uma diferença por CCPWM ser mais adequado em uso automotivo. Vou continuar pesquisando...

Terem mudado de PWM para CCPWM, pode indicar uma evolução, ou que o PWM não era uma boa solução. Agora, será que o CCPWM é melhor, ou outra forma de enrolar trouxa?

Tem que ver o que esse CCPWM é realmente.

Ver perfil do usuário

11 Re: Só use o aço 316L em Sab 10 Set 2011, 15:14

SGFrank


Rank : 1
Rank : 1
ET-e-HHO-existe escreveu: Eu preferiria um eletrólito bem condutivo e controlar a produção meramente por diminuir/aumentar a voltagem em cima dos eletrodos, de forma continua e não pulsada. Isso seria um conversor DC/DC controlado pela corrente que passa.

As pessoas usam a eletrônica para corrigir um erro químico e de projeto. Ao invés de corrigir o excesso de corrente por eletrônica PWM, faça uma célula eletrolítica (placas + eletrólito) bem condutiva e simplesmente deixe a voltagem entre placas o mais perto possível de 1,24V.

Infelizmente o valor viável para uma boa célula eletrolítica ainda é alto, ou por volta de 2V, ou 0,76V gasto em transporte, ou eficiência perto de 60%. Se aumentar a voltagem de transporte, só piora a eficiência, mesmo que aumente a produção.

Essa é outra explicação para justificar a não utilização de PWMs. Talvez somada a explicação anterior isso se torne mais claro.


é assim que a minha é controlada. Lá no outro topico eufalo sobre isso.
Não uso PWM e/ou CCPWM algum. Veio um no kit mas nunca usei.
No manual fala que se for feita o mix eletrolitico de acordo com o indicado,
e o sistema eletrico estiver em boas condições, não há necessidade de PWM.

Ver perfil do usuário

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo  Mensagem [Página 1 de 1]

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum