Para quem quer poupar combustivel !


Você não está conectado. Conecte-se ou registre-se

Mistura pobre - O MITO

Ir à página : Anterior  1 ... 20 ... 36, 37, 38, 39, 40  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo  Mensagem [Página 37 de 40]

901 Re: Mistura pobre - O MITO em Qui 25 Out 2012, 22:07

h-roo escreveu:
ET-e-HHO-existe escreveu:
h-roo escreveu:"...A origem desta expressão vem dá má fama do porco, embora injusta, sempre associada à falta de higiene, à sujeira e - inclusive - à impureza, ao pecado e ao demônio, conforme alusões feitas no texto bíblico do Antigo e do Novo Testamento.

Segundo o professor Ari Riboldi, essa má fama foi reforçada no período da escravidão, quando nenhum dos escravos queria ter a tarefa de matar os porcos nas fazendas. Nessa época havia uma crença de que o espírito do porco ficava no corpo de quem o matava e o atormentava pelo resto de seus dias.

Então, diz-se que quem comete crueldades está tomado por esse "espírito malévolo"...."

Veja que a origem está na Biblia que tu tanto defende...rsrs

Aos porquinhos toda minha solidariedade, até porque são nossos irmãozinhos menores.

Uma vez vi matarem um porco, primeiro dando marretadas na cabeça do bicho... Não é à toa que o assassino de porco fica meio traumatizado, é feio ver o bicho berrar.

Percebeu a grande sabedoria da cabala? Esse é um dos exemplos que tu nunca vais entender, mas era uma ótima restrição.

E como que tu acha que os bois são mortos hoje em dia nos abatedouros?....rsrs
Não é pelo método de abate que os judeus não comem porcos. tanto é que comen carne bovina em que o método de abate continua sendo na pancada. Um pouco mais tecnológica apenas, com um martelo pneumático:


Hugo, os veganos dizem que se nos informacemos dos mau tratos com os animais, não comeriamos carne, ovos, leite (que têm pus), ou qualquer outra coisa em que usaram animais.

Mas quanto aos judeus, eles não foram restritos somente quanto ao porco, mas também em tocar em cadaveres, leprosos e etc. Tudo isso, mesmo que não politicamente correto agora, na época era uma ótima regra de saúde pública.

Ver perfil do usuário

902 Re: Mistura pobre - O MITO em Qui 25 Out 2012, 22:12

acalister


Rank : 5
Rank : 5
[quote="ET-e-HHO-existe"]Estou lendo ainda André, já estava lendo e obrigado pela dica, só que dei uma paradinha para atender um cliente e para encher o saco do Hugo e vice-verso.

Agora, sei que vocês não vão aceitar minha sujestão, mas o que tu achas de pedir ao Marcelo, além de um chicote diferenciado, que ele reprograme o MOBMIX para desligar um pistão através de uma chave. Isso seria interessante para você que acredita que funciona e para ele oferecer uma vantagem a mais no produto.[/quote]

Et, meu Corolla já possui sistema VVTi duplo, desligar o pistão só vai me fazer parecer bem mais velho, ao parar no farol, o carro vai tremer tanto que as pessoas iram achar que eu sofro de alguma doença (mau de Alzheimer), isso não vai ser legal.
Eu por enquanto não tenho saída, vender o carro é prejuízo, então, só me resta continuar procurando e aguardar até a segunda revisão. Isso pode até dar certo pra outros, não é o meu caso.
Em janeiro devo ir a Europa, vou ver se consigo comprar o Z5 por lá, assim eu gasto menos.

Ver perfil do usuário

903 Re: Mistura pobre - O MITO em Qui 25 Out 2012, 22:32

h-roo


Rank : 5
Rank : 5
acalister escreveu:
acalister escreveu:
acalister escreveu:Um belo artigo, vale apena conferir!

http://autospeed.com/cms/title_Running-Lean-for-Economy/A_110767/article.html


Para traduzir o testo no link acima usem o tradutor google ou instalem o navegador CROME

Correndo Lean para Economia

Para melhorar a economia de combustível, porque não basta reduzir a quantidade de combustível que é injetado?
por Julian Edgar
Clique nas imagens para ver mais imagens
Anúncio


Anúncio
À primeira vista ...

Ar / combustível relações
Circuito fechado e aberto
Auto-Aprendizagem
Modificação
Um swap de injetor de sucesso
Enviar a um amigo Imprimir artigo
É auto-evidente: a menos de combustível que você queima a cada quilograma de ar, melhor será a economia de combustível que você vai conseguir. Portanto, se você pode reduzir a quantidade de combustível que entra no motor e ainda viajar na mesma velocidade, você vai reduzir o consumo de combustível.

Então, por que nem todo mundo reduzir o consumo de combustível? A resposta a isso é mais complexo do que parece à primeira vista.

Ar / combustível Rácios

A quantidade de combustível que está a ser alimentado para o motor é indicado pela relação entre a quantidade de combustível para a quantidade de ar que está a ser ingerido em qualquer momento. Esta razão é baseada na massa - modo que o número de gramas de combustível versus gramas de ar. (Na verdade, por convenção, a relação é invertida para se referir à quantidade de ar versus a quantidade de combustível.)

Então, o que esses índices indicam?

Uma relação ar / combustível de 12:1 é chamado de rico e resulta em melhor produção de potência do motor que mais magras ar / combustível rácios.

Uma relação ar / combustível de cerca de 14,7:1 é chamado estequiométrica , o termo indica que as proporções são quimicamente correta para melhor combustão. Esta proporção ar / combustível é utilizado com muita freqüência, porque, enquanto ele não é o melhor para o poder ou a economia, catalisador no sistema de escape de forma otimizada realiza nesta proporção ar / combustível e, portanto, as emissões de escape nocivos são os mais baixos.

A magra relação ar / combustível poderia ser 16:1, enquanto um super magra relação ar / combustível poderia ser tão alto quanto 20:1.

Lembre-se: com ar / combustível proporções, quanto maior o número, menor o combustível está sendo misturado com ar.


A relação ar / combustível é ditada pela Unidade do carro de Controle Eletrônico (ECU).

Em alguns veículos, a relação ar / combustível é fixado em 14,7:1 em todos os momentos. Em outros carros, a relação ar / combustível está em 14,7:1 em marcha lenta e em carga leve e condições de cruzeiro, mas Richens (por exemplo, 12:1) com cargas elevadas. Ainda em outros carros, a relação ar / combustível está em 14,7:1 em marcha lenta, Richens (por exemplo, 12:1) com cargas elevadas e vai magra (por exemplo, 17:1) em cruzeiro carga leve.

Além disso, em quase todos os carros de uma rica mistura é utilizada quando a frio de ligar o motor, e até que o motor aquece.

Isso tudo pode parecer confuso, mas é importante perceber que os carros têm diferentes estratégias de ar / combustível. A abordagem escolhida pelos engenheiros depende de aspectos como o projeto mecânico do motor, as emissões exigidas, economia de combustível e desempenho em estrada.

Closed Loop vs Open Loop

A fim de que a relação ar / combustível mantém a precisão enquanto o carro está em serviço, todos os carros utilizam pelo menos um sensor de oxigênio escape de gás. Este sensor é normalmente referido como um sensor de oxigénio .


O tipo mais comum de sensor é chamado de uma faixa estreita de design. É muito sensível ao redor de ar / combustível rácios de 14,7:1. Na verdade, este tipo de sensor tem uma tensão de saída que alterna, de baixa (por exemplo, 0.2V) a alta (por exemplo 0.8V) como os Richens razão ar / combustível de um pouco mais magro do que 14.7:1 para 14.7:1 um pouco mais rico do que. (A mesma saída do sensor mudança ocorre o contrário também.)

Ao monitorar a tensão de saída deste sensor, a ECU, portanto, "sabe" se a relação ar / combustível é mais rico ou mais pobre do que 14,7:1.

Normalmente, a correção da ECU faz a relação ar / combustível (por exemplo, através da injeção de combustível mais ou menos) um pouco ultrapassa a marca, para uma outra correção, então, precisa ocorrer em outra direção.


O resultado é que a saída do sensor de oxi rapidamente oscila para cima e para baixo, enquanto que a relação ar / combustível médio continua a ser muito estreita para 14,7:1.

Quando a ECU está a utilizar a saída do sensor de oxigénio para verificar a precisão da relação ar / combustível predominante, o carro é dito ser em malha fechada .


Na corrida de circuito fechado, o sistema pode se auto-aprender. Assim, por exemplo, se o regulador de pressão de combustível está ficando um pouco doente e pressão de combustível é menor do que deveria ser, menos combustível será injetado. Como resultado, a proporção de ar / combustível será mais limpa do que a figura alvo. A ECU, monitorando a saída do sensor de oxigénio, vai reconhecer este e assim aumentar a quantidade de combustível no fluxo injectores (isto é, a ECU irá abrir mais os injectores).

Dois tipos de auto-aprendizagem estão normalmente presentes - de curto prazo e de longo prazo . Estas são algumas vezes referidos como "guarnições. Como os nomes sugerem, a curto prazo aprendizagem é projetado para melhorar a precisão da relação ar / combustível em períodos curtos - por exemplo, por causa das diferenças de um motor individual em fluxo de gás. Longo prazo aprendizagem compensa alterando aspectos como o regulador de pressão de combustível não mencionado acima, ou diminuição da eficiência volumétrica através de anéis de desgaste, etc

Em alguns veículos, o ECU por vezes ignora a saída do sensor de oxigénio. Este tipo de operação é chamada de circuito aberto . Por exemplo, nós descrevemos acima de um carro que usou uma relação ar / combustível de 14,7:1 em marcha lenta e em carga leve e condições de cruzeiro, mas enriqueceu (por exemplo, 12:1) com cargas elevadas. Normalmente, este carro seria em circuito fechado (ou seja, a ECU assistindo o feedback do sensor de oxi) todos os momentos, exceto em altas cargas, onde a ECU que injetam combustível apenas de acordo com seu mapeamento interno.

No entanto, mais e mais carros usam sensores de banda larga de oxigênio que podem monitorar a relação ar / combustível bem longe de 14,7:1. Nesses carros, o sistema ainda pode ser em circuito fechado no ar / combustível relações de direito 00:01 através de 18:1. A menos que você está lidando com um carro mais velho, é, portanto, não é válido supor que o carro está em malha aberta, quando se os movimentos de ar / combustível longe de 14,7:1.

Modificação

Então, por que se preocupar saber nada sobre circuito fechado e aberto a correr? Se o carro padrão de ar / combustível rácios são para ser modificado, é vital que o modificador de saber quando malha fechada e malha aberta estão sendo usados.

Vamos dar um exemplo. Mais uma vez, vamos usar um carro que usa uma proporção ar / combustível de 14,7:1 em marcha lenta e em carga leve e condições de cruzeiro, mas Richens (ex. 12:1) em cargas elevadas. Além disso, vamos agora afirmar que o carro está em circuito fechado somente ao executar a relação ar / combustível 14.7:1 - isto é, quando o ar / combustível rácios são mais ricos do que 14,7:1 (ou seja, números mais baixos), o carro está em abrir loop.

Se as modificações são feitas para este carro para mudar a relação ar / combustível longe de 14,7:1, que será ineficaz. Assim, por exemplo, fazer uma modificação projetado para rodar o carro em 15.2:1 (e assim melhorar a economia de combustível) não trabalhar! Não importa o que essas modificações são - eles podem ser:

Redução da pressão de combustível

Reduzir sinal do sensor MAP

Reduzir sinal metros do fluxo de ar

Montagem injetores menores

Em todos os casos, a ECU vai aprender a sua maneira de contornar essas mudanças, revertendo para uma relação ar / combustível de 14,7:1. Dependendo das modificações e do carro, que a reversão de volta ao padrão pode levar alguns minutos ou dias. Mas a menos que a mudança foi tão extrema que o sistema não pode suficientemente compensar (e essas mudanças extremas têm seus próprios problemas), os resultados de seu trabalho duro será zero.

(Então o que sobre como modificar o sinal do sensor de oxigênio? Nós vamos voltar para aquela tarde.)

Por outro lado, qualquer uma das abordagens acima de modificação pode ser usado para alterar a malha aberta proporção ar / combustível. Assim que a relação ar / combustível de 0:01 pode ser alterada para 13:1, por exemplo.

Então, como você sabe se um carro é em malha aberta ou fechada?


A maneira mais fácil é para monitorar a saída do sensor de oxigênio com um medidor simples LED do tipo coberto em forma barata de monitoramento do ar / combustível Índices . No entanto, note que este é o único caso de carros mais velhos que usam sensores de oxigênio simples - isto é, projetos de banda estreita que trabalham em torno de 14,7:1. Nesses carros, a saída oscilante do sensor de oxi vai mostrar claramente quando o carro está em circuito fechado - em malha aberta, a saída será muito mais estável.


Em automóveis com uma porta OBD, um leitor OBD pode ser utilizado para monitorizar o estado de circuito aberto e fechado - é normalmente indicada em Inglês simples no ecrã do leitor. Trims de combustível a curto e longo prazo também será mostrado.

Por que modificar?

Quando todos os critérios de fábrica são tidas em conta, as proporções de ar / combustível fixados pela fábrica são normalmente melhor. Esses critérios incluem as emissões de desempenho, economia de combustível, desempenho na estrada, confiabilidade, tolerâncias de fabricação e assim por diante. No entanto, se você está preparado para afrouxar um aspecto a melhorar outra, as melhorias podem ser feitas.


Um carro que corre muito rico em malha aberta cargas elevadas (por exemplo, ele usa ar / combustível proporções nos baixos números, como 10 ou 11:1) pode ter tanto poder e maior economia de combustível se for feita em mais enxuta essas cargas. O trade-off é que em plena aceleração o conversor de gato vai ficar mais quente mais rapidamente, o que, em testes de durabilidade fábrica que provavelmente resultou em fracasso. Mas é muito pouco provável que você jamais vai funcionar o carro com força suficiente para alcançar esse resultado negativo.

Outro exemplo é um carro que pode usar uma proporção ar / combustível de 16.5:1 na luz cruzeiro de carga, de malha aberta magra. Alterar essa relação ar / combustível para 17,5:1 irá resultar em aumento das emissões de óxidos de azoto (NOx) e também dará resposta mais pobre do acelerador. Mas se você não está indevidamente preocupado com o aumento das emissões ea resposta do acelerador mais pobre, você vai ser capaz de melhorar a economia de combustível.

Tudo muito difícil?

Inferno, que com a dificuldade de modificar um carro que é em circuito fechado, ea maneira pelo menos um fator será afetada negativamente, por que o ar mudança / combustível proporções em tudo? A resposta é que, com a informação certa, bons resultados podem ser alcançados em personalizar o carro para melhor alcançar o que deseja.


Mas é importante perceber que fazer modificações (por exemplo, a montagem de um interceptor no medidor de fluxo de ar para alterar o seu sinal e assim melhorar a economia de combustível) é provável que seja um completo desperdício de tempo como o carro vai ser em circuito fechado e simplesmente aprender a volta a mudança.

Mas o que sobre a mudança das relações ar / combustível do carro quando ele está em malha aberta? Por exemplo, que tal um carro que usa magras ar / combustível rácios de cruzeiro e ricos ar / combustível em proporções elevadas cargas - e é em circuito fechado apenas em corrida de carga leve normal?

Então, não há problemas! Na verdade, você pode ir mais longe. Se as alterações que são feitas potencialmente afetar as relações ar / combustível em todas as cargas de motor e condições de operação, enquanto o carro está a funcionar em circuito fechado, ele vai aprender o seu caminho em torno destas mudanças - mas as mudanças ainda pode funcionar em malha aberta!

OK, então o suficiente da teoria - vamos dar uma olhada em apenas um caso.

Carro de Graham


Graham Pring é dono de uma VR Holden Commodore Ute, equipado com uma transmissão manual de 5 velocidades e um V6 de 3,8 litros. Para lhe permitir controlar com precisão em tempo real de ar / combustível rácios, Graham comprou um aftermarket banda larga metro relação ar / combustível, completo com sonda de escape remoto.

Ele descobriu que o carro padrão (que é executado fora do circuito fechado em altas cargas, em cruzeiro magra e - muito raramente - em marcha lenta) tiveram misturas muito ricas em marcha lenta (por exemplo, 12:1), enquanto a magra cruzeiro relação ar / combustível foi de cerca de 15 - 15.5:1. Em malha fechada o carro funcionou no 14,7:1 esperado. Misturas plena carga em 2000-3000 rpm foram de 12,3 e 12.7:1, respectivamente.

O objetivo era melhorar o consumo de combustível aberto estrada, o consumo padrão mais de 270 km de estrada de país variável foi de 7,65 l/100km.

A fábrica da Bosch 0 280 150 960 injetores foram trocados por um pouco menores Pintara 2,0 litros 4 cilindros 0 280 150 702 injetores. Estas custam US $ 65 para seis. Holden JE Camira 0 280 150 725 injetores foram sobre o mesmo preço e também teve fluxo muito semelhante.

Quer com o Pintara ou injetores Camira no lugar, o cruzeiro relação ar / combustível se inclinou para 15,3 - 15.7:1. País de economia de combustível estrada melhorou para 7,36 litros/100 km.

Em seguida acima foram ainda menores Volvo 240/740/940 - injectores Bosch 0 280 150 762. Estes deram uma magra cruzeiro relação ar / combustível de 15,9 - 16.3:1 e economia de combustível país melhorou para 6,95 litros/100 km. Essa é uma medida país estrada melhora a economia de combustível em relação ao padrão de 9 por cento! Com esses injetores no lugar, a relação ar / combustível ocioso se inclinou para 13:1 (ainda muito rico para idle) e as misturas de carga total mudou-se para 12,7 - 13:01 - ainda bem para cargas elevadas em um motor de baixa-tensão.

Graham diz que, com essas mudanças, a dirigibilidade continuou fábrica, ele está experimentando agora com swaps mais injetores, e também a redução da pressão de combustível.

Conclusão

É fácil pensar em uma infinidade de maneiras de se inclinar a relação ar / combustível para melhorar a economia de combustível -, mas o problema é que a maior parte do tempo, as mudanças serão ineficazes, pois o carro está em circuito fechado. Portanto, o primeiro passo é determinar quando as condições de circuito fechado e aberto ocorrer, e, em seguida, fazer alterações que não vai ser "aprendido em torno". Também tenha em mente que sempre haverá outro trade-offs - nas emissões, por exemplo.

Como Graham Pring mostrou, em alguns carros, as mudanças que resultam em misturas mais magras podem dar melhorias mensuráveis ​​em economia de combustível - mas não é, certamente, o passo simples que parece inicialmente.

Interceptando Sensores de Oxigênio

Se o sinal proveniente do sensor de oxigénio pode ser interceptada, as proporções de ar / combustível pode ser alterado na operação de circuito fechado. No entanto, ao mesmo tempo que parece fácil, este não é necessariamente o caso.

Como indicado no texto principal, os sensores de banda estreita oxi mudar na produção em torno de 14,7:1. Este "comutação" característica faz parte da concepção do sensor - do ponto de comutação é quimicamente e electricamente fixada.

Em vez de um sensor de oxigênio, pensar por um momento sobre um interruptor de temperatura - que alterna a (dizer) 80 º C. Você pode ver imediatamente que o que você faz com o sinal de saída do switch, você não pode mudar a temperatura em qual se troca.

Agora o ponto de comutação de um sensor de oxigénio não é tão ligado / desligado como um interruptor de temperatura, de modo algum a brincar com o sinal pode ser feito com os bordos da resposta do sensor. No entanto, apesar de muitas pessoas o que sugere que uma estreita faixa de resposta do sensor oxi pode ser mexido, nunca vi esse alcançado de uma forma significativa - por exemplo, uma mudança de circuito fechado de ar / combustível proporções de uma constante para 14,7 (por exemplo) um igualmente 15.5:1 estáveis.

Então, enquanto nós dizemos que não é impossível modificar banda estreita saídas do sensor oxi, não acho que é perto do doddle que alguns sugerem.

(Sensores de banda larga, que têm uma curva de resposta completamente diferente, é outra chaleira de peixes.)

Na verdade, enquanto as pessoas suspiro na noção, temos conseguido resultados muito melhores permanentemente desligar o sensor de oxi e depois ajustar as misturas com um interceptador de bom fluxo de ar metros. Temos ainda passou um teste de emissões na estrada em um carro usando essa abordagem. No entanto, um código de falha será registrado (luz "motor de verificação 'ou seja, vai estar ligado) e em algumas jurisdições, esta abordagem pode ser ilegal.


Hugo, o que foi que tu entendeu disso tudo?


1º - Cada carro tem sua própria programação com relação a mistura ar/combuetivel = rica...estequiometrica...pobre
2º - Nem sempre o momento de cada um (cada motor)coincide com o momento do outro (motor de outra concepção), no que diz respeito a mistura.
3º - Mesmo com troca de bicos mais economicos, e nesse caso em todos os momentos, a economia máxima alcançada foi 9%
4º - Com alterações nas misturas, a programação original tenta compensar essa alteração, nulidando a interferencia.
5º- Montagem de gambiarra externa cria conflito de "interesses"
com a programação da centralina (confirma o que temos suposto)
6º - Colocando o Mobidick nessa história, lembram que perguntei ao Marcelo (e ele não respondeu) se o aparelho dele é generico para todos os motores. O artigo do Andre prova, no meu ponto de vista, que mesmo que o Mobidick ou outra gambiarra fosse válidade, ainda assim teria que ser um modelo para cada tipo de motor, levando em conta as diferenças de programação de fábrica.
7º - Economia acima de 10% relatadas (mobidick, econflex e o escambau) são ilusão "placebática", pra não dizer pura lorota.

Ver perfil do usuário

904 Re: Mistura pobre - O MITO em Qui 25 Out 2012, 23:13

acalister


Rank : 5
Rank : 5
Hugo, foi só isso que tu entendeu, não deixou passar alguma coisa não? estava esperando outra resposta.

Ver perfil do usuário

905 Re: Mistura pobre - O MITO em Qui 25 Out 2012, 23:16

h-roo


Rank : 5
Rank : 5
acalister escreveu:Hugo, foi só isso que tu entendeu, não deixou passar alguma coisa não? estava esperando outra resposta.

Devo ter deixado passar alguma coisa sim...li meio na correria.
mas deixo agora para que voces complementem e também me mostrem se estiver errado minha avaliação.

Ver perfil do usuário

906 Re: Mistura pobre - O MITO em Qui 25 Out 2012, 23:36

acalister


Rank : 5
Rank : 5
[quote="h-roo"][quote="acalister"]Hugo, foi só isso que tu entendeu, não deixou passar alguma coisa não? estava esperando outra resposta.[/quote]

Devo ter deixado passar alguma coisa sim...li meio na correria.
mas deixo agora para que voces complementem e também me mostrem se estiver errado minha avaliação.[/quote]

Eh, hugo tô começando a acreditar nas suas histórias :
http://noticias.terra.com.br/ciencia/noticias/0,,OI6255261-EI301,00-Homem+registra+suposto+ovni+nos+ceus+dos+EUA.html

Ver perfil do usuário

907 Re: Mistura pobre - O MITO em Qui 25 Out 2012, 23:53

h-roo escreveu:

Hugo, o que foi que tu entendeu disso tudo?


Você fica o tempo todo usando conceitos idiotas sobre Et's e agora vem querer discorrer sobre um assunto do qual você conhece. Chama o tempo todo o meu equipamento de gambiarra, mas tu nunca viu a peça funcionando.



Última edição por marcelo.eletrotecnico em Qui 25 Out 2012, 23:57, editado 1 vez(es)

Ver perfil do usuário

908 Re: Mistura pobre - O MITO em Qui 25 Out 2012, 23:56

h-roo


Rank : 5
Rank : 5
marcelo.eletrotecnico escreveu:
h-roo escreveu:

Hugo, o que foi que tu entendeu disso tudo?


Você fica o tempo todo usando conceitos idiotas sobre Et's e agora vem querer discorrer sobre um assunto do qual você não sabe p. nenhuma. Chama o tempo todo o meu equipamento de gambiarra, mas tu nunca viu a peça funcionando. Tu é muito mal amado mesmo e deve ter hemorróida. Eu não dependo da sua opinião meu caro. Se tu não tem nada de útil para dizer, melhor não seria ficar quieto do que ficar falando qual uma puta enganada ?

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
Mas conta pra nos, o trem é genérico ou não?
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Ver perfil do usuário

909 Re: Mistura pobre - O MITO em Sex 26 Out 2012, 00:06

h-roo


Rank : 5
Rank : 5
Será que a gambiarra que coloca num CoroLLa, com válvulas variáveis é a mesma que coloca num Fiat Uno?...perguntar não ofende...rsrs

Se for é a descoberta alquimica da verdadeira panacéia...rsrs

Ver perfil do usuário

910 Re: Mistura pobre - O MITO em Sex 26 Out 2012, 00:32

André, resumindo o texto, por sinal muito bom, ali informa como fazer uma alteração simples para promover uma mistura pobre (economia) ou rica (potência), relatando as dificuldades encontradas.

O texto vale para carros mais velhos, com sonda lambda antiga tipo sim/não. Também diz que o um mesmo carro trabalha com mistura estequiométrica, rica e pobre, tudo dependendo da política de funcionamento que os engenheiros, por diversos motivos, escolheram para o carro.

Para poder trabalhar das três formas distintas, o carro possui um mapa que a centralina se baseia para saber onde fazer uma mistura rica, ou pobre, ou estequiométrica, faz isso dependendo do regime que o carro se encontra, alta carga (rica/potência), normal (estequiométrica) e econômica (pobre). Não entendi muito bem quando ele escolhe entre normal e econômica. Só que para manter a mistura estequiométrica o carro usa de mais um artifício, ou o ajuste fino baseado na informação da sonda lambda.

As sondas lambdas antigas trabalham exclusivamente indicando se a mistura esta estequiométrica ou não, não sabendo o quanto a mistura ficou rica, ou pobre, se isso ocorrer. Devido a essa inabilidade da sonda lambda, o carro quando quer ficar estequiométrico vive numa variação entre rica/pobre que permite nunca chegar a ser nem rica e nem pobre e sim estequiométrico. Sem essa dancinha do sinal lambda a centralina não sabe que atingiu a estequiometria. A centralina ainda compara a estequiometria encontrada com o que o mapa dizia ser, chegando a aprender os novos parâmetros para não errar novamente no futuro. Isso acontece porque qualquer desgaste natural ou variação na fabricação, bem como qualquer outra coisa, iria fazer o mapa estar errado.

Só para fixar, quando o carro esta em mistura rica ou pobre ele não consulta a sonda lambda e nem aprende novos parâmetros; já quando quer ser estequiométrico ai é que ele consulta a sonda e faz seu aprendizado. Isso se chama loop-aberto (rica/pobre) e loop-fechado (estequiométrico/aprendendo).

Ele disse que se alguém faz uma alteração simples, como diminuir a pressão da linha de combustível, na intenção de fazer uma mistura pobre, o carro aprende e corrige a abertura dos bicos para continuar a entrar a mesma quantidade de gasolina. Simplificando, a alteração é anulada pelo aprendizado da centralina. Contudo, durante o loop-aberto (ciclo rico/pobre) a sonda não é consultada e a alteração fica valendo.

Ficou claro que não adianta mexer no sinal da sonda, melhor desligar o sensor e deixar o carro somente no mapa e que ai sua alteração vai valer sem correção da centralina.

Esqueci alguma coisa André?

Ver perfil do usuário

911 Re: Mistura pobre - O MITO em Sex 26 Out 2012, 00:45

Comentários em azul

h-roo escreveu:
acalister escreveu:
Hugo, o que foi que tu entendeu disso tudo?


1º - Cada carro tem sua própria programação com relação a mistura ar/combuetivel = rica...estequiometrica...pobre
(Lembrando que é isso tudo no mesmo carro e o que varia é a política de troca entre um e outro modo)

2º - Nem sempre o momento de cada um (cada motor)coincide com o momento do outro (motor de outra concepção), no que diz respeito a mistura.
(Correto)

3º - Mesmo com troca de bicos mais economicos, e nesse caso em todos os momentos, a economia máxima alcançada foi 9%
(isso foi um exemplo e não uma regra máxima)

4º - Com alterações nas misturas, a programação original tenta compensar essa alteração, nulidando a interferencia.
(Somente nos momentos de loop-fechado)

5º- Montagem de gambiarra externa cria conflito de "interesses"
com a programação da centralina (confirma o que temos suposto)
(Não existe conflito, a centralina dita o que vai ser feito e vence)

6º - Colocando o Mobidick nessa história, lembram que perguntei ao Marcelo (e ele não respondeu) se o aparelho dele é generico para todos os motores. O artigo do Andre prova, no meu ponto de vista, que mesmo que o Mobidick ou outra gambiarra fosse válidade, ainda assim teria que ser um modelo para cada tipo de motor, levando em conta as diferenças de programação de fábrica.
(Nada disso, só disse que a centralina aprende e se sobrepõe quando em loop-fechado. Se quiser sobrepor a centralina é só anular a lambda e perder a estequiometria perfeita. Eu diria que existe uma porção de abordagens inteligentes para vencer a centralina)

7º - Economia acima de 10% relatadas (mobidick, econflex e o escambau) são ilusão "placebática", pra não dizer pura lorota.
(Conclusão apressada, tendenciosa, mas disso já sabiamos)



Melhora ai Hugo! Se tu começar a deixar tão fácil assim reargumentar isso vai ficar pouco instrutivo. Se dedica mais, le com mais atenção. Tu é o fogo que purifica nossas invenções, quando tu começa a xingar é que nossos produtos/ideias estão sem defeitos, uma maravilha. Mas se esforça, não xinga rápido não, senão podemos ficar iludidos com uma impressão falsa de que chegamos a perfeição.

Ver perfil do usuário

912 Re: Mistura pobre - O MITO em Sex 26 Out 2012, 00:54

h-roo escreveu:Será que a gambiarra que coloca num CoroLLa, com válvulas variáveis é a mesma que coloca num Fiat Uno?...perguntar não ofende...rsrs

Se for é a descoberta alquimica da verdadeira panacéia...rsrs

Hugo, vou me adiantar ao Marcelo e te responder, quer dizer, te perguntar: Teu coroLLa é Flex? Se for o Marcelo já disse que o produto dele só funciona em carros exclusivamente a gasolina e não em carros que podem usar gasolina.

Acertei Marcelo?

Ver perfil do usuário

913 Re: Mistura pobre - O MITO em Sex 26 Out 2012, 00:58

André, eu estou aqui tentando entender o que tu queria que o Hugo visse para meter o malho no Marcelo. Só pode ser essa sua intenção. Já que o Hugo está meio preguiçoso, conta tu as conclusão chegadas, refine nossas ideias ao invés de dar somente dicas despistadas, que nem o mestreMago do desenho.

Ver perfil do usuário

914 Re: Mistura pobre - O MITO em Sex 26 Out 2012, 01:01

h-roo


Rank : 5
Rank : 5
ET-e-HHO-existe escreveu:Comentários em azul

h-roo escreveu:
acalister escreveu:
Hugo, o que foi que tu entendeu disso tudo?


1º - Cada carro tem sua própria programação com relação a mistura ar/combuetivel = rica...estequiometrica...pobre
(Lembrando que é isso tudo no mesmo carro e o que varia é a política de troca entre um e outro modo)
Não falei nada diferente...claro que é no mesmo carro

2º - Nem sempre o momento de cada um (cada motor)coincide com o momento do outro (motor de outra concepção), no que diz respeito a mistura.
(Correto)
Viu porque eu distingui?...rsrs

3º - Mesmo com troca de bicos mais economicos, e nesse caso em todos os momentos, a economia máxima alcançada foi 9%
(isso foi um exemplo e não uma regra máxima)
Me referi ao teste do artigo...não falei que é regra

4º - Com alterações nas misturas, a programação original tenta compensar essa alteração, nulidando a interferencia.
(Somente nos momentos de loop-fechado)
Que parece ser o caso de todos os carros que atualmente saem da fábrica.

5º- Montagem de gambiarra externa cria conflito de "interesses"
com a programação da centralina (confirma o que temos suposto)
(Não existe conflito, a centralina dita o que vai ser feito e vence)
Se alguem "vence" é porque alguem "perdeu"...então houve sim disputa, conflito...que pode em algum momento dar um blecaute no sistema todo, já que não é somente a centralina envolvida em todo o processo.

6º - Colocando o Mobidick nessa história, lembram que perguntei ao Marcelo (e ele não respondeu) se o aparelho dele é generico para todos os motores. O artigo do Andre prova, no meu ponto de vista, que mesmo que o Mobidick ou outra gambiarra fosse válidade, ainda assim teria que ser um modelo para cada tipo de motor, levando em conta as diferenças de programação de fábrica.
(Nada disso, só disse que a centralina aprende e se sobrepõe quando em loop-fechado. Se quiser sobrepor a centralina é só anular a lambda e perder a estequiometria perfeita. Eu diria que existe uma porção de abordagens inteligentes para vencer a centralina)
De qualquer maneira interferencia no que vem programado de fábrica, sem que saibamos os resultados a médio e longo prazo

7º - Economia acima de 10% relatadas (mobidick, econflex e o escambau) são ilusão "placebática", pra não dizer pura lorota.
(Conclusão apressada, tendenciosa, mas disso já sabiamos)
Resta provarem o contrário do que afirmei...rsrs



Melhora ai Hugo! Se tu começar a deixar tão fácil assim reargumentar isso vai ficar pouco instrutivo. Se dedica mais, le com mais atenção. Tu é o fogo que purifica nossas invenções, quando tu começa a xingar é que nossos produtos/ideias estão sem defeitos, uma maravilha. Mas se esforça, não xinga rápido não senão podemos ficar iludidos com uma impressão falsa.

Agora pergunto, se os carros já vem com programação para em determinados momentos andarem com mistura pobre, possivelmente num limite que ofereça alguma segurança quanto a conservação, vão interferir e tornar a mistura ainda mais pobre?
Ande num Corolla e acompanhe o mostrador de quilometragem...isso ai tudo que está no artigo pode ser facilmente comprovado como efetivo.
Agora pergunto, ainda instalar uma gambiarra pra que?

Ver perfil do usuário

915 Re: Mistura pobre - O MITO em Sex 26 Out 2012, 01:06

h-roo


Rank : 5
Rank : 5
ET-e-HHO-existe escreveu:
h-roo escreveu:Será que a gambiarra que coloca num CoroLLa, com válvulas variáveis é a mesma que coloca num Fiat Uno?...perguntar não ofende...rsrs

Se for é a descoberta alquimica da verdadeira panacéia...rsrs

Hugo, vou me adiantar ao Marcelo e te responder, quer dizer, te perguntar: Teu coroLLa é Flex? Se for o Marcelo já disse que o produto dele só funciona em carros exclusivamente a gasolina e não em carros que podem usar gasolina.

Acertei Marcelo?

O meu é flex...mas tu já sabe que não vou colocar nem que a vaca tussa, nem que fosse a gasolina.
Agora, é claro que meu questionamento é em carros somente a gasolina. Então, para que o Marcelo não se sinta aliviado com teu socorro, voltar a refazer a pergunta:
É o mesmo aparelho para um carro com válvula variavel e outro não variável?

Ver perfil do usuário

916 Re: Mistura pobre - O MITO em Sex 26 Out 2012, 01:17

h-roo


Rank : 5
Rank : 5
Motor de Plasma nobre Gás para Revelado em Power-Gen Conferência, Orlando, Florida, 11 de dezembro de 2012

Motor de Plasma nobre Gás para Revelado em Power-Gen Conferência, Orlando, Florida, 11 de dezembro de 2012
23 de outubro de 2012 o motor a gás Noble vai ser revelado ao Mundo em 11 de dezembro de 2012, no Power-Gen conferência em Orlando, Florida . Inteligentry , TPT, e Plasmerg terá 6 estandes da conferência, juntamente com as empresas que produzem o motor ou venda de produtos utilizando o motor de gás nobre. Na exposição será um motor que funciona um gerador / alternador. Como o motor não consome combustível ou expells de resíduos, que pode ser executado dentro. Ele não tem entrada ou escape. O motor em exibição será um motor de plasma dois cilindros de gás nobre e, possivelmente, um protótipo de motor de quatro cilindros. O seis cilindros vai sair alguns onde por volta de julho ou agosto de 2013. pesquisadores acho que vai funcionar por pelo menos um 1/2 anos, 24 horas por dia, 7 dias por semana, em um preenchimento de gás nobre, talvez até mais. Um protótipo de uma versão anterior do motor tem agora executar 1 1/2 anos em Michigan. Outros estão em testes em locais ao redor do mundo de acordo com John Rohner. Quando ela atinge o mundo vai se sentir o chão tremer, isso terá um enorme impacto sobre as empresas de petróleo e motor de combustão interna e fabricantes de peças. O motor de gás nobre não tem carburador, válvulas, admissão / colector de escape, tanques de gás. Isso fará com energia solar, eólica e obsoleto (que são muito mais caros). O maior impacto será no transporte (carros, caminhões, navios / barcos, trens e aviões). Seu impacto não vai parar aí. Geração de energia nuclear vai sentir também. Então, naturalmente, os benefícios ambientais são absolutamente monóxido de carbono ou NÃO carbond dióxido de carbono (CO2). O aquecimento global devido às emissões de dióxido de carbono será uma questão não. Após a aprovação, os níveis de CO2 vai começar a cair. Isso terá grande oposição de interesses pessoais que fazem enormes lucros provenientes de combustíveis de carbono. Será uma grande luta! Assim, quando este sai apoiá-lo ... Gritar e gritar "Precisamos disso agora" vai ser menos propensos a tentar matá-lo. Este é um avanço enorme para a nossa saúde ea saúde do planeta. Você pode participar do meu grupo no Facebook, Noble Gás grupo ventoinha do motor. http://www.facebook.com/groups/ngasengine/ John Rohner é membro e comentários, uma vez ou duas vezes por semana. http://americankabuki.blogspot.com/2012/10/noble-gas-plasma-engine-to-revealed-at.html

Ver perfil do usuário

917 Re: Mistura pobre - O MITO em Sex 26 Out 2012, 01:19

Um comentáriozinho que passou despercebido na matéria do André. A sonda indica apenas se tem ou não uma certa quantidade de oxigênio na exaustão, não sabe realmente se a mistura é estequiométrica. Uma mistura estequiométrica não sobra reagentes e não é isso que a lambda vê, a sonda só vê que não sobrou oxigênio, indicando quase nada, pois tem dificuldade de saber se sobrou combustível, se a queima foi completa e até mesmo não sabe quanto de oxigênio sobrou ou faltou.

Por isso a centralina faz a dancinha rico/pobre, pois se o resultado da queima está em cima do muro entre sem oxigênio e com oxigênio, certamente isso significa que o oxigênio que entrou foi exatamente o que poderia ser queimado, pois mais oxigênio sobra e menos falta. Baseado nesse fato que colocar mais oxigênio (mais ar) não vai queimar mais combustível, então se imagina que não existe mais combustível para ser queimado, ou que não sobrou reagentes e a queima foi estequiométrica. Normalmente isso está muito próximo da realidade.

Essa ideia imagina que a queima é invariavelmente completa em uma oferta estequiométrica de reagentes. Por isso acham que a quantidade exata de oxigênio reflete na quantidade exata de combustível, mas imagine que o motor esta com algum problema é não consegue queimar todo o combustível, nunca, então vai sobrar oxigênio mesmo que ainda exista combustível para queimar. Num caso assim a centralina vi considerar estequiométrica uma queima que não sobrou/faltou oxigênio, mas sobrou um pouco de combustível. Se não fosse assim, não existiria carbonização e nem emissões. No outro extremo mais fica faltando combustível para queimar, mesmo quando a sonda diz que a quantidade de oxigênio foi exata. Como assim, para onde foi o oxigênio que o combustível não usou? Lembra da outra emissão, os NOx? Se a mistura está estequiométrica mesmo e não sobrou oxigênio e nem faltou, então também não deveria existir NOx.

Continue pensando e tu vê que a sonda pode enganar se as coisas não estiverem exatamente como os engenheiros planejaram.

Ver perfil do usuário

918 Re: Mistura pobre - O MITO em Sex 26 Out 2012, 01:26

h-roo


Rank : 5
Rank : 5
André
Ai em São Paulo, com a Inspeção veicular do Kassab, até carros recem saidos de fábrica tem levado pau, não passam na questão das emissões, mesmo tendo os aparelhos de medição tendo que se sujeitar ao parametro do fabricante. Se colocar uma gambiara que interfira na emissão, não vai ter aprovação nunca na Inspeção.

Ver perfil do usuário

919 Re: Mistura pobre - O MITO em Sex 26 Out 2012, 01:27

h-roo escreveu: Motor de Plasma nobre Gás para Revelado em Power-Gen Conferência, Orlando, Florida, 11 de dezembro de 2012

Motor de Plasma nobre Gás para Revelado em Power-Gen Conferência, Orlando, Florida, 11 de dezembro de 2012
23 de outubro de 2012 o motor a gás Noble vai ser revelado ao Mundo em 11 de dezembro de 2012, no Power-Gen conferência em Orlando, Florida . Inteligentry , TPT, e Plasmerg terá 6 estandes da conferência, juntamente com as empresas que produzem o motor ou venda de produtos utilizando o motor de gás nobre. Na exposição será um motor que funciona um gerador / alternador. Como o motor não consome combustível ou expells de resíduos, que pode ser executado dentro. Ele não tem entrada ou escape. O motor em exibição será um motor de plasma dois cilindros de gás nobre e, possivelmente, um protótipo de motor de quatro cilindros. O seis cilindros vai sair alguns onde por volta de julho ou agosto de 2013. pesquisadores acho que vai funcionar por pelo menos um 1/2 anos, 24 horas por dia, 7 dias por semana, em um preenchimento de gás nobre, talvez até mais. Um protótipo de uma versão anterior do motor tem agora executar 1 1/2 anos em Michigan. Outros estão em testes em locais ao redor do mundo de acordo com John Rohner. Quando ela atinge o mundo vai se sentir o chão tremer, isso terá um enorme impacto sobre as empresas de petróleo e motor de combustão interna e fabricantes de peças. O motor de gás nobre não tem carburador, válvulas, admissão / colector de escape, tanques de gás. Isso fará com energia solar, eólica e obsoleto (que são muito mais caros). O maior impacto será no transporte (carros, caminhões, navios / barcos, trens e aviões). Seu impacto não vai parar aí. Geração de energia nuclear vai sentir também. Então, naturalmente, os benefícios ambientais são absolutamente monóxido de carbono ou NÃO carbond dióxido de carbono (CO2). O aquecimento global devido às emissões de dióxido de carbono será uma questão não. Após a aprovação, os níveis de CO2 vai começar a cair. Isso terá grande oposição de interesses pessoais que fazem enormes lucros provenientes de combustíveis de carbono. Será uma grande luta! Assim, quando este sai apoiá-lo ... Gritar e gritar "Precisamos disso agora" vai ser menos propensos a tentar matá-lo. Este é um avanço enorme para a nossa saúde ea saúde do planeta. Você pode participar do meu grupo no Facebook, Noble Gás grupo ventoinha do motor. http://www.facebook.com/groups/ngasengine/ John Rohner é membro e comentários, uma vez ou duas vezes por semana. http://americankabuki.blogspot.com/2012/10/noble-gas-plasma-engine-to-revealed-at.html


Só uma pergunta: Como é conseguido o plasma?

Ver perfil do usuário

920 Re: Mistura pobre - O MITO em Sex 26 Out 2012, 01:29

h-roo


Rank : 5
Rank : 5
ET-e-HHO-existe escreveu:
h-roo escreveu: Motor de Plasma nobre Gás para Revelado em Power-Gen Conferência, Orlando, Florida, 11 de dezembro de 2012

Motor de Plasma nobre Gás para Revelado em Power-Gen Conferência, Orlando, Florida, 11 de dezembro de 2012
23 de outubro de 2012 o motor a gás Noble vai ser revelado ao Mundo em 11 de dezembro de 2012, no Power-Gen conferência em Orlando, Florida . Inteligentry , TPT, e Plasmerg terá 6 estandes da conferência, juntamente com as empresas que produzem o motor ou venda de produtos utilizando o motor de gás nobre. Na exposição será um motor que funciona um gerador / alternador. Como o motor não consome combustível ou expells de resíduos, que pode ser executado dentro. Ele não tem entrada ou escape. O motor em exibição será um motor de plasma dois cilindros de gás nobre e, possivelmente, um protótipo de motor de quatro cilindros. O seis cilindros vai sair alguns onde por volta de julho ou agosto de 2013. pesquisadores acho que vai funcionar por pelo menos um 1/2 anos, 24 horas por dia, 7 dias por semana, em um preenchimento de gás nobre, talvez até mais. Um protótipo de uma versão anterior do motor tem agora executar 1 1/2 anos em Michigan. Outros estão em testes em locais ao redor do mundo de acordo com John Rohner. Quando ela atinge o mundo vai se sentir o chão tremer, isso terá um enorme impacto sobre as empresas de petróleo e motor de combustão interna e fabricantes de peças. O motor de gás nobre não tem carburador, válvulas, admissão / colector de escape, tanques de gás. Isso fará com energia solar, eólica e obsoleto (que são muito mais caros). O maior impacto será no transporte (carros, caminhões, navios / barcos, trens e aviões). Seu impacto não vai parar aí. Geração de energia nuclear vai sentir também. Então, naturalmente, os benefícios ambientais são absolutamente monóxido de carbono ou NÃO carbond dióxido de carbono (CO2). O aquecimento global devido às emissões de dióxido de carbono será uma questão não. Após a aprovação, os níveis de CO2 vai começar a cair. Isso terá grande oposição de interesses pessoais que fazem enormes lucros provenientes de combustíveis de carbono. Será uma grande luta! Assim, quando este sai apoiá-lo ... Gritar e gritar "Precisamos disso agora" vai ser menos propensos a tentar matá-lo. Este é um avanço enorme para a nossa saúde ea saúde do planeta. Você pode participar do meu grupo no Facebook, Noble Gás grupo ventoinha do motor. http://www.facebook.com/groups/ngasengine/ John Rohner é membro e comentários, uma vez ou duas vezes por semana. http://americankabuki.blogspot.com/2012/10/noble-gas-plasma-engine-to-revealed-at.html


Só uma pergunta: Como é conseguido o plasma?

Boa pergunta...para voce fazer para os desenvolvedores do motor...quem sabe já é uma antecipação canalizada pelos nossos irmãos galácticos?

Ver perfil do usuário

921 Re: Mistura pobre - O MITO em Sex 26 Out 2012, 01:32

h-roo escreveu:Agora pergunto, se os carros já vem com programação para em determinados momentos andarem com mistura pobre, possivelmente num limite que ofereça alguma segurança quanto a conservação, vão interferir e tornar a mistura ainda mais pobre?
Ande num Corolla e acompanhe o mostrador de quilometragem...isso ai tudo que está no artigo pode ser facilmente comprovado como efetivo.
Agora pergunto, ainda instalar uma gambiarra pra que?

Eu te respondo: Sei lá! Quem vai saber porque um escolhe um corolla e outro um prius? Mas isso não significa que não se deva se comprar um ou outro.

Se eu pudesse, eu compraria um PRIUS, arrancaria seu motor a combustão e colocava no local um Liquid Piston. Só que eu acho que não vai dar, nem para comprar o PRIUS.

Ver perfil do usuário

922 Re: Mistura pobre - O MITO em Sex 26 Out 2012, 01:34

h-roo


Rank : 5
Rank : 5
Quero ver depois que os boizinhos passarem a dirigir feito umas mocinhas (para conseguir 30% com a gambiarra), de quem eles vão cobrar, a médio prazo, os pistões furados.

Ver perfil do usuário

923 Re: Mistura pobre - O MITO em Sex 26 Out 2012, 01:36

h-roo


Rank : 5
Rank : 5
ET-e-HHO-existe escreveu:
h-roo escreveu:Agora pergunto, se os carros já vem com programação para em determinados momentos andarem com mistura pobre, possivelmente num limite que ofereça alguma segurança quanto a conservação, vão interferir e tornar a mistura ainda mais pobre?
Ande num Corolla e acompanhe o mostrador de quilometragem...isso ai tudo que está no artigo pode ser facilmente comprovado como efetivo.
Agora pergunto, ainda instalar uma gambiarra pra que?

Eu te respondo: Sei lá! Quem vai saber porque um escolhe um corolla e outro um prius? Mas isso não significa que não se deva se comprar um ou outro.

Se eu pudesse, eu compraria um PRIUS, arrancaria seu motor a combustão e colocava no local um Liquid Piston. Só que eu acho que não vai dar, nem para comprar o PRIUS.

Pois é..."sabes lá" !!!!!!!!

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Ver perfil do usuário

924 Re: Mistura pobre - O MITO em Sex 26 Out 2012, 03:02

Interessante, vale ver: (não é sobre carro)

Ver perfil do usuário

925 Re: Mistura pobre - O MITO em Sex 26 Out 2012, 03:30

h-roo


Rank : 5
Rank : 5
ET-e-HHO-existe escreveu:Interessante, vale ver: (não é sobre carro)


Não é sobre carro????...então não vou assistir.
.
.
.
.
.
.
.
.Bricadeirinha, já assisti.
Só me resta dizer:

BEM VINDO AO TIME DOS ACORDADOS ET/MILZON

Vai uma cápsula da vermelha ai?????
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Ver perfil do usuário

926 Re: Mistura pobre - O MITO Hoje à(s) 09:01

Conteúdo patrocinado


Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo  Mensagem [Página 37 de 40]

Ir à página : Anterior  1 ... 20 ... 36, 37, 38, 39, 40  Seguinte

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum